Luana Freire
Luana Freire
01 Ago, 2023 - 15:05

8 melhores cidades em Portugal e Espanha para nómadas digitais

Luana Freire

Conheça as cidades de Portugal e Espanha escolhidas por quem quer trabalhar remotamente.

Um destino, um telemóvel, um computador ou um tablet, uma secretária num espaço de co-working, talvez a mesa de um café ou, quem sabe até, uma esplanada ensolarada com acesso wi-fi. Estes ingredientes, somados ao desejo de viajar e experimentar o novo, são aquilo que basta para que um nómada digital possa trabalhar remotamente – esteja ele onde quiser.

O nomadismo digital é, cada vez mais, um estilo de vida que atrai profissionais. E há mesmo ótimas razões para tal, afinal, quem não sonharia poder trabalhar a partir de qualquer parte do mundo, enquanto desfruta de boas paisagens e novas culturas?

Já apetece uma dose de nomadismo? Então, vai gostar de conhecer as 8 melhores cidades portuguesas e espanholas para quem quer trabalhar “fora da caixa” – especialmente agora, que os dois países oferecem o visto nómada digital (uma das boas novidades presentes na Lei de Estrangeiros).

Top 8 das melhores cidades da Península Ibérica para Nómadas Digitais

Para os que já adotaram o nomadismo digital, Portugal e Espanha reúnem muitas das cidades que são destaque entre as escolhas de destino – e nós conseguimos perceber o porquê: praias, sol, paisagens deslumbrantes, temperaturas amenas, ótima comida, acesso à União Europeia (UE) e custos de vida mais amigos da carteira.

A empresa Holidu, o portal de reservas para alojamento de férias, listou as melhores cidades de Portugal e Espanha para os nómadas digitais:

1.

Lisboa, Portugal

A nossa Lisboa é a melhor cidade da península para os nómadas digitais, mas não só: a capital portuguesa ocupa também o primeiro lugar na classificação europeia.

É por lá que encontra a famosa casa do delicioso pastel de nata, bebe de excelentes vinhos e ouve o fado a encher as ruas, enquanto a cidade fica preenchida da melhor energia.

O trabalho remoto em Lisboa permite aos profissionais desfrutar de uma cidade verdadeiramente encantadora nos seus tempos livres – e que tal um mergulho no mar logo pela manhã, para começar o dia em grande?

2.

Barcelona, Espanha

Parque Guell

Barcelona dispensa maiores apresentações: é linda, ampla, divertida, repleta de “coisas para fazer” e respira cultura.

A sua arquitetura única é um verdadeiro museu a céu aberto, com os trabalhos de Gaudi à disposição de todos que queiram fazer uma fotografia para as redes sociais – aliás, sabia que Barcelona é uma das 10 cidades mais “Instagramáveis”? Se é para partilhar uma imagem com a hashtag #barcelona, não deixe de capturar os deslumbrantes cenários criados por Gaudi, como a Sagrada Família e o Park Guell.

A cidade dispõe de 136 espaços de co-trabalho e a velocidade da Internet é impressionante, com uma média de 37 Mbps.

3.

Madrid, Espanha

Roteiro de 3 dias em madrid

É uma capital amplamente reconhecida por atrair estrangeiros de todo o mundo e, por esta razão, é claramente um dos melhores destinos europeus para os nómadas digitais.

Madrid é um verdadeiro deleite para quem adora cultura e reúne alguns dos museus mais famosos e importantes do mundo, como o incontornável Museu do Prado – que é, aliás, parte de umas das quase duas mil “coisas para fazer” na cidade.

E se quer fugir dos céus cinzentos, vai gostar de saber que Madrid reserva uma média de 2.769 horas de sol por ano.

Há, pelo menos, 125 espaços de co-working na cidade e não faltam excelentes locais para convívios. Um happy hour despois do trabalho é sempre boa ideia e, claro, vai adorar desfrutar de tudo enquanto saboreia as famosas tapas de Espanha.

4.

Porto, Portugal

Hotéis baratos no porto

A Invicta portuguesa, uma das mais importantes e belas cidades do país, é um destino que atrai cada vez mais estrangeiros – seja para visitar, para viver ou para estar como nómada digital. E é tal fácil perceber o porquê!

O Porto é famoso pela arquitetura, pelas pontes, pela vida noturna animada e, claro, pelo mundialmente famoso vinho do Porto.

Para os nómadas digitais a cidade é especialmente atraente porque oferece realmente muitas “coisas” para fazer e ver. Depois do trabalho e nos dias de folga, explore a cidade a pé, descubra edifícios incríveis, relaxe nos jardins “secretos” e desfrute das mais belas paisagens que mostram o Porto a emoldurar o rio Douro. Não deixe de saborear a sua bebida de eleição numa esplanada e de sentir a atmosfera vibrante desta cidade.

E para comer? O Porto abriga excelentes opções de restaurantes para todos os gostos e não faltam pratos típicos deliciosos para experimentar – a boa notícia é que também os veganos e vegetarianos vão ficar muito bem servidos à mesa.

É uma cidade com uma ampla oferta de alimentação e a um preço médio por refeição bastante apetecível – uma refeição custa, em média, 5,54€. É, portanto, um destino considerado como realmente barato para se comer bem, se comparado com outras cidades europeias.

5.

Valência, Espanha

Valência fica na Costa Blanca e é famosa pelas temperaturas agradáveis que duram todo o ano – ou seja, é ideal para nómadas digitais que priorizem estar ao ar livre.

Se não sabe, fica a saber: a cidade é o berço das famosas paellas espanholas e cenário das festas mais apetecidas do país – as Fallas, que acontecem sempre em março.

Não importa se prefere trabalhar do seu apartamento alugado ou de um espaço co-working, a verdade é que vai querer passar pelas praias da Costa Blanca, conhecidas pela excelente limpeza e qualidade. São fáceis de alcançar a partir de Valência por transportes públicos ou táxi, e os preços médios rondam apenas 0,79€ por km.

6.

Málaga, Espanha

Málaga é a “Barcelona do Sul” – e alcunha tem razão de existir. É um destino que oferece aos nómadas digitais todas as regalias que procurariam numa cidade grande, mas com o charme que se encontra numa cidade pequena.

É um paraíso para os fanáticos por sol, com uma média impressionante de 3.364,87 horas de luz natural por ano. Nem será preciso dizer que o tempo convida mesmo a aproveitar as praias urbanas de Málaga. Estrategicamente localizada e com ótimas ligações ferroviárias, a cidade permite rápidos acessos ao sul de Espanha – onde vai encontrar as praias de Córdoba e Granada, por exemplo.

Por lá, come-se bem e paga-se pouco, enquanto podemos conhecer inúmeros monumentos e desfrutar de museus com preços de entrada bastante acessíveis.

É um conhecido centro expat, por isso reúne muitos nómadas digitais. Se gosta de fazer amizades, não vão faltar boas oportunidades: todos os dias pode participar em encontros e intercâmbios linguísticos, enquanto desfruta de uma bebida depois do trabalho.

7.

Sevilha, Espanha

Praça central de Sevilha

Sevilha é, sem margem para dúvidas, uma cidade que surpreende quem a visita – e, claro, um ótimo destino para nómadas digitais.

Este ponto de Espanha tem o alojamento mais barato de todo o país e os preços mais baixos com alimentação – em média, gastam-se 522,07€/mês para arrendar um apartamento T1, 7,12€ para fazer uma refeição e 1,13€ para comprar um café.

Há imenso para fazer na cidade, com muitos espaços culturais de acesso gratuito, como museus. Os espaços ao ar livre são diversos e toda a paisagem que se espalha por Sevilha é deslumbrante. Sol também não falta por lá.

Não é uma cidade de litoral, mas tem uma localização perfeita para nómadas digitais que querem poupar enquanto vivem no estrangeiro, e não abrem mão de visitar praias como Cádiz e Tarifa, famosos destinos para quem adora sol, mar e surf, ficam a apenas uma hora de autocarro.

8.

Faro, Portugal

É a nossa “capital do Algarve” e destino de eleição para europeus de férias, mas é também um ótimo sítio para ser nómada digital.

Faro é ideal para quem gosta de praias e acredita que a vida pode ser melhor se os dias de trabalho puderem ser finalizados à beira-mar. Não faltam dunas arenosas para se descobrir e todas elas ficam bem no Instagram. Há uma incrível média de 3.036 horas de sol por ano.

E a Internet? Nada de preocupações com este quesito, pois vai poder trabalhar com a máxima eficiência, graças à rápida ligação à rede que Faro oferece, com uma média de 70 Mbps.

E se para trabalhar e relaxar Faro promete ser um ótimo destino, também é excelente no que diz respeito aos preços de alojamento – 474.08€ é a média mensal cobrada pelo arrendamento de um apartamento T1.

10 fatores que os nómadas digitais valorizam quando elegem uma cidade

Como foram eleitas as cidades que ocupam o nosso top 8? São destinos que aparecem no topo do Índice Workation – que avalia as cidades de acordo com diversos fatores interessantes para os nómadas digitais.

Descubra os 10 fatores mais importantes avaliados:

  1. Ligação remota: média de mbps wi-fi por segundo
  2. Espaços de trabalho em conjunto: número de espaços de co-working
  3. Café: preço médio da compra de um café
  4. Viagens: preço médio do táxi por km2
  5. Bebidas depois do trabalho: preço médio de duas cervejas num bar
  6. Alojamento: preço médio de apartamento de um quarto por mês
  7. Alimentação: custo médio de uma refeição num restaurante local de nível médio
  8. Clima: número médio de horas de luz solar
  9. Atrações turísticas: número de ‘coisas a fazer’ no Tripadvisor
  10. Instagramabilidade: número de fotos com o #cityname
Veja também

Artigos Relacionados