Júlia de Sousa
Júlia de Sousa
08 Abr, 2015 - 08:45
14 Dicas para escrever uma carta de apresentação convincente

14 Dicas para escrever uma carta de apresentação convincente

Júlia de Sousa

Ter uma carta de apresentação convincente depende de si. Veja como pode melhorar a sua!

O artigo continua após o anúncio

Enriqueça o seu CV e aumente as hipóteses de ser contratado

Nem só de um bom Curriculum Vitae (CV) é feita uma candidatura de emprego. Uma carta de apresentação convincente é igualmente importante. Aliás, na hora de seleção, pode ser a sua carta a fazer a diferença a e chamar a atenção dos recrutadores. 
Se já há algum tempo que não olha para a sua carta de apresentação, talvez seja chegada a hora. Lembre-se que perante o panorama atual, o mercado de trabalho é uma “selva” e sobrevivem os que estiverem mais preparados. Ter uma carta de apresentação convincente pode ser a sua rampa de acesso para um emprego. 
Veja como pode – usando a gíria atual – “turbinar” a sua carta de apresentação.

Carta de apresentação à “prova de bala”

Criar uma carta de apresentação convincente requer apenas que tenha atenção a alguns detalhes. Deixamos-lhe aqui algumas dicas que o podem ajudar. 

1. Torne a sua carta de apresentação um complemento do seu CV

Antes de fazer qualquer alteração foque as suas atenções neste ponto. A sua carta de apresentação deve ser isso mesmo uma apresentação e como tal não deve ser uma repetição da informação que consta do CV, mas antes um complemento. Para que tenha uma carta de apresentação convincente deve dotá-la de informações relevantes, como as mais-valias que pode dar à empresa. 

2. Personalize a sua carta

A sua carta deve ser um reflexo do seu percurso e da sua personalidade e terá tanto mais impacto no recrutador, quanto mais dedicação revelar. Procure saber a quem ou a que departamento deve dirigir a carta e adapte a sua informação à empresa e às funções em causa. 

3. Valorize-se

Uma carta de apresentação convincente deve ser a sua forma de revelar o que torna o candidato ideal à posição a que se está a candidatar. Procure deixar claras as suas qualidades, competências e experiência enquanto profissional, dando principal destaque às pretendidas pela empresa, claro. Mas cuidado: deve valorizar-se, não sobrevalorizar-se.

4. Seja assertivo

A sua carta de apresentação é o seu cartão-de-visita junto dos recrutadores, um reflexo da sua personalidade, por isso seja honesto: fale das suas ambições profissionais, seja direto e fale dos seus pontos fortes e mais-valias, que justifiquem a possibilidade de ser entrevistado.

5. Explique os motivos da sua candidatura

O seu interesse na empresa e no cargo a que está a candidatar-se deve ser claro. Por isso, antes de se candidatar dedique alguns minutos para tentar perceber se realmente está interessado na posição. Se sim, fale dos motivos que o levaram a candidatar-se ou porque está interessado em trabalhar com a empresa em questão. Mas acima de tudo, seja autêntico!


6. Envie cartas de apresentação adequadas ao destino

Uma carta de apresentação não é algo universal e deve ser elaborada e adequada tendo em conta o cargo e a empresa aos quais se candidata. O pior erro que pode fazer é enviar a mesma carta de apresentação para várias empresas, especialmente se colocar os contatos de todas, em BCC, no mesmo e-mail. Também o tipo de discurso deve ser adaptado à organização à qual se está a candidatar.

Faça uma pesquisa prévia acerca do perfil da empresa, envie uma carta de apresentação informal caso o discurso, na organização, seja também ele informal. No caso de um banco ou entidade com uma cultura empresarial mais rígida, opte por um texto mais formal. Procure sempre adequar-se à entidade em questão.


7. Mostre à empresa quais as vantagens de o contratar

As empresas querem que lhes diga o que pode fazer por elas. Quais as suas competências que lhes poderão ser úteis? De que forma corresponde ao que procuram? Responda de forma breve e concisa a estas questões e não se esqueça que a carta de apresentação é um complemento ao seu CV. Enquanto que, no CV, apresenta a sua formação, competências e experiências anteriores, a carta de apresentação ajuda-o o justificar, à entidade, os motivos pelos quais deve ser contratado.


8. Exemplifique e Quantifique

A carta de apresentação é a sua oportunidade de fornecer elementos que justifiquem que é uma mais-valia para a entidade à qual se candidata. Procure dar exemplos concretos de situações em que as suas competências lhe foram úteis e apresente números ao seu recrutador. Só assim ele conseguirá analisar o seu valor.


9. Seja sincero

Não minta, não exagere e não mencione competências que não tem. É preciso explicar-lhe por que motivos não o deve fazer? Procure focar-se na experiência que tem, mesmo que seja pouca.


10. Fale sobre si

Fale um pouco sobre si. Refira os seus pontos fortes, sem massacrar com demasiada informação. Explique ao recrutador o que o levou a candidatar-se àquela vaga, por exemplo, ou o que o faz ficar interessado por aquela área específica.


11. Inclua testemunhos

Comentários ou recomendações de antigos chefes, colegas ou clientes são algo que pode e deve mencionar na sua carta de apresentação. Se um antigo chefe lhe disse, por exemplo, que era muito organizado ou o melhor a algo, procure tocar no assunto para poder partilhar essa informação com o recrutador.


12. Seja original

Uma carta de apresentação não tem, necessariamente, de começar com a sua apresentação. Evite começar com referência ao seu nome, idade e/ou naturalidade. Não é nisso que o recrutador está interessado. Procure também evitar clichés, como dizer que é dinâmico, pró-ativo e bom trabalhador. Os recrutadores querem exemplos concretos, suportados por acontecimentos.

Se se está a candidatar a uma área criativa, por exemplo, procure outros formatos para elaborar a sua carta de apresentação, como, por exemplo, através de vídeo. Procure marcar pela diferença.

O artigo continua após o anúncio


13. Releia e peça a alguém que para reler

Releia várias vezes a carta de apresentação. Procure ler em voz alta, para detetar prováveis erros sintáticos. Tenha também especial atenção a erros ortográficos. Peça a um colega, amigo ou familiar para ler a carta, poderá ajudá-lo a melhorá-la, caso esta necessite.


14. Envie

Está confiante do que escreveu? Está na hora de enviar! Se possível, mencione o nome do seu recrutador no envio da carta de apresentação. Tornará o envio mais pessoal e terá mais probabilidade de despertar interesse.


Rever, rever… e atualizar!

Uma carta de apresentação convincente, só o é se for genuína. Já aqui falamos erros mais frequentes nas cartas de apresentação. Um erro crasso e muito comum é a falta de revisão e atualização da carta. Agora pense: se a sua carta de apresentação é um complemento do CV, deve ser alvo de tantas revisões quanto o CV. 
 E lembre-se que ter uma boa carta de apresentação pode fazer a diferença entre ser notado ou ignorado.

Faça mais pelo seu Curriculum e concorra ao emprego dos seus sonhos >>

Veja também: