Márcio Matos
Márcio Matos
10 Set, 2019 - 02:33
Glasgow: sinta o pulsar da maior cidade da Escócia

Glasgow: sinta o pulsar da maior cidade da Escócia

Márcio Matos

Glasgow é uma cidade escocesa cheia de história, mas que se tem sabido manter bem atual e moderna. Conheça algumas das suas principais atrações.

O artigo continua após o anúncio

Glasgow é a maior cidade da Escócia e a terceira mais populosa do Reino Unido. Situada nas margens do Rio Clyde, este destino fica nas Terras Baixas Escocesas. Já foi eleita Capital Europeia da Cultura e Cidade da Arquitetura e do Design do Reino Unido.

Pelo centro da cidade, é possível encontrar o legado de grandes nomes, nomeadamente da arquitetura, como de Charles Rennie Mackintosh, símbolo do movimento da art noveau.

Glasgow: 6 pontos de interesse para visitar

Jardim Botânico de Glasgow

1. Centro histórico

O centro da cidade é um excelente ponto de partida para a sua visita. Aí pode encontrar a estátua do Duque de Wellington (muito conhecida por ter sempre um cone de trânsito na cabeça!)

No limite oeste da cidade, fica o West End, um local conhecido pelos seus bares e cafés bem charmosos e com uma vida noturna e social bem agitada. Há, ainda, lojas interessantes e muitas atrações culturais.

Um espaço muito agradável de visitar é o Jardim Botânico, fundado em 1817, e com mais de 20 hectares de jardins e uma bela arquitetura a acompanhar. Este espaço fica perto da região de Byres, popular pelos seus restaurantes e bares.

2. Willow Tea Rooms

Como o nome indica, esta é uma casa de chá, mas não é uma casa de chá qualquer. Trata-se de um edifício projetado pelo conhecido arquiteto Charles Rennie Mackintosh, em 1904. Fica na Sauchiehall Street e tem um ambiente elegante que associado aos deliciosos bolos e ótimos chás que vende faz deste um espaço de visita obrigatória.

3. Escola de Arte de Glasgow

Esta é outra construção extraordinária da responsabilidade do arquiteto Charles Rennie Mackintosh. Um exemplar das melhores obras de ferro do período art nouveau, com formas orgânicas aneladas e móveis belíssimos e caraterísticos desta fase. Esta é uma escola ainda em funcionamento (com alunos), mas pode ser conhecida por dentro, através de uma visita guiada.

4. Museu e Galeria de Arte de Kelvingrove

Com 8 mil objetos espalhados por 22 galerias, o Kelvingrove é um dos maiores museus da Grã-Bretanha e tem uma enorme vantagem: é gratuito! Portanto, não há desculpa para não explorar ao máximo a riqueza dos seus objetos de arte e históricos, que vão desde armas e armaduras a pinturas dos mais variados séculos e movimentos. Os amantes da fauna e da flora podem ainda contar com uma secção dedicada à história natural.

O artigo continua após o anúncio

5. Museu Riverside

Ainda no capítulo dos museus, existe o Riverside, o museu do transporte e das viagens da Escócia. Neste espaço, projetado pela arquiteta iraniana Zaha Hadid, poderá viajar pela história dos veículos, desde as carruagens puxadas por cavalos aos primeiros automóveis, locomotivas e, até, alguns dos primeiros autocarros da Escócia.

6. Celtic Connections

E porque conhecer uma cidade é também ficar a par da sua cultura e tradições, nomeadamente musicais. Aqui pode encontrar o melhor do folk, “roots” e world music. No Celtic Connections, poderá ficar a saber mais sobre os sons tradicionais da Escócia e da Irlanda. Este é um festival marcante para a cidade e um dos pontos altos da sua agenda artística e cultural.

Glasgow, cidade de cultura e modernidade

Ponte de Glasgow

As origens desta cidade remontam à Idade da Pedra, assumindo-se, desde há muitos séculos, como um dos centros onde o patriotismo escocês mais se faz sentir.

Glasgow possui mais de 20 museus e galerias de arte, como a Burrell Collection, o Kelvingrove Museum and Art Gallery e o Riverside Museum. Para os amantes de ópera e ballet, aqui existe a Scottish Opera e o Scottish Ballet. O King Tut’s Wah Wah Hut é um bom espaço para assistir a um espetáculo. Como curiosidade, refira-se que foi aqui que em 1993 a famosa banda britânica Oasis se deu a conhecer ao grande público num concerto que, rezam as crónicas, não acabou lá muito bem para os irmãos Gallagher, as forças criativas por detrás do grupo.

Para quem gosta de arquitetura, Glasgow é um verdadeiro deleite para os sentidos. às imponentes obras seculares, juntam-se novas construções com traços evidentes de modernidade e que alteraram de forma significativa a paisagem da cidade. A título de exemplo, refira-se que as obras de Charles Rennie Mackintosh estão espalhadas um pouco por toda a cidade. Além disso, os fãs de arquitetura devem visitar o The Lighthouse, o centro nacional para a arquitetura e o design da Escócia.

A cerca de uma hora de comboio, é possível ainda visitar o Parque Nacional de Loch Lomond, onde a Escócia verdejante, e chuvosa, se começa a desvendar aos olhos dos visitantes, com paisagens de cortar a respiração.

Finalmente, se é adepto de futebol, pode sempre programar a sua visita para uma altura em que os dois mais representativos clubes da cidade, e da Escócia, se defrontam. Celtic de Glasgow e Glasgow Rangers mantêm uma longa rivalidade, traduzida nos clássicos jogados entre as duas equipas, um evento desportivo denominado Old Firm. Muitas vezes o espectáculo está verdadeiramente fora das quatro linhas, com as apaixonadas claques a entoarem cântico de início ao fm do jogo.

Veja também
Partilhar Tweet Pin E-mail WhatsApp