Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Teresa Campos
Teresa Campos
20 Nov, 2020 - 12:02

Alopecia: conheça os vários tipos de perda de cabelo

Teresa Campos

A alopecia carateriza-se pela perda ou diminuição de cabelo. Porém, há vários tipos de alopecia, assim como diversos tratamentos disponíveis. Conheça-os.

homem com alopecia

Fala-se em alopecia quando se verifica que há menos cabelo na cabeça. Há diversos tipos de alopecia, sendo que ela costuma manifestar-se mais na parte de cima do couro cabeludo.

Esta é uma condição caraterizada por um cabelo mais fino, curto e em menor número, o que está relacionado com o repouso dos folículos capilares. A alopecia pode ser ocasional ou progressiva, patológica ou fisiológica. Saiba mais.

Alopecia: tudo o que precisa saber sobre este problema

Sintomas

O principal sintoma de alopecia é mesmo a queda de cabelo, a qual pode atingir homens, mulheres e até crianças de qualquer idade.  Um dos sinais de alerta é quando se começam a encontrar muitos cabelos na almofada ou na escova.

Porém, além da diminuição da densidade capilar, há outros sintomas, tais como: a existência de peladas; o surgimento de cicatrizes; e outras manifestações, como descamação, borbulhas, nódulos ou drenagem de pus.

Tipos de alopecia

Existem diversos tipos de alopecia. Fique a conhecer alguns deles:

  • Alopecia Androgenética (calvície): este é o tipo mais frequente, atingindo normalmente homens.
  • Alopecia Areata: carateriza-se principalmente pela perda de cabelo ou de pêlos em áreas localizadas, como a cabeça, barba ou sobrancelhas. É mais recorrente em jovens.
  • Alopecia Cicatricial: na sua origem, podem estar feridas, queimaduras ou infeções.
  • Alopecia Difusa: carateriza-se por uma perda de cabelo difusa e temporária, causada por fatores como stress ou má alimentação.
  • Alopecia Follicularis: deve-se à inflamação dos folículos capilares.
  • Alopecia Neurótica: está relacionada com uma perda de cabelo associada a doenças nervosas ou lesões no sistema nervoso.
  • Alopecia Prematura: pode manifestar-se na infância ou na adolescência.
  • Alopecia Senilis: manifesta-se, sobretudo, entre os idosos.
  • Alopecia Totalis: carateriza-se pela perda total de cabelo em todo o couro cabeludo.
  • Alopecia Traccional / por Tração: trata-se de uma perda de cabelo causada pelo uso de certos penteados ou acessórios, como chapéus ou bonés apertados.
  • Alopecia Traumática: a queda de cabelo pode também estar relacionada com uma infeção fúngica, provocada por um parasita, e é mais frequente na infância.
homem com alopecia a ver-se ao espelho

Causas e diagnóstico

A alopecia pode estar associada a um fator externo, como stress, depressão e ansiedade; pós-parto; má alimentação; disfunções na tiroide; medicamentos (para a hipertensão e para o colesterol, por exemplo); ou cirurgias. Nestes casos, pode haver uma diminuição do número de cabelos, a qual pode ter uma intensidade ou duração variáveis.

Noutras situações, a alopecia pode estar relacionada com a lesão de uma parte do folículo, a qual pode ter origem genética ou ser causada por doenças inflamatórias e infeciosas ou mesmo pela calvície comum. Nestes casos, há mesmo lugar à morte das células dos cabelos.

Sempre que registar perda de cabelo acima do normal ou sem nenhuma razão aparente, deve visitar um dermatologista, de modo a perceber o que se passa. Só um especialista é capaz de examinar devidamente o cabelo e o couro cabeludo, podendo recorrer a exames como a tricoscopia para determinar a origem, gravidade e terapêutica mais adequada para cada caso.

Tratamentos

Há alguns tipos de tratamento possíveis, sendo eles:

  • Tópicos: Quando são prescritos produtos de aplicação tópica, nomeadamente champôs que combatem a queda de cabelo.perda
  • Sistémicos: Neste caso, são recomendados fármacos administrados oralmente e que têm como finalidade bloquear a ação da hormona que pode estar a enfraquecer o folículo piloso. Os polivitamínicos/oligoelementos também podem ser úteis no tratamento de alguns casos.
  • Técnicas inovadoras: Em alguns casos, o laser capilar pode contribuir para o aumento do crescimento e densidade do cabelo. Noutras situações, o microneedling pode ser uma técnica muito eficaz no repovoamento capilar.
  • Cirúrgicos: Nesta situação, é feito um transplante de cabelo, mais especificamente o Transplante de Unidade Folicular (FUT). O procedimento consiste em retirar cabelos das áreas dadoras e introduzi-los nos micro orifícios feitos na região onde a alopecia se manifesta de forma mais evidente. Inicialmente, esse cabelo transplantado vai cair, renascendo depois, já com um aspeto mais natural. Este procedimento dura cerca de 4 a 5 horas. Um dos seus efeitos secundários possível é o inchaço das pálpebras, 2 a 4 dias após o transplante.
Mulher com queda de cabelo no outono
Veja também Como evitar a queda de cabelo no outono

Prevenção

Apesar da alopecia poder ter uma causa genética ou estar associada ao próprio processo de envelhecimento, há hábitos que é importante adotar ao longo da vida e que podem contribuir para cabelos mais fortes e nutridos.

Assim, é aconselhável manter um estilo de vida saudável, fazendo nomeadamente uma dieta equilibrada e praticando atividade física regular. Em algumas fases, pode ser importante tomar suplementos nutricionais.

Fazer uma boa higiene do couro cabeludo também é essencial, assim como escovar diariamente o cabelo. Deve ainda evitar alguns procedimentos e produtos mais agressivos para o cabelo, como as permanentes, os alisamentos, as colorações e o uso de químicos.

Veja também