Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Ana Graça
Ana Graça
10 Set, 2018 - 16:01

Parto em casa: potencialidades e perigos

Ana Graça

O parto em casa é a escolha de algumas mulheres, mas será que está isento de riscos? Vamos conhecer as potencialidades e os perigos deste tipo de parto.

Parto em casa: potencialidades e perigos

Durante muito tempo o parto foi encarado como um ato doméstico. Era realizado em casa, com a ajuda de mulheres tidas como experientes na área. Associada a estes partos existia uma elevada taxa de mortalidade materna e neonatal. Até aos dias de hoje têm sido alcançadas inúmeras melhorias ao nível da assistência no parto, e as mulheres têm ao seu dispor cuidados profissionais especializados. No entanto, o parto em casa continua a ser opção para algumas mulheres, que entendem que o parto realizado no domicílio é mais natural e permite a presença da família neste momento tão único e especial.

Parto em casa: sim ou não?

O direito à escolha do local de nascimento é uma das vertentes do direito ao respeito pela vida privada e familiar. O parto em casa é uma opção legal, todavia, a grande maioria dos especialistas entende que o parto em casa deve estar contraindicado.

Potencialidades do parto em casa

Tal como acontece no parto em meio hospitalar, no parto em casa, a futura mamã deve refletir sobre o seu plano de parto e sobre que profissional qualificado quer que a assista. Quem opta por um parto fora do ambiente hospitalar aponta alguns dos seguintes motivos para o fazer:

  • permite que a mulher esteja no seu ambiente e contexto habituais e por isso se sinta rodeada de pessoas que reconhece e se sinta mais confortável;
  • entendem-no como sendo uma experiência prazerosa, íntima e familiar;
  • acreditam que reforça o vínculo entre mãe e filho;
  • sentem maior sensação de controlo durante o trabalho de parto;
  • maior humanização do nascimento;
  • redução de analgesia de parto.
Potencialidades do parto em casa

Perigos do parto em casa

A maioria dos especialistas refere que um parto seguro implica a existência de infraestruturas específicas e excelentes condições higiénicas que dificilmente são encontradas fora do ambiente hospitalar. Mais ainda, mesmo as gestações de baixo risco não estão isentas da possibilidade de surgir alguma complicação inesperada.

Há dados que referem que o risco de óbito fetal e neonatal é duas vezes inferior se o nascimento for assistido por uma equipe médica em ambiente hospitalar. Alguns dos perigos apontados ao parto em casa são:

  • maiores riscos à saúde materna e da criança;
  • há complicações que apenas podem ser resolvidas em ambiente hospitalar (prolapso do cordão; deslocamento da placenta; não execução de determinados movimentos pelo feto durante o nascimento);
  • em situações de complicações e emergências, o parto em casa dificulta a rápida intervenção médica.
Perigos do parto em casa

Em suma

Parto em casa: sim ou não? É importante que as mulheres tenham a possibilidade de escolha no acesso ao tipo de cuidados na assistência pré e pós-natal e ao local de parto, mas essa decisão deve ser informada. Para tal, a futura mamã deve receber informação completa, baseada na melhor evidência disponível relativamente aos cuidados a serem prestados a si e ao bebé, de forma a poder fazer escolhas de forma livre e responsável.

O parto em casa deve ter assegurada a prestação de cuidados obstétricos e uma assistência perinatal segura e humanizada, baseada nas mais recentes recomendações científicas. Deve ainda existir um plano de emergência, para que mãe e filho possam ser encaminhados rapidamente e em segurança para o hospital mais próximo em caso de complicações.

Em resumo, a realização do parto em casa está longe de ser consensual e a Direção-Geral da Saúde recomenda, de forma clara, que o parto seja assistido em ambiente hospitalar.

Veja também: