Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Marta Maia
Marta Maia
14 Jul, 2020 - 11:00

Reparação de eletrodomésticos: compensa ou mais vale comprar novo?

Marta Maia

Se tem equipamentos avariados, saiba em que casos é que a reparação de eletrodomésticos vale a pena e onde encontrar serviços técnicos especializados.

A sensação de precisar de um eletrodoméstico e vê-lo falhar precisamente nessa hora é, provavelmente, das mais irritantes que nos afetam em casa. Não só gastámos dinheiro a comprar o equipamento como, quando precisamos dele, fica inútil. O que fazer?

Há, nestes casos, duas opções claras: chamar um técnico de reparação de eletrodomésticos ou conformar-se com o “óbito” do seu equipamento e tratar de comprar um novo. A escolha, no entanto, não é fácil: reparar pode ser mais barato, mas comprar um novo dá mais garantia de durabilidade. Para resolver este dilema e a tomar a melhor decisão a longo prazo, veja o que deve ter em consideração.

A reparação de eletrodomésticos compensa?

Consertar um equipamento que avariou pode compensar ou não, dependendo do custo de reparação, do preço do equipamento novo, da idade do equipamento antigo e, claro, da durabilidade esperada em cada um dos casos.

Tudo isto é, no fundo, uma equação matemática: há que pesar os prós e os contras, avaliar as variáveis e tomar uma decisão fundamentada para não sair furada.

Começamos pela idade do equipamento. Equipamentos velhos tendem a ser de classes energéticas mais baixas, e por isso consomem mais energia do que os novos.

Se está a pensar optar pela reparação de eletrodomésticos com vinte anos, adiantamos-lhe já que dificilmente vai compensar: se comprar um equipamento novo, a poupança de energia vai “pagar-lhe” o acréscimo de despesa provocado pela compra.

O equipamento avariado, por outro lado, pode ser fácil e barato de reparar. Se assim for, não vale a pena correr para a loja, porque vai gastar dinheiro a mais sem necessidade. O ideal é pedir um orçamento a um técnico de reparação de eletrodomésticos e comparar o custo de reparação com o custo de compra de um equipamento novo.

Por fim, falamos de durabilidade. Se tem um equipamento antigo que, apesar de avariado, sabe que é “de guerra” e que resiste a tudo durante anos a fio, provavelmente não valerá a pena trocá-lo por um equipamento novo de gama mais baixa ou com uma durabilidade expectável menor, porque vai ficar a perder no longo prazo. Ou o equipamento novo traz vantagens evidentes, ou mais vale ficar com o que tem.

Contas feitas…

Um professor da Fundação Getúlio Vargas, no Brasil, aproveitou o pedido do jornal “Folha de São Paulo” para transformar as variáveis em números específicos e, assim, facilitar a escolha de quem pondera a reparação de eletrodomésticos.

Para César Caselani, o principal é comparar o custo da reparação dos aparelhos com a durabilidade que deles se espera. Assim, para um equipamento com uma durabilidade esperada de dez anos, por exemplo, a reparação não pode custar mais do que um décimo do preço do equipamento novo.

Vamos a um exemplo prático: se tiver uma máquina de lavar que lhe custou 500 euros, não lhe compensa gastar mais do que 50 euros por ano em reparações durante os próximos dez anos.

Tenha, no entanto, em atenção que este valor é uma média, pelo que, se gastar 100 euros numa reparação mas depois não voltar a precisar de arranjos durante os três anos seguintes, a reparação de eletrodomésticos continua a ser a melhor opção para si.

Tenha atenção à garantia

A escolha entre a reparação de eletrodomésticos ou a compra de equipamentos novos deixa de fazer sentido se o aparelho avariado estiver dentro do período de garantia. Nestes casos, só tem de entregá-lo na loja onde comprou (juntamente com o comprovativo da garantia) e aguardar. A reparação fica gratuita.

A durabilidade vai deixar de ser um problema

Uma boa notícia é que a durabilidade dos eletrodomésticos vai passar a ser maior e as reparações também vão passar a ser mais fáceis (e baratas). A “culpa” é das novas diretrizes europeias, que estipulam que os fabricantes de eletrodomésticos vão ter de garantir maior durabilidade dos equipamentos e ainda facilitar as reparações.

A nova legislação entra em vigor em 2021 e, por essa altura, estima-se que o custo da reparação de eletrodomésticos tenda a ser quase sempre mais baixo do que a compra de novos. Agradece o bolso dos consumidores e agradece o ambiente, já que os equipamentos não são recicláveis e prejudicam largamente o planeta.

3 serviços de reparação de eletrodomésticos

Se já decidiu o que fazer e precisa de encontrar um técnico, temos algumas sugestões.

Worten Resolve

A marca da Sonae dedicada à de venda eletrodomésticos e eletrónica, tem também um serviço especializado de reparação de eletrodomésticos e outro tipo de equipamentos, dentro e fora de garantia, não importa onde os tenha comprado. Antes da reparação o cliente é sempre informado do orçamento para decidir se pretende ou não avançar com o serviço.

Ver serviço

EDP Funciona

Semelhante ao da Worten, o serviço da EDP tem a vantagem de ser especializado em eletrodomésticos da cozinha e instalações de gás e eletricidade, ou seja, é mais indicado para a reparação de máquinas de lavar, esquentadores, fogões ou termoacumuladores. Além disso, recolhe os equipamentos em sua casa, poupando-lhe todo o trabalho.

Ver serviço

Assist 24

A Assist 24 presta o serviço de reparação de eletrodomésticos em várias zonas do país. Na maioria das vezes, os técnicos conseguem fazê-lo no local, mas há casos, em que pode ter levar o equipamento às oficinas da empresa para, por exemplo, realizar mais testes ou efetuar uma substituição de peças. Em qualquer dos casos, o serviço de reparação de eletrodomésticos está abrangido por garantia.

Ver serviço

Veja também