Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Luísa Santos
Luísa Santos
09 Out, 2019 - 14:48

Google ouve as conversas do… assistente da Google!

Luísa Santos

A empresa admitiu: ouve registos gravados através do assistente da Google ou do Google Home. Há funcionários que analisam as conversas e muito mais.

Google ouve conversas do Google Assistant

A dúvida já pairava há muito, e mesmo depois da Google confirmar que nunca ouviu os registos gravados pelos seus utilizadores, vem agora admitir que o faz deliberadamente. As gravações feitas através do assistente da Google ou do Google Home são ouvidas pela empresa, que coloca assim em causa a proteção de dados dos seus utilizadores.

Google admite ouvir gravações dos utilizadores

A tecnologia avança e, com ela, surgem novas formas de comunicar e de pesquisar na Internet. A pesquisa por voz no Google já existe há algum tempo e foi otimizada para novas plataformas, estando agora disponível a partir de mais do que um dispositivo.

Através do chavão “OK, Google” ou “Hey, Google”, o assistente inteligente da empresa é automaticamente ativado para ajudar o utilizador a resolver determinado problema. Esta funcionalidade está disponível nos aparelhos de smart home, como é o caso do Google Home, e em dispositivos móveis (smartphone/tablet), através do Google Assistant.

A partir do momento em que uma gravação é iniciada, mesmo que de forma acidental (já que é possível pressionar botões para ativar o assistente da Google), esta é automaticamente armazenada e categorizada nos servidores da empresa. Até aqui, não existe grande novidade, até porque essa é uma informação que consta, de forma explícita, nos Termos e Condições do serviço.

Aquilo que não se sabia era que a empresa ouvia excertos de cada registo recebido, algo que coloca em causa a privacidade dos dados de cada utilizador.

Investigação conduzida por site belga

A investigação foi levada a cabo pelo site de notícia belga VRT NWS, que revelou que existem funcionários da empresa americana cuja responsabilidade profissional é ouvir as gravações feitas a partir do assistente da Google.

As conclusões são preocupantes e revelaram a existência de registos de episódios de violência doméstica, relações sexuais, informações médicas, moradas – entre outras informações privadas.

O site belga foi mais longe ao publicar cerca de 1000 ficheiros áudio em holandês e flamengo. Desses, foi apurado que 153 foram gravados acidentalmente, alertando para a existência dessa possibilidade entre utilizadores. Aquilo que sempre foi garantido pela Google era que, esses ficheiros, nunca eram ouvidos pela empresa.

google home
Fonte da Imagem: Google/Divulgação

Google afirma que ouve as gravações

Face às revelações do VRT NWS, a Google não teve outra hipótese senão explicar o que estava a acontecer, justificando-se através do funcionamento dos seus algoritmos.

Estamos a falar de algoritmos de autoaprendizagem, isto é, que recorrem à tecnologia para aprender a forma como funcionam.

Por outras palavras, isto significa que, esses algoritmos, aprendem as diferenças e características de cada linguagem através da audição de áudios já armazenados. Mas a verdade é que não é possível dependerem a 100% da tecnologia para funcionarem corretamente, e é precisamente aí que “entra” a intervenção humana.

Para que o assistente da Google seja capaz de reconhecer uma voz, é obrigatório que, o mesmo, construa um guião de gravações de cada vez que é ativado. Esse guião, por sua vez, é verificado pelos funcionários da Google pelo menos duas vezes.

Estes têm de anotar tudo aquilo que é dito, incluíndo pausas e até mesmo quando o utilizador tosse. Só desta forma é possível melhorar o software inteligente de reconhecimento de voz da Google, tornando-o cada vez mais “humano”.

Apesar da situação, a empresa garante que não sabe a quem pertence cada gravação, uma vez que o nome do utilizador é automaticamente substituído por combinações de números.

Em comunicado, a Google afirmou que “especialistas em linguagem analisam cerca de 0,2% de todos os excertos de áudio”.

Veja também