Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Teresa Campos
Teresa Campos
31 Ago, 2020 - 12:03

Máscaras e saúde oral: todos os cuidados que deve ter

Teresa Campos

A relação entre as máscaras e saúde oral pode ter consequências negativas para os dentes e a gengivas. Perceba os riscos e as precauções a ter.

dentista com máscara no consultório

Dentistas de todo o mundo estão a começar a alertar para as consequências na saúde oral do uso recorrente de máscara, devido à pandemia de COVID-19. As máscaras e saúde oral podem ser uma equação que resulta na queda de dentes ou em doença gengival, entre outros problemas reportados.

Dois dos melhores dentistas de Nova Iorque explicaram ao Mail Online as razões possíveis para esta situação e deixaram informações muito úteis sobre esta matéria. Perceba os riscos da máscara e saúde oral e fique a saber quais os cuidados a ter.

Máscaras e saúde oral: o que dizem os dentistas?

De acordo com os dentistas, usar máscara faz com que as pessoas respirem mal (isto é, pela boca) e, por isso, fiquem com a boca demasiado seca. Uma boca seca é uma boca com pouca saliva, substância fundamental para neutralizar os ácidos presentes na boca; prevenir a queda de dentes e as doenças das gengivas; combater as bactérias; e limpar os dentes.

Segundo um dos dentistas consultados pelo Mail Online, a doença gengival pode mesmo aumentar o risco de ataques cardíacos.  

Marc Sclafani, da One Manhattan Dental, refere ainda que cada vez chegam mais pacientes à clínica a queixarem-se de mau hálito e a pedirem limpezas orais. Normalmente, esse odor desagradável já é indício de que existe uma doença periodontal ou de que há bactérias na boca.

dentista a tratar paciente

Cáries

Rob Raimondi declarou à Fox News que os dentistas têm visto infeções orais em gengivas de pessoas que foram sempre saudáveis e cáries em indivíduos que nunca tiveram esse problema. De acordo com o especialista, cerca de 50% dos seus pacientes estão a sofrer destes problemas, segundo ele decorrentes do uso prolongado de máscara.

Esta prevalência das cáries está diretamente relacionada com a escassez de saliva na boca. Sem saliva, há mais bactérias na boca e, consequentemente, mais cáries.

Mau hálito

É natural que o lado interno da máscara não cheire propriamente bem. É que, ao respirarmos, nós expiramos muito mais do que ar, por isso é natural que a acumulação desses vapores exalados resulte num odor desagradável.

A solução para isso passa, essencialmente, por consultas dentárias mais regulares e por escovar e bochechar os dentes mais frequentemente com produtos com flúor. Além disso, é importante trocar de máscara com regularidade, sempre que começar a sentir que ela está húmida ou, então, de 4 em 4 horas.

Contudo, convém sublinhar que se o cheiro que sente, proveniente da sua respiração, for demasiado forte e desagradável, então esse também pode ser um sinal de doença periodontal, pelo que deve consultar o seu dentista o quanto antes.

Tratamento no dentista
Não perca COVID-19: tudo o que precisa saber se tem que ir ao dentista

Recomendações finais

Para tentar evitar estes problemas, é importante beber muitos líquidos (entenda-se água!); escovar frequentemente os dentes, pelo menos duas vezes por dia; usar regularmente fio dentário; e tentar respirar corretamente, pelo nariz, mesmo quando estiver com a máscara colocada.

É, ainda, importante ir mais regularmente ao dentista, de modo a prevenir e a controlar o surgimento de alguns problemas. Aproveite também para bochechar, uma vez por dia, soluções com flúor.

Se se tiver esquecido de levar máscaras extra para trocar e lavar a máscara não é opção no momento, saiba que há algumas soluções para refrescar a máscara e conseguir afastar aquele odor e hálito desagradáveis.

Além de poder colocar na boca uma pastilha de menta, sem açúcares, nem corantes, claro, pode deixar cair na máscara umas gotas de óleos essenciais, com os seus aromas favoritos, e conseguirá disfarçar temporariamente esse cheiro incomodativo.

Veja também