Rita Pereira
Rita Pereira
05 Dez, 2023 - 14:11

Inteligência financeira: o que é e como a podemos alcançar

Rita Pereira

Inteligência financeira é saber aplicar os conhecimentos sobre finanças no seu dia-a-dia. Siga as nossas dicas e melhore a relação com o dinheiro.

inteligencia financeira

Muito mais do que perceber sobre o Orçamento de Estado, sobre mercados bolsistas ou cálculos matemáticos, a inteligência financeira está diretamente relacionada com a forma como otimiza os seus recursos financeiros.

Economizar dinheiro, ter um fundo de emergência, fazer investimentos inteligentes. Tudo isto são atitudes que revelam inteligência financeira. 

Provavelmente não encontrará ninguém bem sucedido que não tenha inteligência financeira.

Assim, entender este conceito é o primeiro passo para começar a gerir as suas finanças pessoais de maneira eficaz, tomando decisões informadas em relação ao seu dinheiro. 

O que é a inteligência financeira?

Mas afinal, a que nos referimos quando falamos em inteligência financeira? Representa a habilidade de compreender e gerir as finanças de forma eficaz, tomando decisões informadas e estratégicas em relação ao dinheiro. Assim, desenvolver inteligência financeira envolve ter conhecimento sobre questões financeiras e aplicar esse conhecimento no dia-a-dia.

Por vezes, esta capacidade é confundida com ter muito dinheiro, mas nada disso. Há pessoas com rendimentos superiores cujas finanças pessoais estão mais desorganizadas do que as que têm menos recursos. 

Por isso, uma pessoa inteligente financeiramente sabe organizar o orçamento, planear objetivos financeiros de curto, médio e longo prazo, poupar dinheiro, fazer investimentos e gastar menos do que ganha. Podemos dizer que ter inteligência financeira envolve compreensão financeira, tomada de decisões informadas, gestão eficiente dos recursos financeiros, planeamento a longo prazo e capacidade de adaptação às mudanças económicas e financeiras. 

7 benefícios da inteligência financeira

Quando desenvolve inteligência financeira, cria hábitos mais saudáveis e melhora a sua relação com o dinheiro. Além disso, terá a capacidade de gerir melhor os recursos e acabará por conseguir tomar decisões inteligentes sobre como e onde o seu dinheiro será gasto. Deste modo, é uma habilidade que traz muitas vantagens, nomeadamente: 

Dicas práticas para ter inteligência financeira

Para ter uma vida financeira inteligente não basta conhecer o conceito. Ainda assim, a boa notícia é que esta é uma capacidade que é possível desenvolver ou aprimorar. Como? Colocando em prática alguns hábitos.

1

Estudar sobre finanças pessoais

Dedicar-se ao estudo sobre gestão e inteligência financeira é uma excelente forma de começar a aprender esta habilidade. Para começar a ter inteligência financeira, é importante que tenha literacia financeira. Há alguns livros que vão ajudar neste processo e que desde já recomendamos: 

  • Pai Rico, Pai Pobre, de Robert T. Kiyosaki; 
  • Segredos da Mente Milionária, de T. Harv Eker;
  • Ponha o seu dinheiro a trabalhar para si, de Bárbara Barroso;
  • Ganhar dinheiro: Como criar riqueza com um salário normal, de Pedro Andersson;
  • Inteligência Financeira: Guia de Gestão para saber o que os números realmente significam, de Karen Berman e Joe Knight;
  • O Homem mais Rico da Babilónia, de George S. Clason.
2

Conhecer bem a sua realidade financeira

É essencial conhecer as suas finanças pessoais a fundo. Há situações em que o orçamento está fora de controlo e nem sabe bem quanto ganha e quanto e onde gasta. Pode até acontecer de nem ter feito ainda um orçamento pessoal

Por isso, deve dedicar um tempo a avaliar a sua situação financeira: quais as suas fontes de rendimento, qual o valor de orçamento que tem disponível, quais as suas despesas fixas e variáveis, onde pretende investir, qual a situação do seu fundo de emergência. A ideia é saber exatamente a origem do seu dinheiro e para onde é que ele vai. Esta planificação será uma ótima aliada para conhecer bem as suas finanças. 

3

Estabelecer metas e objetivos

É um dos pontos fundamentais no desenvolvimento da inteligência financeira. Ter metas e objetivos vai ser o guia para as suas decisões. Portanto, pense no que deseja para o seu futuro financeiro. Podem ser objetivos maiores ou menores, a curto, médio ou longo prazo. O que importa, acima de tudo, é que estejam definidos para saber onde quer chegar e o que pretende alcançar. 

Metas como comprar um carro, uma casa, reformar-se mais cedo ou ter um fundo de emergência são exemplos de objetivos que podem ser alcançados através de ações guiadas pela inteligência financeira. Contudo, para isso, o importante é que o faça de forma realista.  

Veja também

Artigos Relacionados