Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Teresa Campos
Teresa Campos
11 Dez, 2018 - 18:04

Como desativar um gato: conheça um método surpreendente

Teresa Campos

Aprenda como desativar um gato se sente que o felino está agitado e precisa relaxar. Descubra o método de inibição comportamental induzido por beliscão.

Como desativar um gato: conheça um método surpreendente

Antes de mais, é importante sublinhar que saber como desativar um gato pode ser útil em várias situações, especialmente para o seu animal. Contudo, apenas deve experimentar esta técnica quando achar realmente necessário e não por curiosidade ou brincadeira.

Além disso, para este método ser bem sucedido é essencial que esteja atento às reações do felino e à mínima demonstração de desconforto, dor, medo ou agressividade deve parar imediatamente com o procedimento. Apesar da maioria dos gatos apresentar uma resposta positiva a esta técnica, há exceções que naturalmente devem ser respeitadas.

Como desativar um gato: saiba mais sobre este fenómeno

Antes de falar e visualizar o vídeo que tanto deu que falar nas últimas semanas, é preciso perceber o que está por detrás deste processo de desativação de um gato. Na realidade, este procedimento é, também, conhecido por “inibição comportamental induzida por beliscão” ou PIBI (“Pinch-Induced Behavioral Inhibition“).

As 5 doenças de gatos mais comuns

Inibição Comportamental Induzida por Beliscão ou PIBI

Clipnosis

Este procedimento é, ainda, designado por alguns de “clipnosis”, ou seja, trata-se de um fenómeno em que o animal, neste caso o gato, fica imóvel, devido a um aperto suave na pele que fica solta na parte de trás do seu pescoço.

Esta expressão – “clipnosis” – resulta da junção das palavras hipnose e clip – objeto usado, precisamente, para apertar. Aqui, hipnose deve ser entendido não literalmente, mas como um procedimento que leva o animal a entrar num estado de calma.

PIBI

Mas voltemos à inibição comportamental induzida por beliscão ou PIBI. Tony Buffington, professor de Ciências Clínicas Veterinárias da Universidade Estadual de Ohio (EUA), e a sua equipa decidiram levar a cabo um estudo, em que analisaram a eficácia de colocar molas ao longo da pele do pescoço de 31 gatos.

A equipa concluiu que esta é realmente uma forma de desativar gatos, de modo mais suave do que o scruffing – ato de segurar os felinos pela nuca. Dos 31 gatos que fizeram parte da pesquisa, só um não demonstrou uma resposta positiva, ou seja, não ficou passivo, com a coluna curva e a cauda entre as pernas.

Pílula para gatas
Veja também Pílula para gatas: sim ou não? Nós respondemos

Mas, afinal, por que o PIBI funciona?

Buffington afirma que a PIBI funciona não por medo ou dor sentidas pelo animal, já que as pupilas dos gatos não dilataram, nem a sua respiração aumentou, nem os batimentos cardíacos aumentaram – resposta fisiológica frequente em animais amedrontados. Além disso, os felinos mantiveram-se sensíveis.

Sabe-se, ainda que tais respostas fisiológicas verificam-se em outros animais, como ratos, coelhos, cães e porcos-da-índia. Há vários estudos sobre “imobilidade dorsal” e “imobilidade no transporte”, os quais se referem, precisamente, a este fenómeno.

A razão da eficácia deste método permanece, ainda, algo desconhecida, afirmando Buffington que o PIBI não pretende oferecer uma explicação sobre a razão do beliscão induzir a inibição comportamental, mas sim apenas indicar que ele o faz.

Todavia, pesquisas mais recentes, nomeadamente por parte da equipa do neurocientista japonês e investigador do Instituto do Cérebro Riken, Kumi Kuroda, mostraram que há muitas semelhanças entre a resposta fisiológica motivada pelo PIBI e a provocada pelo transporte materno das crias, tanto em animais, como em humanos.

Concluindo, a resposta calmante provocada pelo beliscar da nuca é possível graças à regulação coordenada de vários sistemas fisiológicos, incluindo a sensação tátil, propriocepção e múltiplos caminhos do sistema nervoso central.

Como desativar um gato em 4 passos

  1. Coloque uma mola na nuca do gato, atrás das orelhas. Dê um beliscão e veja como o felino reage.
  2. Deite o gato de lado. Se ele puser as patas no rosto e/ou se enroscar, com a cauda para trás ou entre as patas, é porque está relaxado.
  3. Se necessário, use mais prendedores, formando uma linha na coluna.
  4. Tire os prendedores depois de alguns minutos. Não há uma duração pré-estabelecida para este procedimento. Contudo, ela não deve exceder os breves minutos, podendo a duração ser alargada nas vezes seguintes a que proceda a esta ação.
Gatos que precisam ser educados
Veja também Como educar um gato: 5 truques essenciais

Dicas gerais

Esteja atento a alguns sinais de irritabilidade ou medo por parte do seu gato, tais como:

  • pupilas dilatadas;
  • orelhas agitadas;
  • respiração acelerada;
  • estar de pé com a cauda entre as pernas;
  • miar ou ficar com a respiração mais profunda.

Agora que já sabe tudo sobre como desativar um gato, espreite um dos vídeos onde é possível ser vista a execução deste procedimento.

Como em todos os assuntos, as reações a este método não são unânimes. Porém, é importante ressalvar que especialistas sublinham que esta técnica não inflige qualquer dor no animal. Mesmo que não a pretenda pôr em prática, é importante que fique a saber que até já existem molas próprias para este efeito e, certamente, se conversar com o veterinário do seu animal, ele poderá orientá-lo se deve ou não proporcionar esta experiência ao seu gato.

De qualquer modo, o respeito pelo animal e pelas suas reações deve estar sempre em primeiro lugar e este caso não deve ser exceção.

Veja também