Teresa Campos
Teresa Campos
26 Jul, 2019 - 12:15
Aprenda a prevenir e a tratar os escaldões nas crianças

Aprenda a prevenir e a tratar os escaldões nas crianças

Teresa Campos

Por vezes, os escaldões nas crianças acontecem e é importante saber como proceder. Conheça algumas dicas para prevenir estas situações.

O artigo continua após o anúncio

Os escaldões nas crianças, assim como nos adultos, devem ser, antes de mais, evitados e prevenidos. Contudo, todos sabemos que, por vezes, algumas distrações podem dar azo ao surgimento de queimaduras solares que, aparecendo, devem ser tratadas com todo o cuidado e atenção.

Com a chegada do tempo quente e com o aumento das idas à praia, faz todo o sentido falar de escaldões nas crianças, mas também dizer-lhe que o risco de desenvolver cancro da pele na idade adulta é duas vezes superior quando o indivíduo sofreu uma queimadura solar na infância. Portanto, aposte na prevenção e proteja as suas crianças das agressões solares.

Escaldões nas crianças: como proceder e como evitar

escaldões nas crianças

Chamamos escaldão a uma queimadura solar ligeira mas que, ainda assim, pode ser bastante incomodativa e necessitar de cuidados específicos. Os sintomas mais comuns de um escaldão são:

  • Vermelhidão na pele;
  • Aumento da temperatura na região queimada;
  • Comichão na região do escaldão;
  • Em casos extremos, podem ocorrer enjoos, vómitos, tremores ou tonturas.

Causas

Os escaldões resultam, sempre, de uma exposição solar prolongada sem proteção solar ou com proteção solar insuficiente. Assim, as queimaduras solares estão diretamente relacionadas com a radiação ultravioleta (UV).

Especificamente no caso das crianças, os escaldões aparecem frequentemente devido à falta de reaplicação de protetor solar de duas em duas horas ou depois da criança ir à água. Além disso, a pele das crianças é menos espessa, facilitando a passagem da radiação solar e aumentando a desidratação; a sua transpiração é insuficiente para arrefecer o corpo; e o seu sistema de pigmentação é pouco desenvolvido, tornando a criança mais suscetível a queimaduras solares.

O que fazer?

Assim que surjam os primeiros sinais de queimadura solar, como ardor ou vermelhidão, deve colocar de imediato a criança à sombra, dando-lhe bastante água para ela beber. Já em casa deve dar um banho de água fresca à criança e limpá-la com uma toalha de algodão.

Em seguida, aplique uma loção hidratante e um regenerador da pele, ou seja, um creme preparado para tratar zonas doridas e sensibilizadas da pele. Como a criança irá estar incomodada, convém ser uma fórmula de fácil aplicação e que proporcione também uma sensação de alívio e frescura.

Mantenha-se atento à evolução do escaldão e tente que a criança não a coce, para evitar infeções. Passados alguns dias, e para evitar que a queimadura deixe marcas, como manchas ou cicatrizes, é aconselhável aplicar um creme com aloé vera.

O artigo continua após o anúncio

Se a evolução não for favorável, deve dirigir-se à unidade de saúde pediátrica mais próxima e deixar que um profissional de saúde examine e avalie a sua criança.

escaldões nas crianças

Consequências

Costuma dizer-se que a pele tem memória, isto porque ela “regista” as agressões solares sofridas ao longo da vida, nomeadamente na infância, as quais podem provocar danos graves e visíveis na idade adulta.

Vários estudos comprovam que uma forte exposição solar durante a infância, com queimaduras solares dolorosas associadas, constitui um importante fator de risco de melanoma na idade adulta.

Assim, os produtos de proteção solar devem ter uma eficácia comprovada, de modo a garantir que a criança está devidamente protegida, diminuindo o risco do aparecimento de melanomas, a longo prazo.

Conselhos para evitar queimaduras solares

  • Evitar as horas em que a radiação do sol é mais perigosa, ou seja, entre as 11h30 e as 16h30.
  • Na praia, principalmente nos primeiros dias e em crianças com a pele mais clara, é conveniente protegê-las com uma camisola de algodão, chapéu/boné e calção ou fato de banho.
  • Aplique sempre protetor solar, mesmo que a criança não fique diretamente exposta ao sol. Não se esqueça que os raios solares atravessam muitos dos tecidos dos guarda-sol e o próprio reflexo do sol na areia é suficiente para provocar uma queimadura.
Veja também
Partilhar Tweet Pin E-mail WhatsApp