Olga Teixeira
Olga Teixeira
09 Out, 2023 - 14:36

Alarme em casa: 10 perguntas e respostas para decidir-se por um

Olga Teixeira

Vale a pena ter um alarme em casa? Esclareça as suas dúvidas sobre estes equipamentos e saiba como escolher a opção certa.

alarme em casa

Ter um alarme em casa já não é apenas uma forma de se proteger de assaltos. Os sistemas de alarme estão cada vez mais inteligentes e têm outras funcionalidades úteis para garantir a segurança quando não está em casa.

Embora Portugal seja um país seguro (6.º lugar no Índice global da paz em 2022) e os furtos em residências estejam a diminuir (verificaram-se 9 276 casos em 2022), a proteção das casas continua a ser uma preocupação. Os números das empresas de segurança — bem como a crescente oferta de soluções — parecem indicar uma maior procura por sistemas de alarme.

Afinal, é mesmo necessário investir num alarme, mesmo que more num apartamento ? Será que compensa ter um sistema de alarme para casas de férias? Descubra algumas respostas que podem ajudar na decisão.

10 respostas para ajudar a decidir-se por ter um sistema de alarme em casa

1.

Vale a pena ter um alarme em casa?

A decisão de ter um alarme em casa depende de vários fatores, que vão da localização do imóvel até ao facto de precisar de segurança para uma segunda habitação.

Se, até há pouco tempo, a decisão de instalar um sistema de alarme era mais comum em moradias, casas em áreas isoladas ou em locais com muita criminalidade e estabelecimentos, hoje parece ser uma prática mais generalizada.

Dado que muitos alarmes já têm outras funções para além de alertar se um intruso entra em casa, talvez valha a pena considerar adicionar uma camada extra de segurança para a sua habitação e bens.

2.

Como funcionam os alarmes?

Os alarmes funcionam com detetores, que comunicam com um equipamento central, que é ativado sempre que algo de anormal é detetado.

O sistema vai então emitir um alerta, que pode ser sonoro (sirenes) e / ou notificar o proprietário ou a empresa de segurança, nos casos em que está ligado à central destas empresas.

Nos casos em que há contrato com uma empresa de segurança, esta verifica a existência de algo anormal e, caso exista um problema, comunica com as autoridades.

3.

Quais são as peças que compõem um alarme?

Os sistemas de alarme são compostos por detetores, painel de controlo e teclado ou controlo remoto.

Os detetores, com ou sem câmara, identificam movimentos suspeitos ou, caso estejam preparados para isso, fumo ou inundações. Os sensores dos sistemas de alarme são geralmente colocados junto a portas e janelas.

O painel ou central de controlo tem ligação aos detetores e funciona como centro do sistema. Depois de receber a informação dos sensores (geralmente através de wi-fi), a central emite um alerta para a empresa de segurança ou para o proprietário do alarme.

O teclado, geralmente colocado junto à entrada principal da casa, serve para ligar a desligar a alarme. O sistema também pode ser acionado por controlo remoto ou através de apps instaladas no telemóvel, tablet ou computador.

4.

Há mais do que um tipo de alarme para casa?

Há vários tipos de alarme. Os mais básicos são kits que qualquer pessoa pode comprar instalar. Neste caso, só faz o investimento inicial da compra do equipamento.

Os alarmes ligados a uma central gerida por uma empresa de segurança implicam o pagamento de uma mensalidade.

Em termos de equipamentos, há várias opções, que podem incluir, por exemplo, câmaras de vigilância, áudio ou outras funcionalidades.

5.

Um alarme em casa só protege contra assaltos?

Não. Apesar de os alarmes terem muitas vezes como objetivo principal evitar assaltos, os sistemas mais recentes já têm outro tipo de funcionalidades.

Alguns modelos têm sensores fotoelétricos que conseguem detetar fumo ou temperaturas demasiado altas, emitindo um alerta de incêndio. Outros são ativados quando existe água ao nível do solo, alertando para inundações.

Há alarmes pensados para quem tem animais de companhia, que permitem vigiar e até comunicar com os pets quando não está em casa. Nestes sistemas, existe uma funcionalidade para que os sensores de movimento identifiquem os animais e não acionem o alarme sempre que existe movimento.

Alguns alarmes úteis para pessoas idosas ou acamadas, permitindo acionar o sistema em caso de emergência. A existência de botões de pânico, para que possa ativar o alarme em caso de perigo imediato, é outra funcionalidade presente em alguns sistemas.

6.

Que funcionalidades posso encontrar num alarme inteligente?

Entre as principais funcionalidades dos alarmes estão as notificações em tempo se o alarme for acionado. É possível escolher o tipo de notificações que quer receber (por exemplo, se a porta for aberta ou uma luz acender) e quem as pode receber.

As câmaras de vídeo permitem que, mesmo estando fora de casa, possa ver tudo o que se passa. Há opções que possibilitam a gravação de imagens ou comunicação áudio bidirecional.

Ligar e desligar o alarme à distância e controlar dispositivos e eletrodomésticos através da app são funcionalidades disponíveis em alguns sistemas.

Os sistemas de alarme mais modernos “avisam” se sair de casa sem os ligar ou se as baterias do equipamento estiverem a precisar de substituição.

Outra funcionalidade comum é a possibilidade de desativar o alarme para determinadas divisões ou horários.

7.

Como escolher o melhor alarme residencial?

A escolha do alarme para sua casa depende de fatores como o tipo de habitação. O melhor sistema de alarme para uma moradia é diferente do modelo ideal para quem mora num edifício com vários andares. Mas se habitar num rés-do-chão, é aconselhável ter alguns cuidados extra com a segurança, já que será mais fácil o acesso por janelas ou varandas.

Se tem uma segunda habitação, onde só vai nas férias ou em alguns fins de semana, poderá fazer sentido ter um alarme.

O local onde fica a casa também é um fator importante na escolha do alarme. Se for um local isolado ou uma área onde os assaltos são frequentes, talvez valha a pena considerar o investimento num sistema de alarme mais sofisticado.

Entre os fatores a considerar para escolha estão igualmente o tipo de bens que tem em casa e o estilo de vida de quem a habita e se existem ausências frequentes ou prolongadas.

8.

Qual é o preço de um alarme?

O preço depende não só do tipo de sistema de alarme que escolher, mas também da existência de um contrato com uma empresa.

Os kits para serem instalados pelos próprios podem custar algumas dezenas ou centenas de euros, dependendo das funcionalidades.

Se recorrer a uma empresa especializada e quiser ter uma ligação permanente à central dessa empresa, é necessário pagar um valor mensal. Mais uma vez, o custo depende do tipo de equipamento e serviços. Assim, talvez seja melhor pedir vários orçamentos e comparar a relação custo/funcionalidades.

9.

Como se instala um alarme em casa?

Os alarmes podem ser instalados por si ou por uma empresa especializada. Se optar pela solução “faça você mesmo”, deve ter em conta fatores como:

  • pontos mais vulneráveis em termos de segurança;
  • dimensão das divisões, o que pode obrigar a colocar vários detetores no mesmo espaço;
  • localização dos sensores;
  • local para instalação da unidade de controlo – devem ficar perto de portas e janelas e junto a uma tomada elétrica;
  • se o sistema tem ou não tem fios;
  • sinal de wi-fi;
  • instruções do fabricante – leia com atenção e faça a instalação de acordo com o que pedem.

Se optar pelos serviços de uma empresa, serão os técnicos a fazer a instalação.

10.

A polícia sabe que tenho um alarme em casa?

Se o seu sistema de alarme tiver uma sirene que se ouça na rua ou um botão de pânico, terá de fazer uma comunicação e o registo na autoridade policial (PSP ou GNR) na sua área de residência.

Este contacto com as autoridades tem de ser feito pelo utilizador no prazo de cinco dias úteis após a montagem do sistema.

Para fazer o registo é necessário indicar nome, morada e o contacto das pessoas ou serviços que, caso o alarme seja acionado, o podem desligar.

Deve igualmente garantir que, se a sirene começar a tocar, alguém deverá, no prazo de duas horas, comparecer no local para o desligar.

Onde encontrar o alarme certo para si em Portugal

Conheça algumas empresas em Portugal que oferecem serviços de instalação de alarmes residenciais:

Securitas Direct Portugal

A Securitas Direct é uma das principais empresas de segurança em Portugal, oferecendo serviços de alarme residencial com monitorização 24 horas por dia. Têm uma ampla gama de soluções de segurança e sistemas de alarme ligados a uma central de monitorização. Pode também calcular o preço do alarme no site.

Prosegur

A Prosegur é outra empresa líder em segurança que oferece serviços de instalação de alarmes residenciais em Portugal. Fornecem soluções de segurança personalizadas, incluindo sistemas de alarme e monitorização em tempo real. Pode também simular o preço do alarme no site.

Lembre-se de que a escolha da empresa de alarme residencial deve levar em consideração as suas necessidades específicas, orçamento e preferências. É importante entrar em contacto com várias empresas, solicitar ou simular orçamentos e verificar as avaliações de clientes antes de tomar uma decisão final.

Fontes

Diário da República Eletrónico: Lei n.º 34/2013

Veja também

Artigos Relacionados