Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Pedro Andrade
Pedro Andrade
25 Fev, 2019 - 10:25

5 metas financeiras a atingir antes de ter filhos

Pedro Andrade

Está a pensar em aumentar a família? Então, este artigo é para si. Saiba quais são as metas financeiras a atingir antes de ter filhos.

5 metas financeiras a atingir antes de ter filhos

Com a chegada dos filhos, a vida muda completamente: as prioridades mudam, surgem novos gastos e a vida passa a ser encarada de uma forma totalmente diferente. Contudo, existem metas financeiras a atingir antes de ter filhos que devem ser cumpridas.

Assim sendo, é necessário planear as finanças e estabelecer um novo orçamento familiar de forma a garantir conforto e estabilidade para o novo membro da família.

Das fraldas ao leite, passando pelas roupas, berço, carrinho de passeio, fraldário, brinquedos e idas ao médico, a chegada de um filho traz um conjunto alargado de novas despesas bem elevadas. Mas há mais: além destas despesas variáveis, as contas lá de casa também sofrem um aumento – luz, gás, água e supermercado disparam e nada volta a ser igual.

Em Portugal, segundo um estudo de 2008 (o mais recente) da Universidade de Coimbra, coordenado pelo psicólogo Eduardo Sá, os pais portugueses gastam, em média, entre 236 e 678 euros por mês com cada filho até aos 25 anos. Valores elevados e que assustam muitos portugueses que querem dar um novo passo na sua vida.

Hoje em dia, há mais crianças a nascer na Europa, mas Portugal continua entre os piores classificados neste ranking de nascimentos: temos a segunda pior taxa de natalidade. De acordo com os dados mais recentes do Eurostat – lançados em 2018 -, em 2016, houve uma média de 1,36 nascimentos por cada mulher em idade fértil.

Está a pensar em ter filhos? Considere estas metas financeiras

metas financeiras a atingir antes de ter filhos

Roupas, alimentação, mensalidade escolar, atividades extracurriculares, festas de aniversário, férias, semana e visitas de estudo são apenas algumas das despesas associadas à chegada de um filho.

Não existe nenhuma regra que defina a percentagem exata para o peso de cada criança no orçamento familiar, mas é necessário garantir que as metas financeiras a atingir antes de ter filhos são cumpridas.

1. Aposte numa carreira estável

Este é um ponto essencial para garantir estabilidade à sua vida a longo prazo, mesmo antes da chegada dos filhos. Para conseguir estruturar o seu orçamento mensal e certificar-se de que é possível fazer ajustamentos e mudanças com a chegada de um novo membro à família, é necessário que garanta uma situação laboral segura.

Seja trabalhador por conta de outrem ou trabalhador independente, o importante é que faça as contas e garanta uma base sólida que sustente o crescimento da família.

Se está a pensar em ter filhos, informe-se sobre os benefícios facilitados pela sua empresa, como é o caso do seguro de saúde e outras vantagens para agregados familiares alargados.

2. Garanta que tem dinheiro para suportar todas as despesas

É importante garantir uma execução rigorosa do orçamento familiar. Faça as contas, defina as suas prioridades e certifique-se que, além do valor necessário para pagar todas as despesas, consegue colocar algum montante de parte, todos os meses.

Para evitar surpresas desagradáveis, comece a planear com alguma antecedência e crie uma poupança especial para cobrir os gastos até um determinado momento da vida da criança.

3. Crie um fundo de emergência

Já fez as contas e está certo de que os seus rendimentos são suficientes para permitir a chegada de uma criança e garantir o conforto de todo o agregado familiar. Ainda assim, deverá garantir uma poupança para cobrir o surgimento de eventuais emergências.

Utilize a regra dos 10%: os especialistas em economia familiar dizem que, todos os meses, deve colocar de parte 10% do valor que amealha mensalmente. Se este número parecer demasiado elevado, sobretudo com a chegada de um novo rebento à família, comece com 5%.

Seja qual for o cenário, o mais importante é conseguir criar um fundo de emergência e poupar dinheiro todos os meses para enfrentar qualquer emergência.

4. Comece já a preparar a reforma

Sim, leu bem. Esta é mesmo uma das metas a atingir antes de ter um filho: não basta garantir que consegue pagar as despesas inerentes à chegada de um bebé, é importante conseguir assegurar o seu conforto durante a velhice, preparando a reforma com antecedência.

Alguns especialistas financeiros, os mais otimistas, dizem que, durante a reforma, gastamos cerca de 80% do valor que despendemos durante a vida ativa. Outros defendem que essa percentagem chegará aos 120%. Dois cenários que o obrigam a pensar neste cenário desde muito cedo (idealmente a partir do momento em que entra no mercado de trabalho).

Há várias formas de garantir o seu conforto durante os últimos anos da sua vida: PPR, certificados de aforro, investimentos seguros e de risco. Não faltam opções, basta escolher a que mais o satisfaz.

5. Pense a longo prazo

Bem sabemos que, nos dias de hoje, criar um filho é caro. É importante que estabeleça metas a longo prazo e que defina estratégias para as despesas decorrentes da educação do seu filho, como é o caso da faculdade.

Segundo o estudo “O Custo dos Estudantes no Ensino Superior”, no ano letivo de 2015/16, cada estudante universitário gastou, em média, 6.445 euros por ano.

Valores elevados e que o obrigam a pensar no futuro dos seus filhos bem antes da chegada dos rebentos ao agregado familiar. É importante que o montante que consiga poupar todos os meses também sirva para estruturar este cenário.

Veja também: