Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Teresa Campos
Teresa Campos
07 Mai, 2020 - 16:33

Sintomas da COVID-19: erupções, dores de cabeça e formigueiros

Teresa Campos

Já sabe que febre, tosse e fadiga muscular podem ser sinais do novo coronavírus. Mas será que também conhece os sintomas menos comuns da COVID-19?

sintomas da covid-19 menos comuns

sintomas menos comuns da COVID-19 que têm vindo a ser identificados pelos investigadores de todo o mundo.

Os sinais mais frequentes como a febre, o cansaço e a tosse seca persistem como os de maior alerta. No entanto, cada vez se dá mais atenção a questões como corrimento nasal, dor de garganta, congestão nasal, diarreia e perda de paladar ou olfato. .

Descubra alguns dos sintomas da COVID-19 menos comuns

Erupções cutâneas nos dedos dos pés

Pacientes de vários países registaram erupções cutâneas nos dedos dos pés, semelhantes a frieiras, sinal que, em muitos casos, não foi acompanhado de mais nenhum sintoma do vírus. Esta manifestação ficou conhecida como “COVID toe” (“dedo COVID”). Essas erupções podem apresentar a forma de lesões vermelhas ou arroxeadas e também podem surgir na região lateral do pé, na planta do pé ou até nas mãos e dedos das mãos.  

O European Journal of Pediatric Dermatology reportou uma epidemia de casos entre as crianças e os adolescentes em Itália, a qual também se caraterizava por erupções, ainda que diferentes destas já associadas ao coronavírus.

Conjuntivite e sintomas da COVID-19

A conjuntivite tem sido um sintoma raro em casos positivos de COVID-19, com as partículas virais a serem encontradas nas lágrimas dos pacientes.

No Reino Unido, os especialistas reconhecem que qualquer infeção respiratória do trato superior pode desencadear uma conjuntivite viral, como um efeito secundário. É isso que estará a ocorrer com a COVID-19. Contudo, será improvável alguém apresentar um sinal de conjuntivite, associado ao novo coronavírus, sem manifestar outros sintomas da COVID-19.

conjuntivite covid 19

Livedo ou necrose

Um estudo espanhol publicado no British Journal of Dermatology concluiu que 6% dos 375 casos positivos de coronavirus examinados, envolviam entre os sintomas da COVID-19 livedo (morte de tecido devido à falta de sangue ou descoloração da pele).

Nesta situação, a pele pode ficar manchada e com áreas vermelhas e arroxeadas, as quais podem surgir num padrão rendilhado. Estes sinais apareceram, geralmente, em pacientes mais velhos, com quadros mais severos de COVID-19. Porém, esta tendência não foi consistente e também foram encontrados cenários destes em doentes com COVID-19 que nem sequer estavam hospitalizados.

Comprar uma máscara segura
Veja também Coronavírus: onde e como comprar uma máscara segura

Tonturas/dores de cabeça

Um estudo chinês com 214 pacientes, publicado na Jama Neurology, concluiu que um pouco mais de 1/3 (36.4%) daqueles doentes tiveram sintomas neurológicos, como tonturas ou dores de cabeça, aumentando esta percentagem para os 45.5% em pacientes com infeções mais severas pelo novo coronavírus.

Ian Jones, professor de Virologia da Universidade de Reading diz que, embora isto possa acontecer, este não é exatamente um sintoma do novo coronavírus, mas sim uma consequência dos quadros mais graves de COVID-19. No fundo, as complicações neurológicas apresentam-se como um efeito secundário ou colateral desta patologia, de acordo com Ian Jones.

Formigueiro

Alguns pacientes com sintomas da COVID-19 queixaram-se de formigueiro ou sensação de ardor. Waleed Javaid, diretor de Prevenção e Controlo de Infeção do Hospital de Mount Sinai, em Nova Iorque, disse ao Today, da estação americana NBC, que é provável que a resposta imunitária dos doentes à infeção pelo novo coronavírus cause estas sensações, mais do que o próprio vírus em si.

De acordo com o Waleed Javaid, perante a infeção, há uma resposta imunitária generalizada, em que todas as células imunitárias são ativadas de modo a que muitos químicos sejam libertados pelo corpo. Segundo o especialista, estas experiências já foram reportadas no passado, com outras patologias.

Fontes: The Guardian/NBC/OMS

Veja também