Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Marvin Tortas
Marvin Tortas
28 Jan, 2020 - 18:03

Ensaio Renault Espace: o sinónimo de conforto em francês

Marvin Tortas

Estivemos ao volante desta proposta da marca francesa que tenta juntar um SUV e uma Monovolume num só carro, com um design, no mínimo, futurista.

Renault Espace

Apresentado ao mundo pela primeira vez em 1984, o Renault Espace sempre foi um dos principais rostos da marca francesa sendo sinónimo de tecnologia, conforto e claro está, espaço.

Em 2015 chegou-nos a 5ª geração deste modelo, que se distanciou assim da tradicional carroçaria monovolume e adoptou uma postura mais contemporânea numa proposta, no mínimo, interessante que nos permite agora não só transportar toda a família e muitas bagagens, como também o pode fazer em ligeiras incursões todo-o-terreno, ao passo que atinge o pináculo do luxo, tecnologia e prazer de condução da indústria automóvel francesa.

Renault Espace: um modelo com legado, reinventado e vencedor

Análise Exterior

Após 4 gerações, a Renault decidiu arriscar e abandonar o tradicional formato “caixote” das carrinhas monovolume, e pegar em vários conceitos contemporâneos para formar uma carrinha totalmente revolucionária.

Olhando para esta Renault Espace, rapidamente percebemos que quanto ao comprimento, esta claramente se trata de uma espaçosa monovolume.

Renault Espace

Mas quando vista de perfil, rapidamente identificamos os traços coupé que predominam nos novos veículos, e na altura ao solo, que mais parece ter sido “roubada” a um SUV, e que não só permite uma posição de condução mais elevada, mas também algumas incursões por estradas não pavimentadas e trilhos mais aventureiros.

Análise Interior

Renault Espace

Chegando ao interior, rapidamente percebemos o porquê da Renault ter chamado Espace a este carro. Os 4,85m de comprimento, 1,67 de altura e 1,88 largura traduzem-se em espaço quase infinito, e na possibilidade de existirem 7 lugares que podem acomodar facilmente adultos de estatura média durante viagens mais curtas, até mesmo na 3ª fila.

E mesmo com a 3ª fila de acentos em posição, esta carrinha oferece-nos cerca de 250L de capacidade de bagageira, espaço correspondente a sensivelmente 3 malas de cabine. 

Mas caso pretendamos utilizar apenas 5 lugares, o espaço para a bagageira aumenta para os 680 ou 880L, dependendo da posição dos bancos do meio, uma vez que estes são reguláveis em profundidade.

E graças ao espaço existente, em qualquer que seja a posição que estejam estes bancos da 2ª fila de assentos, qualquer adulto fará uma viagem no maior dos confortos, não só no que diz respeito à posição de viagem, mas sobretudo ao espaço para as pernas mas também ao espaço para a cabeça, que de forma alguma é sacrificado, nem mesmo com a existência deste teto de abrir panorâmico.

Quanto à qualidade dos materiais, e tal a marca francesa promete, esta é uma amostra daquilo que a Renault consegue fazer de melhor. Praticamente todos os sítios onde tocamos e que estão visíveis são revestidos em pele e têm um ótimo tacto.

Já para não falar dos bancos frontais, que nesta versão Initiale Paris são eléctricos, aquecidos e ventilados, com apoio lombar e função de massagem. E não imaginam o quão confortáveis se revelam em viagens de auto-estrada.

Algo que nos deixou com sensações mistas foi mesmo o sistema de infoentretenimento.

Renault Espace

O ecrã central está localizado um tudo nada distante do condutor, e implica que nos tenhamos que chegar ligeiramente à frente para fazer alguns ajustes. E apesar de parecer algo confuso e requerer alguma habituação, é na verdade bastante completo, e a partir daqui podemos comandar quase todas as funções do carro.

Nota positiva para a adição de botões analógicos, que de certo modo, facilitam a utilização durante a condução.

Condução

É sentados ao volante que sentimos que as massivas dimensões da nova Renault Espace se fazem sentir como se de um pequeno citadino se tratasse. E porquê? A resposta é o sistema 4Control, que nas versões Initiale Paris vem de série, e que é um opcional nas demais versões.

E o que é que faz este sistema? Essencialmente, o sistema 4Control da Renault é um sistema que faz com que as 4 rodas sejam direccionais, isto é, não só as rodas da frente viram, mas tambéyoum as rodas traseiras, que giram em sentido oposto as rodas frontais a baixas velocidades, reduzindo o raio de viragem, e na mesma direção das rodas frontais a altas velocidades, elevando a estabilidade em curva.

Renault Espace

E quando falamos de altas velocidades, importa realçar que esta Renault Espace é capaz de atingir velocidades bem elevadas, sobretudo quando equipada com o motor 2.0dCi de 200 cavalos. Existe ainda uma outra opção diesel, com este mesmo bloco mas com “apenas” 160 cavalos, e apenas uma versão a gasolina, um motor 1.8 com 225 cavalos.

Este Renault Espace Initiale Paris apenas está disponível nas versões mais potentes, e no caso da motorização diesel de 200 cavalos, é capaz de empurrar os mais de 1800kg deste monovolume de forma delicada, mas ágil, fruto dos 400Nm de binário disponíveis numa grande amplitude de rotações.

No Renault Espace existem ainda 5 diferentes modos de condução: Sport, Confort, Eco, Neutral e ainda o modo Perso, modo esse que pode ser totalmente configurado ao gosto do condutor. E ao contrário do que acontece em alguns carros familiares onde os diferentes modos de condução quase não têm repercussão no comportamento dinâmico do carro, neste monovolume existe uma clara diferença entre os modos mais dinâmicos e os modos mais talhados para o conforto.

Renault Espace

O Renault Espace é um carro desenhado para “comer” quilómetros de alcatrão, e a sua suspensão é mesmo talhada para desempenhar essa tarefa sem qualquer esforço. Todo este carro está pensado para isso, e uma prova é o facto das jantes de 19” estarem equipados com pneus de alto perfil, que cooperam com os amortecedores na hora de transformar os buracos da estrada em nuvens.

Quanto a consumos, a Renault afirma que a Espace equipada com o bloco diesel 2.0 de 200 cavalos é capaz de percorrer 100km gastando 6,6L de combustível. Durante o nosso ensaio, o computador de bordo registou 7,6L/100km.

Preços

Os preços deste monovolume podem efetivamente ser um fator que retire interesse a esta proposta. Não que não justifiquem totalmente a proposta deste automóvel, tendo em conta as suas dimensões, requinte, conforto e potência, mas fruto da incidência dos impostos em Portugal, torna-os quase que “impraticáveis” para o comum trabalhador.

A versão Zen (entrada na gama) com o motor 1.8 a gasolina começam nos 47 000€ e nos 49 000€ para a mesma versão, mas com o motor diesel menos potente.

A versão topo de gama, Initiale Paris, tem preços a começarem nos 59 000€ para esta versão diesel ensaiada.

Conclusão

Tendo em conta os preços dos carros monovolume, o Renault Espace categoriza-se como um carro de segmento médio nesta capítulo, mas oferece luxo, requinte e conforto de um carro topo de gama.

O seu espaço faz jus ao nome e o seu comportamento dinâmico impressiona-nos tanto como as suas linhas vanguardistas, e é por isso um carro familiar que vale a pena considerar.

Veja também