Valdemar Jorge
Valdemar Jorge
16 Mar, 2021 - 18:58

Mercedes-Benz 280 SE 3.5 Cabriolet: o antecessor do Classe S

Valdemar Jorge

O Mercedes-Benz 280 SE 3.5 Cabriolet é um dos clássicos mais fascinantes da marca alemã e um dos mais cobiçados por colecionadores.

Mercedes-Benz 280 SE 3.5 Cabriolet

A história do Mercedes-Benz 280 SE 3.5 Cabriolet começa com o nascimento de um outro modelo, o Mercedes-Benz W111 (código de chassis). Produzido entre 1959 e 1971, este incluiu automóveis de 4 portas (1959-1968) e coupé e cabriolet de duas portas, entre os anos de 1961 a 1971.

Estes modelos da marca de Estugarda caraterizavam-se pela carroçaria que, na secção traseira, apresentava um design chamado, na época, “barbatanas de cauda”. Este estilo repercutia a moda norte-americana.

O W111 era animado por motor de 6 cilindros em linha de 2,2 litros e estava disponível em mais do que uma variante de carroçaria. Em 1961, os automóveis recebiam motor de 4 cilindros em linha de nível básico e partilhavam o chassis e carroçaria do W111, sendo designados como W110  e W112.

Este era um sedã de luxo, com construção de alta qualidade num chassis W111, com apontamentos exclusivos na carroçaria, motor 3.0 litros, de 6 cilindros (M189) com injeção de combustível.

A versão cabriolet e coupé, de duas portas, que chegaram um pouco mais tarde, tinham assinatura do projetista Paul Bracq e linhas que seguiam as dos modelos W111 e W112.

Mercedes-Benz 280 SE: cinco versões em 3 anos

Os modelos 280 SE tiveram assinalável êxito e conheceram, em pouco mais de três anos, cinco versões diferentes entre modelos coupé e cabriolet, quer com caixa manual, quer com caixa automática:

  • Coupé, 1967: 2778 cc, 160 cv, 2 portas, gasolina;
  • Cabriolet, 1967:  2778 cc, 160 cv, 2 portas, gasolina;
  • Cabriolet, 1969:  3499 cc, 200 cv, 2 portas, gasolina;
  • 3.5 Coupé Automatic, 1969: 3499 cc, 200 cv, 2 portas, gasolina;
  • 3.5 Coupé ,1969: 3499 cc, 200 cv, 2 portas, gasolina.

Mercedes-Benz 280 SE 3.5 Cabriolet estreia em 1961

O Mercedes-Benz 280 SE começou a ser produzido no final de 1960, na versão coupé que debutou em Fevereiro de 1961, marcando o 75.º aniversário da inauguração do Museu Mercedes-Benz, em Estugarda. A versão descapotável foi apresentada alguns meses mais tarde no Salão Automóvel de Frankfurt.

Com design muito semelhante ao coupé, o cabriolet distinguia-se pela exuberante capota colorida em lona que, quando aberta, recolhia em espaço próprio junto ao banco traseiro. Para que não sofresse danos, a capota era coberta por uma capa em couro, na cor dos bancos.

Como opcionais a marca disponibilizava, no coupé, teto de abrir, transmissão automática, direção hidráulica e bancos traseiros individuais.

O modelo 280 SE 3.5, conhecido por ser o topo de gama desta versão, surgiu com o motor novo (M116) de 3.499 cc V8 que debitava 200 cv às 5.800 rpm em agosto de 1969. Assim, foi o primeiro automóvel (coupé) da Mercedes-Benz do pós-guerra com motor com mais de 3.0 litros.

A velocidade máxima era de 210 km/h, com transmissão automática e o tradicional 0-100 km/h era cumprido em 9,5 segundos.

Mercedes-Benz 280 SE 3.5 Cabriolet: design intemporal num clássico muito cobiçado

Mercedes-Benz 280 SE 3.5 Cabriolet
Daimler Global Media Site

O modelo descapotável da marca alemã seguia, em termos de design, a linha do coupé. Assim, apresentava nova grelha frontal, mais baixa e larga e os para-choques dianteiro e traseiro também tinham novo estilo. Recebiam, para além disso, umas tiras em borracha, enquanto os farolins traseiros apresentavam um desenho mais fluído.

Tido com um dos último modelos verdadeiramente apelidado de clássico da marca alemã, e por isso muito cobiçado, o 280 SE 3.5 Cabriolet, foi produzido até julho de 1971. No total foram produzidos cerca de 7.456 exemplares.

Facilmente identificável pelo seu design, frente longa e baixa, em contraste com uma secção traseira curta, o 280 SE 3.5 teve como sucessor indireto o modelo, também coupé, SLC. Este era um SL Coupé, mas que não apresentava uma ligação direta com a conhecida gama Classe S.

O verdadeiro sucessor desta linhagem de automóveis com potentes motores, sofisticados sistemas de segurança, para a época, e donos de um conforto e luxo, foi o Mercedes-Benz C126 SEC, coupé de duas portas comercializado entre 1981 e 1990.

Os modelos que antecederam a bem sucedida Classe S

A Mercedes-Benz, além de ser conhecida pela qualidade dos seus sedãs, ganhou espaço e conquistou fama com os seus modelos conversíveis de luxo. Se recuarmos, esta fama remonta já aos anos 20 do século passado.

Nessa altura, a marca alemã debutava os primeiros cabriolet de luxo. No entanto, foi apenas mais tarde, com a designada série 200 (W187), que surgiu em 1951 e com o 300 S (W188) em 1952, que teve início a linhagem de automóveis que hoje conhecemos com Classe S. Estes são, também, a expressão da melhor tecnologia e a tradução do luxo e qualidade de construção, em forma de automóvel.

Com o decorrer dos anos estes modelos evoluíram e deram lugar a vários outros modelos, tais como:

  • Mercedes-Benz 220 S (W180);
  • 220 SE (W128);
  • 220 SE (W111);
  • 300 SE (W112);
  • Mercedes-Benz 280 SE 3.5 Cabriolet (versão de topo).

Após estes, quem assumiu o papel do cabriolet mais sofisticado da marca alemã foi o modelo SL.

Veja também

Aviso Legal

O Ekonomista disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento fiscal, jurídico ou financeiro. O Ekonomista não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral e abstrata, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui qualquer garantia nem dispensa a assistência profissional qualificada. Se pretender sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected]mista.pt.