Márcio Matos
Márcio Matos
25 Set, 2019 - 13:01
Ilha dos Amores Douro

A Ilha dos Amores fica no Douro e é um encanto

Márcio Matos

Certamente que se recorda da Ilha dos Amores descrita por Camões. Já a nossa Ilha dos Amores fica no Douro e merece uma visita atenta!

O artigo continua após o anúncio

Não, não vamos dissertar sobre “Os Lusíadas”, mas a verdade é que existe uma pequena ilha deserta e paradisíaca cheia de lendas de amor. Sim, a nossa Ilha dos Amores fica no Douro. Trata-de uma terra de mistérios e lendas, ainda pouco conhecida, mas cheia de encantos e belezas para desbravar.

Faça uma surpresa única a quem mais gosta, levando-a até a esta ilha apaixonante, possuidora de uma Natureza intocada e de um charme muito próprio. Fique a saber mais sobre esta pequena ilha duriense, repleta de surpresas para descobrir.

A Ilha dos Amores fica no Douro. Encante-se

ilha dos amores
A Ilha dos Amores testemunha o cruzamento dos rios Douro e Paiva

Qualquer semelhança com a Ilha dos Amores de Luís de Camões, é mera coincidência… ou talvez não! O certo é que esta é uma ilha igualmente maravilhosa e encantadora, que parece mesmo ter sido criada a partir da imaginação de um criativo poeta. Esta Ilha dos Amores fica no Douro e merece ser visitada.

Origem

A formação desta ilha deveu-se à subida do nível das águas, algo que ocorreu há centenas de anos. Assim, “surgiu” esta porção de terra, atualmente com cerca de 29 metros de altitude e 1400m2. Esta ilha, também designada “Ilha do Castelo”, testemunha o cruzamento dos rios Paiva e Douro, congregando os distritos do Porto, Aveiro e Viseu.

Lendas e mistérios

Claro que não há ilhas sem estórias e contos populares associados e esta não é exceção. Uma das mais conhecidas, fala de um amor proibido vivido há muitos anos entre uma fidalga e o filho de um lavrador.

O amor era recíproco, mas nem por isso aceite, já que alguém de sangue azul não deveria nunca desposar um plebeu. Foram inúmeras as tentativas de encontros entre ambos, sempre reprovados pelo pai da fidalga, até serem definitivamente proibidos. A jovem foi prometida a alguém da sua classe social e o camponês, desfeito com este final e com a impossibilidade de ver a sua amada, decidiu tomar medidas extremas: ao avistar o fidalgo que a iria desposar, matou-o e atirou-o ao rio para apagar qualquer prova do crime.

Em seguida, escondeu-se numa pequena ilha no Rio Douro, a Ilha dos Amores, durante vários anos, com receio de ser apanhado. Durante esse tempo, começou a pensar em levar a sua amada até à ilha, onde poderiam viver felizes e longe dos olhares e opiniões críticas. E assim foi. Porém, quando ambos se dirigiam de barco para o seu novo ninho de amor, levantou-se uma grande tormenta, e o rio, formando um vórtice, engoliu a barca onde os dois se encontravam. Há quem diga que foi o espírito do fidalgo assassinado que veio à superfície para vingar a sua morte.

Contudo, há vestígios arqueológicos que poderão contar, futuramente, a verdadeira história deste local, já que ali se exibem as ruínas de uma torre defensiva que terá muito para contar.

O artigo continua após o anúncio

O que ver?

Esta ilha tem um pequeno cais, onde é possível chegar de barco. Uma vez na ilha, há muitas riquezas naturais para descobrir. Há plantas rasteiras e árvores altas e imponentes, que revelam uma Natureza intocada e ainda num estado selvagem e genuíno.

Pela ilha, é possível encontrar várias espécies de flora como pinheiro bravo e o pinheiro manso, carvalhos, oliveiras, tamargueiras, juncos, freixos, amieiros, entre outros.

O que fazer?

A proposta é simples. Vá até à ilha e usufrua do cheiro doce e fresco do local, do som do rio a correr e dos pássaros a cantar. Esqueça a confusão da cidade e passeie por um pequeno paraíso natural. Dê um mergulho e aproveite as águas cristalinas e calmas que banham esta ilhota.

Como ir?

Reúna a família e os amigos e vá até este pequeno tesouro, que parece saído de um conto de fadas. Se não tem barco próprio e forma de chegar até este local, então saiba como fazer um cruzeiro de iate, através de um programa privado e especial, que permite explorar a ilha e até fazer por lá um piquenique.

Veja também