Mónica Carvalho
Mónica Carvalho
18 Mai, 2020 - 18:07

Cultura e lazer: o que já está aberto ao público e as regras de acesso

Mónica Carvalho

Com a abertura progressiva de alguns locais de cultura e lazer poderemos retomar algumas das atividades que mais gostamos. Venha saber quais.

cultura e lazer locais abertos

Já se encontram abertos ao público alguns locais de cultura e lazer, para pode retomar algumas das suas atividades preferidas e desfrutar em família – mas com restrições.

O estado de calamidade trouxe algumas perspetivas de esperança de que o pior poderá realmente já ter passado, ainda que os cuidados a ter em sociedade e em espaços fechados sejam apertados – pela sua saúde e dos outros.

O calendário de desconfinamento contém um período de 15 dias entre cada fase, de modo a ser possível avaliar o impacto das medidas na evolução da pandemia. Saiba do que já pode usufruir a partir de 18 de maio.

Locais de cultura e lazer de que já pode usufruir

família jardim zoológico

1. Parques e jardins

Nesta categoria não se encontram os parques infantis, apenas os parques e jardins públicos, para pequenos passeios de lazer.

Ainda assim, para entrar deve usar obrigatoriamente máscara e não se esqueça de que ainda se encontra a vigor a regra de proibição de ajuntamentos com mais de dez pessoas.

Nesses locais de cultura e lazer haverá lugar ao reforço da frequência da higienização e desinfeção, especialmente nas áreas de maior fluxo de visitantes, como por exemplo balcões de atendimento, cafetarias e instalações sanitárias.

2. Parques desportivos

A prática desportiva é altamente benéfica para o ser humano e se durante a quarenta o treino em casa era imperativo, atualmente, já o poderá fazer no exterior. A abertura dos parques desportivos traz mais uma opção para os adeptos de desporto.

Mas há regras a cumprir nestas áreas de cultura e lazer. Ainda que as mesmas possam variar de espaço para espaço, conte com as mais genéricas e que constam no regulamento de funcionamento do Parque Desportivo de Ramalde, no Porto:

  • Utilização sujeita a marcação prévia;
  • Apenas poderá usar a pista que lhe for destinada, não sendo permitido correr lado a lado;
  • Não haverá lugar à partilha de materiais e equipamentos;
  • Não é permitido o acesso à utilização de balneários.

3. Jardins zoológicos

O Jardim Zoológico da Maia permanecerá encerrado, porém o Zoo de Lisboa já se encontra aberto ao público. No entanto, após dois meses encerrado ao público, a abertura decorrerá por fases, estando as apresentações e atrações, para já, encerradas.

Estas são as regras a cumprir:

  • Manter a distância de segurança de dois metros;
  • Respeitar a sinalética;
  • Lavar frequentemente as mãos com água e sabão ou com uma solução alcoólica desinfetante;
  • Usar máscara quando possível;
  • Cumprir com as regras de etiqueta respiratória;
  • Evitar tocar na boca, nariz e olhos com as mãos;
  • Não tocar nos vidros;
  • Não alimentar os animais;
  • Evitar áreas com maior afluência de visitantes;
  • Cumprir com as indicações dos funcionários do Jardim Zoológico.
Oceanário de Lisboa

4. Oceanário de Lisboa

Aberto desde 11 maio, o Oceanário de Lisboa permite descobrir as maravilhas dos oceanos e é um local de cultura e lazer por excelência. Porém, para tal, estão a ser aplicadas medidas de prevenção reforçadas e em resposta às exigências que o contexto atual impõe, entre as quais se destaca o horário reduzido, com abertura às 10h e encerramento às 18h.

Das várias medidas implementadas, destacam-se:

  • Redução do número de visitantes em simultâneo;
  • Uso de máscara é obrigatório durante a visita;
  • Realização de ações frequentes de higienização dos espaços;
  • Reforço de dispensadores de gel desinfetante para uso dos visitantes;
  • Poderá visitar todas as exposições, desde que esteja assegurado o distanciamento necessário de dois metros;
  • Suspensão de eventos e atividades educativas;
  • Pagamento de bilhetes exclusivamente por meios automático.

5. Museus, monumentos, palácios, galerias de arte, sítios arqueológicos ou similares

A cultura e lazer ganhou mais vida e fôlego a partir de 18 de maio, altura em que museus, monumentos, palácios, galerias de arte, sítios arqueológicos ou similares poderão abrir ao público.

Claro que também aqui há regras para respeitar:

  • Nos espaços interiores, uso obrigatório de máscara;
  • Admissão condicionada, de forma a garantir que a lotação nunca ultrapasse os dois terços do total da capacidade do local;
  • Reforço da frequência da higienização e desinfeção.

6. Bibliotecas e arquivos

Para muitos, as bibliotecas e os arquivos são locais de trabalho, pelo que a sua abertura se assume de especial importância. Mas são também zonas de cultura e lazer.

As normais a cumprir começam a tornar-se bem familiares. Atente ao que irá acontecer nos equipamentos da cidade do Porto:

  • O acesso ao interior só poderá ser realizado mediante marcação prévia, assim como a consulta de documentos no local;
  • Documentos e/ou livros a emprestar serão alvo dos cuidados e recomendações próprios de prevenção, sendo manuseados com recurso a equipamentos de proteção individual;
  • Quando estes materiais forem devolvidos serão devidamente higienizados antes de circularem novamente;
  • Poderá ser limitado o acesso a jornais e revistas para leitura do público.

Já nas bibliotecas e arquivos de Lisboa, a autarquia alerta para:

  • Obrigatoriedade do uso de máscara;
  • Cumprimento de regras de etiqueta respiratória;
  • Necessidade de cumprimento de distanciamento social de segurança de 2 metros;
  • Existência de solução própria, disponibilizada pelas bibliotecas, para desinfetar as mãos à entrada e saída;
  • Respeito pelos circuitos e recomendações de segurança assinalados ou transmitidos pelas equipas.
Biblioteca de Mafra

cultura e lazer: Espaços que permanecem encerrados

Apesar das boas notícias, ainda há locais que se encontram encerrados ao público, alguns sem data prevista de abertura. Recorde quais são:

  • Parques de diversões e parques recreativos para crianças e similares;
  • Parques aquáticos;
  • Quaisquer locais cobertos destinados a práticas desportivas de lazer, como, por exemplo, campos e estádios de futebol e piscinas;
  • Auditórios, cinemas, teatros e salas de concertos;
  • Salões de dança ou de festa;
  • Pavilhões de congressos, salas polivalentes, salas de conferências e pavilhões multiúsos;
  • Ginásios.
Veja também

Para descomplicar a informação

As informações sobre os temas que envolvem o impacto social do novo Coronavírus são dinâmicas e constantemente atualizadas. Por isso, os conteúdos publicados nesta secção não devem substituir a consulta com profissionais e especialistas, tanto da saúde como do direito e temas afins.