Inês Silva
Inês Silva
17 Jan, 2023 - 11:55

Lacunas no CV: saiba como justificar

Inês Silva

As lacunas no CV não têm que ser escondidas. Saiba como as referir sem ser mal entendido pelo mercado de trabalho.

como impressionar no CV rapidamente

As lacunas no CV podem significar as mais diversas coisas e nem sempre são negativas, por isso, se anda à procura de emprego, não precisa de as esconder ou disfarçar. Ser honesto e ter confiança no seu percurso, são dois aspetos positivos que o vão valorizar.

É natural que, ao candidatar-se a um emprego, sinta alguma ansiedade em relação aos intervalos de tempo – ou espaços em branco – entre empregos. Mas justificar estes espaços não precisa de ser mais um fator de stress. Fazer uma pausa para estudar, viajar ou dedicar-se a um projeto de voluntariado são, entre outras, razões válidas e apreciadas pelos recrutadores.

Também não tenha medo de referir que foi dispensado de um emprego anterior. Nos últimos anos, devido à pandemia causada pela Covid-19, o mercado de trabalho sofreu alterações e o desemprego inesperado foi uma realidade comum a muitos profissionais. E os recrutadores estão cientes disso.

Assim, ao estruturar o seu currículo, esqueça o intervalo entre empregos e foque-se em evidenciar o que fez durante esse tempo.

Como referir as lacunas no CV?

Um intervalo no percurso profissional pode ter as mais variadas razões. Saúde, motivos familiares, perda inesperada do emprego, arriscar uma atividade por conta própria, estudar ou investir no desenvolvimento pessoal são algumas delas. E nenhuma delas precisa de ser omitida. Pelo contrário, é importante que estes intervalos sejam explicados e não escondidos ou disfarçados com mentiras.

pessoa a ler um currículo num tablet

Identifique os intervalos e explique-os

É mais importante o que fez entre empregos do que a duração dos intervalos. Mesmo que tenha decido viajar. Explique-o porque o fez, os desafios que superou e que novos conhecimentos adquiriu.

É verdade que as competências técnicas são valorizadas, mas as soft skills, como a inteligência emocional, são também cada vez mais valorizadas. Os candidatos são, atualmente, vistos como um todo. Ou seja, na altura da contratação, as caraterísticas pessoais estão ao lado dos conhecimentos profissionais.

Obviamente, se aproveitou o tempo para se especializar em alguma área com cursos e formações, deverá fazer referência a isso aos motivos que o levaram a querer especializar-se.

Evite esconder ou mentir

Seja direto e honesto nas respostas, não fuja às questões sobre as lacunas no CV. Fale com confiança do seu percurso, o que aprendeu e como superou desafios.

Mesmo que seja falar sobre ter perdido o emprego anterior. O mundo passou por uma crise a nível de mercado de trabalho e todos sabem disso, não precisa de esconder. Fale sobre as competências que adquiriu nessas funções e evite falar mal do seu anterior empregador.

Não desvalorize experiências como tentativas de mudar de área profissional, nem esconda o desejo que teve de viver a maternidade ou paternidade em pleno. Se teve que cuidar de algum familiar, diga-o abertamente, mas sem vestir o papel de “coitadinho”, assuma que teve que fazer o que foi preciso fazer. Mostre a sua capacidade de comprometimento.

É importante que conte a sua história de forma honesta e que mostre o saldo positivo que todas essas vivências trazem para o seu lado profissional. Conte as suas experiências pessoais, referindo o que aprendeu e alcançou, como se estivesse a contar uma experiência de trabalho.

Um bom CV não é feito só de sucessos

Não tenha receio de preencher as lacunas no CV com episódios – profissionais ou pessoais – menos bons. O que importa é ter uma boa história, se assim se pode dizer. Mais do que uma história perfeita, é importante mostrar o que aprendeu e que competências desenvolveu nas suas experiências.

Inclua pequenas e grandes conquistas, bem como o que aprendeu formalmente ou informalmente. Mostre que é resiliente e que tem a capacidade para se adaptar a qualquer cenário ou desafio. Será isto que o vai diferenciar de outros candidatos.

Dê destaque à formação às lacunas no CV

Esta será a justificação mais fácil caso tenha decidido, principalmente se acabou agora uma licenciatura, fazer um mestrado, pós-graduação ou doutoramento. Também pode incluir cursos de curta duração ou formações profissionais.

Mas não precisa de ficar apenas pelo percurso académico formal, se viajou ou fez voluntariado em países estrangeiros ou com comunidades estrangeiras, porque não incluir a aprendizagem de línguas e culturas estrangeiras? Faça-o.

É importante enfatizar o papel que a formação contínua e a vontade de aprender tem para si.

Veja também