ebook
GUIA DO REGRESSO ÀS AULAS
Prático e Descomplicado
Mónica Carvalho
Mónica Carvalho
29 Jun, 2021 - 09:00

Casa sempre protegida: saiba como escolher um sistema de alarme

Mónica Carvalho

Proteja a sua casa dos furtos e roubos, escolhendo e instalando um bom sistema de alarme. Conheça os passos a seguir para fazer a escolha certa.

sistema de alarme

São cada vez mais as pessoas que adquirem um sistema de alarme para minimizar as possibilidades de serem vítimas de um assalto à sua residência. As opções de escolha são cada vez mais variadas, completas e adaptadas à evolução tecnológica que o mundo enfrenta, dia após dia.

Contudo, para que a sua casa esteja realmente segura, é importante que a escolha do sistema de alarme seja adequada às características específicas da mesma e de quem lá vive.

Este guia vai mesmo ajudá-lo.

Como determinar as necessidades de segurança da sua casa em 7 passos

Atualmente, existem muitas opções de sistemas de alarme para casa, pelo que o excesso de informação poderá confundir mais do que ajudar a escolher. Nesse sentido, deve, então, começar por fazer uma pesquisa preliminar a todas as suas necessidades de segurança e de acordo com o orçamento disponível para esta questão.

controlar sistema de alarme
1

Características da casa

Analise cuidadosamente as características de casa para saber quantas janelas e portas tem, bem como a sua localização/distribuição, e quais necessitam de ser protegidas contra possíveis assaltos.

Nesta equação deve também considerar se existem grades ou barras de proteção nas janelas/portas.

2

Que funcionalidades são importantes?

Com base nas características da habitação, defina as funcionalidades que considera indispensáveis no alarme de sua casa, como, por exemplo, sensores de movimento, sensores de temperatura ou detetores de zona. Certifique-se do que realmente necessita/pretende.

3

Determine os locais para instalar painel de controlo e teclados

Perto da porta da entrada é geralmente uma localização conveniente para um teclado e painel de controlo, até porque este serve para ligar e desligar o alarme.

Apesar desta ser a localização mais frequente, escolha uma zona da casa que seja de fácil acesso aos habitantes.

4

Tipo de sistema

Saiba que se pretende um sistema de monitorização 24 horas por dia terá de pagar uma taxa mensal. Há ainda uma escolha mais económica que incluem sensores básicos, sistema através do qual se liga para números pré-selecionados sempre que a residência for invadida. Não se esqueça que, no caso de ter animais, a opção por sensores de movimento deve ser validada de outra forma.

5

Sistema wireless ou com fios

Determine a que distância estão as janelas e portas do painel de controlo, pois é assim que vai saber se precisa de um sistema de alarme wireless ou se é suficiente um sistema de alarme com fio (cabos).

6

Considere o perfil e estilo de vida dos residentes

Aspetos como as horas que a casa fica desabitada, a sua localização, se tem animais, entre outros, são importantes na escolha de um sistema de alarme.

O sistema de alarme de uma habitação de um residente com mobilidade reduzida ou de uma casa isolada, por exemplo, tem de ser necessariamente diferente de um sistema para uma casa permanentemente habitada ou numa área residencial com muitos vizinhos.

7

Não tenha medo de colocar questões

Assista ao processo de instalação e montagem do sistema de alarme de modo a aprender a trabalhar com ele. Não se esqueça que os outros residentes também têm de ser informados.

Certifique-se que o sistema funciona tal como o desejado e leia atentamente o contrato para evitar surpresas posteriores – não tenha receio de colocar questões, porque este é mesmo o momento ideal para o fazer.

Elementos essenciais que compõem o alarme da sua casa

Falamos aqui em vários termos que até são comummente conhecidos, mas passamos a explicar melhor. Afinal, se um sistema de alarme vai passar a fazer parte da sua vida, então, deve saber tudo o que o mesmo implica.

  • Central de controlo: entidade responsável pela receção dos sinais enviados pelos detetores, bem como pela ativação do alarme;
  • Teclado: serve para ativar e desativar o alarme. Idealmente, deve estar instalado à entrada da sua casa e pode, inclusivamente, ter comando à distância ou até ser controlado via smartphone;
  • Detetor de movimentos: sistema que indica à central de controlo que existem movimentos em determinada zona da habitação. Nesse sentido, os sensores devem ser instalados nos locais mais propícios ao acesso de intrusos, de modo a manter a casa em segurança e tornar o sistema de alarme eficaz;
  • Sirenes: tanto podem ser interiores ou exteriores. Elas recebem os sinais de alerta da central de controlo e emitem sinais sonoros que alertam para a presença de algum movimento estranho.
  • Botão de pânico: se está em sua casa e ouve algum barulho suspeito e fica com receio acerca da sua segurança, pode considerar a instalação de um botão de pânico. É especialmente útil para quem vive sozinho ou para algum idoso. Ao pressionar, é dado um alerta imediato para a central.

Agora que já sabe tudo aquilo que tem de decidir antes de escolher um bom sistema de alarme, peça orçamentos e velha as melhores propostas, para dormir descansado e ir de férias sem receios.

Veja também