Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Inês Pereira
Inês Pereira
10 Out, 2018 - 12:16

Quer ter um Pug? Saiba tudo sobre a raça

Inês Pereira

De cabeça arredondada e personalidade afável, o Pug é um cão que conquista toda a gente. Fique agora a conhecer esta raça de A a Z.

Quer ter um Pug? Saiba tudo sobre a raça

Poucas devem ser as pessoas que não conseguem identificar um Pug à distância. Afinal, o porte pequeno, o focinho arredondado e os olhos esbugalhados são inconfundíveis e enternecem qualquer um. Esta é uma raça que sempre conquistou muitos corações, especialmente pela sua personalidade amigável e pelo facto de se adaptar à vida num apartamento.

Originário da China, o Pug é um cão pequeno e cujo peso ideal se situa entre os 6kg e os 8kg. O focinho enrugado vem acompanhado por olhos grandes, que parecem querer saltar a qualquer momento, e por orelhas apontadas para baixo. Importa também referir que a sua esperança média de vida oscila entre os 12 e os 14 anos.

Tudo sobre o pug

saiba tudo sobre o pug

Não é arriscado dizê-lo: o Pug é o amigo de 4 patas ideal para qualquer família. Não é, aliás, por acaso que tem vindo a tornar-se numa das raças mais populares, conquistando miúdos e graúdos.

Sempre com uma atitude brincalhona e feliz, são cães extremamente carinhosos e leais, pelo que gostam de agradar o dono e estar próximos da família. Isto significa que se trata de uma raça que nem sempre se dá bem com a solidão e que exige alguma atenção redobrada. Embora sejam inteligentes, é importante referir que os Pugs são também algo teimosos – o que pode dificultar o treino.

Bastante amigáveis, geralmente dão-se bem com qualquer pessoa, incluindo crianças, ou um animal. Não, não precisa de se preocupar em apresentar um novo amigo de 4 patas ao seu Pug, porque esta raça tem nota máxima na socialização.

Contrariamente ao que pode pensar, este não é um cão com muita energia ou que requeira muito controlo. Assim, os passeios, embora necessários como acontece com qualquer outro cão, não obrigam a longos períodos de caminhadas e podem ser encurtados.

Alimentação

Talvez o surpreenda, mas o Pug adora comer, pelo que dificilmente o mantém afastado da ração e das recompensas em forma de biscoitos. O problema? Isto traduz-se numa enorme facilidade em engordar e ficar com peso a mais para o seu porte pequeno, pelo que é extremamente importante que o dono controle constantemente o físico do animal.

A comida mais indicada para o Pug é, sem dúvida, a ração seca. E não se preocupe porque algumas marcas têm mesmo comida adequada à raça, o que garante o desenvolvimento saudável do seu fiel companheiro e facilita a sua escolha. Esta ração é especialmente desenvolvida para garantir a manutenção do peso adequado e a saúde dos dentes e da pele.

Escusado será dizer que é estritamente proibido oferecer comida humana ao seu Pug. De outra forma pode estar a prejudicar a saúde do seu amigo de 4 patas, uma vez que não só aumenta o peso do animal como corre o risco de fazer escolhas erradas em termos nutricionais.

Crucial é que tenha também o cuidado de deixar sempre uma taça de água limpa para o seu fiel amigo beber sempre que sentir necessidade. O ideal será deixá-la junto à tigela da comida.

Saúde

saiba como é a saúde do pug

Não é novidade para ninguém que algumas raças de cães têm maior tendência a desenvolver problemas de saúde, geralmente devido às suas características físicas. Ora, caso não saiba, o Pug é uma das raças que, infelizmente, se insere nesta categoria.

Pug é um cão afetado pela braquicefalia, uma condição que se refere a uma forma de crânio mais curta e que se manifesta através de um focinho de aspeto achatado. É precisamente por este motivo que a cabeça dos pugs é mais arredondada e o seu focinho é menor do que o dos outros cães.

Por este motivo, o cão não consegue normalizar a temperatura do ar inspirado antes da sua chegada aos pulmões. Resultado? O animal pode desenvolver problemas respiratórios ou, até mesmo, sofrer de um sobreaquecimento corporal generalizado. Não é por acaso que o Pug tem uma respiração tão característica, bastante audível e ofegante – por vezes parece até que está a roncar.

Para além das questões respiratórias, outro problema pode tirar horas de sono aos donos dos pugs: dermatites. As rugas e pregas típicas da raça são o local ideal para a acumulação de sujidade, fungos e bactérias, o que pode resultar no desenvolvimento de doenças dermatológicas. Neste sentido, é importante que cumpra a regra da obrigatoriedade dos banhos semanais, de modo a garantir a higiene e a saúde do seu amigo de 4 patas.

Contudo, o dono de um pug tem de estar atento a muito mais do que apenas os problemas respiratórios, a temperatura a que o cão está sujeito ou a pele do animal, já que algumas doenças são bastante comuns à raça:

  • Luxação patelar;
  • Olhos extremamente secos;
  • Prolapso do globo ocular;
  • Úlceras de córnea;
  • Fadiga fácil;
  • Obesidade;
  • Alergias;
  • Lesões na zona ocular;
  • Dificuldades no parto natural;
  • Cancro no útero ou ovários;
  • Tártaro;
  • Gengivite.

Posto isto, o melhor é garantir que leva o seu pug ao veterinário com alguma regularidade para garantir que o animal está de perfeita saúde.

Veja também: