Publicidade:

Carta Portuguesa para a Diversidade: o que é e para que serve

Já ouviu falar sobre a Carta Portuguesa para a Diversidade? Fique a saber o que é, para que serve e ainda quantas empresas já a assinaram.

Carta Portuguesa para a Diversidade: o que é e para que serve
Para que serve e que entidades já assinaram o documento?

Gerida atualmente pela APPDI – Associação Portuguesa para a Diversidade e Inclusão, a Carta Portuguesa para a Diversidade é um compromisso assumido de forma voluntária entre vários empregadores, com o objetivo de promover e influenciar todas empresas e entidades portuguesas a implementar e desenvolver políticas e práticas internas de promoção da diversidade e inclusão.

Trata-se, assim, de um documento contra todos os tipos de discriminação e a favor da igualdade. Consiste numa espécie de acordo assinado entre vários empregadores portugueses de diferentes setores de atividade, incluindo o público, o privado, com ou sem fins lucrativos, no qual se comprometem a tomar certas medidas específicas.

Entre essas medidas conta-se a promoção de valores como a diversidade e a igualdade de oportunidades no trabalho independentemente da origem cultural, étnica e social, orientação sexual, género, idade, características físicas, estilo pessoal e religião.

Assim, na base da Carta Portuguesa para a Diversidade está a crença de que a diversidade corporativa contribui para o crescimento, sustentabilidade e competitividade económica do mundo laboral.

Qual a origem da Carta Portuguesa para a Diversidade?


Este documento surgiu em sequência de diretivas europeias, cujas políticas caminham no sentido de assegurar o acesso e a igualdade de oportunidades para todas as pessoas ao longo da sua vida, apostando na promoção da igualdade de género para melhorar as taxas de participação no mercado de trabalho, a bem do reforço do crescimento e da coesão social.

Quais os resultados esperados a partir da sua implementação?


Tal como se tem verificado com a implementação do documento noutros países europeus, espera-se que a implementação da Carta Portuguesa para a Diversidade reduza o número de reclamações e queixas laborais nas empresas, tanto a nível interno como externo.

Outros efeitos esperados passam pela redução da rotatividade de pessoal nas empresas, pelo aumento do desenvolvimento dos trabalhadores e um nível do atendimento e satisfação dos clientes superior.

Espera-se também um melhoramento da relação entre as atividades dos trabalhadores e a estratégia da empresa, visto que, em consequência, as atitudes, comportamentos e a conduta interna sairão beneficiados.

Quem pode assinar a Carta Portuguesa para a Diversidade?


igualdade

Qualquer organização empregadora em Portugal pode assinar a Carta Portuguesa para a Diversidade, quer seja pública ou privada, com ou sem fins lucrativos.

O que implica a assinatura?

A assinatura implica um vínculo meramente simbólico, que consiste num compromisso de honra por parte da organização em cumprir com os desígnios que surgem descritos na carta. A empresa compromete-se, assim, a implementar os valores referidos anteriormente, ao colocar de pé iniciativas que valorizam a diversidade no seu seio laboral.

Mas a assinatura da Carta Portuguesa para a Diversidade não se fica pelas intenções. As empresas que aderirem ficam também incumbidas de enviar a todas as outras entidades signatárias um relatório anual das atividades desenvolvidas que se inserem no objetivo de aumentar a diversidade no local de trabalho.

Por seu lado, paralelamente, todo o grupo de entidades signatárias irá desenvolver uma série de atividades nas quais as organizações signatárias poderão participar.

Como proceder para participar?

A organização pode fazer a sua inscrição em qualquer altura. Para a efetivar, deverá assinar o Modelo Carta Portuguesa para a Diversidade e enviar, juntamente com o logótipo e o link para passar a constar do site da organização, por email para [email protected].

Quem faz parte?

Da Carta Portuguesa para a Diversidade fazem parte neste momento 239 entidades. De entre elas, podemos destacar a título de exemplo empresas tão diversas como banco Santander Totta, Jumbo, Centro Hospitalar de Lisboa, diversas câmaras municipais, IBM, Delta Cafés, EDP, BP, McDonald’s, Renault, Santa Casa de Misericórdia de Lisboa, entre muitas outras.

Ações já realizadas no âmbito da Carta Portuguesa para a Diversidade


De entre todas as ações e eventos promovidas para dar eco à Carta Portuguesa para a Diversidade e para a fazer continuar crescer, destaca-se a criação de uma caixa de ferramentas. A mesma contém material útil para que tudo o que surge na Carta seja valorizado por todos e que alcance uma voz, chegando a novos signatários.

Esta caixa, que contém exemplos concretos de práticas de inclusão e modos de como os realizar, pode ser encomendada por qualquer empresa, em dois formatos: em papel ou em PDF. O pedido deverá ser endereçado a [email protected]

Para os próximos tempos, na forja estão várias iniciativas, como tertúlias sobre empregabilidade, conferências, espetáculos, ou ainda congressos.

Recentemente decorreu o I Fórum Nacional Para a Diversidade, que contou com a participação de 200 pessoas e 100 organizações de diferentes dimensões e setores do mundo laboral em Portugal.

Veja também:

Catarina Reis Catarina Reis

Consultora de carreira com mais de 10 anos de experiência, possui formação superior em Gestão de Recursos Humanos e Psicologia. É naturalmente curiosa, desenvolvendo múltiplos projetos paralelos que envolvem a Fotografia, a Música, o Marketing Digital e o Cinema.