Catarine Martins
Catarine Martins
06 Mar, 2020 - 15:09

Dia da Mulher: 6 mulheres que mudaram o mundo da moda

Catarine Martins

A propósito do Dia da Mulher contamos-lhe um pouco sobre as mulheres que mudaram o mundo da moda e influenciaram gerações.

Coco Chanel no Dia da Mulher

Ao longo dos séculos, o papel da mulher na sociedade foi sofrendo alterações. Mas foi só em 1975 que a ONU oficializou o Dia Internacional da Mulher, numa clara homenagem, e reconhecimento, aos seus direitos.

E se é certo que há mulheres brilhantes em todas as áreas, desde a mecânica à científica, hoje contamos-lhe um pouco sobre algumas mulheres inspiradoras que transformaram o mundo da moda.

Sim, a verdade é que as roupas que usamos hoje, de forma banal, têm muita influência de todas estas mulheres. Mulheres que se atreveram a mudar o mundo, com a sua visão única, quebrando barreiras e lugares comuns. E que, por isso mesmo, ficaram para a História.

dia da mulher: 6 mulheres marcantes

1. Gabrielle (Coco) Chanel

Desde as apaixonadas por moda, até às mulheres que não ligam tanto ao que vestem, já todas ouvimos falar da marca Chanel.

Fundada por Gabrielle Chanel em 1910, a marca francesa foi pioneira a mudar o paradigma da época, no que toca ao vestuário feminino.

Com efeito, Coco (que ganhou esse apelido, durante os seus tempos de cantora), apresentou propostas únicas para o seu tempo, onde a roupa feminina ganhou um cunho masculino, tornando-se mais confortável.

Assim, os vestidos armados ganharam, com Gabrielle Chanel, traços mais direitos, tornando-se muito mais fáceis de vestir.

A elegância, aliada ao conforto e aos traços mais simples, tornaram-se a imagem de marca da Chanel, conquistando mulheres um pouco por toda a parte. Era o fim de uma era de vestidos rodados, folhos e roupa claramente desconfortável.

Para além da moda propriamente dita, Gabrielle Chanel foi também a primeira designer a lançar um perfume (algo recorrente, nos dias de hoje). Assim, o Chanel nº5 foi o primeiro perfume a nascer das mãos de uma estilista. Interessante, certo?

2. Mary Quant

Gosta de usar minissaia? Então, saiba que o deve a Mary Quant. A estilista nascida no Reino Unido, fez da minissaia a sua imagem de marca, usando-a com camisolas justas e botas altas.

Embora a criação tenha sido, claramente, disruptiva, uma vez que foi introduzida por Quant no panorama da moda nos anos 60, a verdade é que a designer acabou por ser condecorada como Oficial da Ordem do Império Britânico, pela rainha Elizabeth II (em 1966).

Anos mais tarde, Mary Quant criou também as hot pants, muito usadas por baixo de saias mais transparentes.

E, a verdade é que embora hoje em dia quer a minissaia, quer as hot pants façam parte da realidade ocidental, nos anos 60 representaram uma novidade que empoderava as mulheres. Como que dizendo, sem palavras, que uma mulher pode vestir o que quiser.

3. Diane Von Furstenberg

Provavelmente, já ouviu falar de Diane Von Furstenberg. A estilista belga que fez carreira nos Estados Unidos da América, e conquistou um lugar de destaque no panorama da moda, é a responsável pela criação de uma peça de roupa que provavelmente usa muito.

Falamos, claro, do vestido traçado, estilo envelope. Em 1976 estima-se que eram vendidos cerca de 25000 vestidos deste modelo, da marca, por semana.

Conhecido por ser extremamente confortável e feminino, é uma peça que realmente mudou o mundo da moda, e a forma como as mulheres se vestem.

4. Elsa Schiaparelli

Que os tons neon estão na moda já todos sabemos. Mas, sabia que foi a estilista Elsa Schiaparelli que inventou o rosa choque? Sim, a cor feminina que tantos adoram, foi uma criação da designer italiana.

Conhecida por contratar artistas plásticos para a ajudarem a criar acessórios e tecidos, nomeadamente Salvador Dali, Elsa era dona de uma criatividade excêntrica.

Assim, as suas peças ficaram famosas por serem uma mistura de arte com moda, onde o tingimento das peles, os bordados e as estampas de jornal eram protagonistas.

5. Vivienne Westwood

Com uma visão irreverente e excêntrica, Vivienne Westwood ficou famosa por introduzir traços punk às roupas que criava. Assim, na década de 70, a estilista inglesa era já um nome de peso, nomeadamente por fazer roupas inspiradas nas classes sociais marginalizadas.

Consequentemente, se gosta das referências punk na roupa, hoje usadas também por muitos outros designers, saiba que a sua materialização e popularidade se devem a Vivienne Westwood.

6. Miuccia Prada

Miuccia Prada é a mulher à frente da conhecida marca italiana Prada. Neta mais nova do fundador da marca, criada em 1913, a estilista italiana é a responsável por ter transformado uma marca de artigos em pele, numa marca mundialmente conhecida e objeto de desejo de muitas mulheres.

Com coleções que se baseiam numa mulher sofisticada, independente, ousada e inteligente, Miuccia conseguiu trazer o feminismo para a ordem do dia, no mundo da moda.

E provou que uma mulher pode, verdadeiramente, transformar uma marca.

Depois destes exemplos inspiradores de mulheres únicas, não há como não sentir orgulho em ser mulher. Foram também elas a ditar caminhos no mundo da moda, uma área que embora muito mais dirigida para um público feminino, sempre se caracterizou por uma certa misoginia, para não dizer mesmo machismo.

Veja também