ebook
Ebook Finanças (s)em Crise
Um guia para tempos complicados
Marta Maia
Marta Maia
22 Ago, 2018 - 11:35

Limite de transferência bancária no Multibanco: como contornar?

Marta Maia

Conheça o limite de transferência bancária no Multibanco e aprenda algumas estratégias para contorná-lo quando precisar de exceder o valor.

Limite de transferência bancária no Multibanco

Por uma questão de segurança, todos os clientes com conta no banco estão sujeitos a um limite de transferência bancária no Multibanco, independentemente do saldo que têm à disposição.

Este limite pode, no entanto, ser incómodo em algumas situações, nomeadamente quando quer pagar alguma coisa que excede o valor estipulado. Assim, vale a pena conhecer algumas estratégias para contornar as regras quando for preciso trabalhar com valores maiores.

Qual é o limite de transferência bancária no Multibanco?

Oficialmente, o limite de transferência bancária no Multibanco é definido pela SIBS, que determina que as máquinas ATM não permitem enviar mais de 100 mil euros de uma conta para a outra numa só operação.

Existe, no entanto, liberdade entre as instituições bancárias para estipularem limites diferentes para os seus clientes (desde que sejam menores que o da SIBS) – direito que alguns bancos usam.

Para si, enquanto cliente, o limite final é o do seu banco, se não coincidir com o da SIBS.

usar caixa multibanco

Por que motivo os bancos estipulam limites diferentes da SIBS?

O limite de transferência bancária no Multibanco é um mecanismo de segurança. Por um lado, se o seu cartão for roubado ou se alguém o forçar a fazer a transferência, o dano pode ser controlado. Por outro lado, se a transferência for fraudulenta ou feita por engano, os bancos têm menos dificuldade em resolver a situação.

Em qualquer dos casos, a limitação serve para protegê-lo a si, ao seu património, e, claro o seu banco.

Como saber qual o limite estipulado pelo meu banco?

A melhor forma de saber o limite de transferência bancária no multibanco praticado pelo seu banco é revendo as condições contratuais, que estarão no contrato que assinou no momento de abertura da conta. Se já não tiver acesso a elas, pode informar-se junto do seu banco.

Note que o limite pode ser atualizado, por isso, se já abriu conta há muitos anos, vale mesmo a pena falar com o banco em vez de confiar unicamente no que diz o contrato inicial.

Numa pesquisa rápida por alguns dos principais bancos a operar em Portugal – e para ficar com uma referência – temos que o Novo Banco, o BPI e o Santander, que respeitam o limite de 100 mil euros estipulado pela SIBS.

O Millennium BCP, por sua vez, baixa o valor para metade e só autoriza transferências no multibanco até 50 mil euros. O banco com regras mais apertadas é a Caixa Geral de Depósitos, que não permite transferências no multibanco acima de 2.500 euros.

Como controlar o limite Multibanco?

Uma das formas de contornar o limite de transferências no multibanco é fazendo várias operações. Na verdade, as regras da SIBS estipulam que 100 mil euros são o limite para a operação bancária, não especificam que são o limite total de transferência. Assim, pode dividir o total a transferir em parcelas mais pequenas e ir fazendo várias operações.

Outra forma de ultrapassar o valor limite das operações no multibanco é usando outra plataforma. Hoje em dia já consegue fazer transferências bancárias, por exemplo, pela internet, e é comum os serviços de netbanking terem limites de transferência diferentes dos que o banco pratica nos terminais de multibanco.

Por último, pode sempre fazer a transferência bancária num balcão de atendimento do seu banco, onde, em teoria, não haverá limites para o montante a transferir.

Em todo o caso, note que tanto as transferências por netbanking como ao balcão podem (e costumam) ter custos associados – e que esses custos podem ser proporcionais ao valor a transferir, o que significa que, se ultrapassar os 100 mil euros, pode pagar bastante pela operação.

Tenha também em atenção que os bancos cumprem critérios de transparência rigorosos, e por isso vão comunicar à Autoridade Tributária as transferências de valores mais altos. Desta forma, espere que as Finanças fiquem a saber sempre que efetuar uma transferência destas grandezas – em particular, o Fisco vai saber quem transferiu, quanto e para a conta de quem.

Porquê insistir com as transferências no Multibanco?

Ainda que o limite de transferência bancária por multibanco possa ser um obstáculo em situações específicas, os terminais da SIBS continuam a ser a melhor opção para enviar dinheiro de uma conta para a outra.

Por um lado, são muito intuitivos e práticos, e estão há tantos anos em funcionamento que praticamente toda a gente sabe usá-los – até os clientes de mais idade.

Por outro, as operações feitas pelo multibanco são gratuitas, contrariando a tendência atual de cobrança de taxas em praticamente todas as plataformas que os clientes bancários têm ao dispor. Melhor ainda: a gratuitidade dos terminais da SIBS está prevista na lei, por isso não é previsível que passe a pagar as transferências no multibanco tão cedo.

Por último, há a questão da ubiquidade: Portugal tem uma cobertura muito grande de caixas multibanco e, havendo uma por perto, não precisa de mais nada. Mesmo que não tenha smartphone, computador ou internet, consegue sempre fazer as suas operações.

Veja também