Elsa Santos
Elsa Santos
23 Mai, 2019 - 15:50
Mudar de carreira várias vezes? É bom que se prepare para o fazer

Mudar de carreira várias vezes? É bom que se prepare para o fazer

Elsa Santos

Mais do que uma possibilidade, mudar de carreira várias vezes na vida é já uma tendência do mercado atual. Saiba como preparar-se para esta situação.

O artigo continua após o anúncio

Já pensou na possibilidade de mudar de carreira várias vezes ao longo da vida? Alguma vez mudou de área profissional ou conhece alguém que o tenha feito? Para alguns, a ideia pode não fazer muito sentido. No entanto, é uma realidade mais comum do que imagina.

Os “empregos para a vida” e ao serviço de uma única empresa são cada vez mais raros e dificilmente estão ao alcance das novas gerações. Mas a verdade é que muitos profissionais mais jovens já não têm interesse que tal aconteça, dado que são os próprios que procuram novos desafios.

Assim, ao longo da vida, o comum será ter duas, três ou várias carreiras, o que pode abranger diferentes áreas ou setores de atividade e passar pelo empreendedorismo.

Para quem tem vontade de experimentar mil e uma coisas e já fez outras tantas – por ter vários talentos, por gostar de novidade ou por outra razão tão válida quanto as anteriores – mudar de carreira várias vezes é uma necessidade.

Quanto mais longo é o percurso laboral, maior é o leque de possibilidades de trabalho e carreira que pode abraçar ao longo da sua vida. São cada vez mais aqueles que vêem o trabalho como uma forma de se manterem ocupados, úteis e saudáveis do ponto de vista físico, mental e até financeiro.

Uma tendência geracional

mudar de emprego varias vezes

As estatísticas revelam que o desejo de mudar de carreira tem vindo a ganhar maior expressão desde que a chamada geração millennial (jovens nascidos entre 1985 e 2000) chegou ao mercado de trabalho.

De acordo com um estudo recente realizado pelo LinkedIn (rede social para profissionais) que reuniu uma amostra de cinco mil utilizadores, um total de 61% dos profissionais millennial prevêem (ou pretendem, mesmo) mudar de carreira várias vezes ao longo da vida.

O número é expressivo, sobretudo, quando comparado com a geração anterior dos baby boomers (com mais de 54 anos de idade), entre a qual apenas 18% manifesta tal pretensão.

Os especialistas em recursos humanos consideram que, na atualidade, mudar de profissão é algo positivo. No entanto, é importante ponderar cada decisão, saber que qualquer mudança drástica na carreira pode comportar riscos (por vezes, elevados) e, mesmo, levar a retrocessos.

O artigo continua após o anúncio

Ainda que sempre sem garantias de sucesso, a preparação é fundamental.

Como se preparar para mudar de carreira várias vezes

acordo

1. Siga as suas paixões

Nunca é tarde para fazer algo de que realmente gosta. Convença-se disso, pois é verdade. Não faltam exemplos na história de gente que mudou várias vezes de carreira em busca da sua verdadeira paixão.

Pode experimentar outras funções dentro de uma empresa, mudar de ramo ou estudar e aprender uma nova profissão, fazer uma pós-graduação ou mesmo um doutoramento.

Procure. Experimente. Pelo caminho, vai alargar os seus conhecimentos e a sua experiência profissional e de vida, correndo o risco de encontrar algo que realmente gosta de fazer.

2. Mantenha-se curioso

Há áreas de trabalho onde a mudança é inevitável, como as tecnologias de informação. Desta forma, mesmo que permaneça muito tempo numa mesma empresa, sentirá o desafio.

Ainda assim, manter a curiosidade, querer saber e fazer mais vai permitir-lhe manter-se interessado, atualizar-se, desenvolver capacidades e evoluir profissionalmente. Leia, observe, converse, informe-se, mantenha-se atento. Segundo um velho ditado português, “parar é morrer”. Portanto, continue.

3. Aposte na formação contínua

Nunca se convença de que já sabe tudo. Esse é o fim de qualquer carreira. Estar disposto a aprender é um ingrediente vital para quem aposta em mudar de carreira vezes sem conta.

Use a sua experiência, conhecimento, maturidade e humildade para evoluir. Avalie os erros do passado e o que pode fazer para melhorar no presente e futuro. Seja um eterno estudante. Esteja recetivo a aprender com todos, incluindo os mais novos e a sua carreira não terá fim à vista.

O artigo continua após o anúncio

Quanto mais souber, mais portas poderá abrir, incluindo a do empreendedorismo. O seu percurso pode passar por criar o seu próprio negócio. Porque não?

4. Analise a cultura da empresa

Aproveitar uma nova oportunidade de emprego, manter uma paixão ou fazer o trabalho necessário para pagar as contas… O mais importante é olhar para a cultura da empresa a que se candidata, antes de decidir aceitar um emprego.

Procure uma empresa que tenha um histórico comprovado de diversidade e inclusão, especificamente no que toca à faixa etária. Mais do que dizer que aceita todas as idades é importante mostrar essa realidade na equipa de colaboradores. A igualdade, o respeito e a valorização de todos os recursos humanos é um aspeto importante para que possa sentir-se motivado.

Perceba, ainda, o que a empresa valoriza, qual a liberdade em termos de horários, assim como a possibilidade de desenvolver competências e progredir na carreira.

5. Conheça os seus pontos fortes

É fundamental que tenha a perfeita noção de quais são os seus principais pontos fortes. Essa é a sua grande vantagem. Por isso, encontre um papel que destaque essas forças, para conseguir garantir o sucesso do seu trabalho e ser competitivo.

As habilidades conseguidas ao longo da sua vasta experiência profissional, combinada com a sua capacidade de liderança e conhecimentos específicos de um determinado setor podem revelar um perfil ímpar, talhado para o sucesso de um projeto. Faça uma auto-avaliação, perceba o que faz efetivamente bem e faça uso desses trunfos.

Pelo caminho, não se esqueça da sua personalidade, de se manter autêntico. Para continuar a ser um bom profissional, não pode desvalorizar o que é como pessoa.

6. Prepare-se para trabalhar até mais tarde

O número de pessoas com 65 anos ou mais no auge da sua capacidade de trabalho é o mais alto da última metade de século. Uma realidade que deverá manter-se.

O artigo continua após o anúncio

De acordo com um estudo da Bureau of Labor Statistics (EUA), 36% das pessoas com idades compreendidas entre 65 e 69 anos farão parte da população ativa (a trabalhar) até 2024.

Este número deve-se, em parte, a razões financeiras. O alto custo de vida e as baixas reformas, não permitem deixar de trabalhar. Por outro lado, a maior expectativa de vida e uma multiplicidade de fatores levam cada vez mais gente a planear alternativas e a mudar de carreira várias vezes.

Os planos passam por identificar e aprender novas habilidades para competir no mercado de trabalho atual, de modo a alcançar a liberdade financeira necessária para encontrar um trabalho que forneça um estímulo intelectual e criativo, para perseguir paixões ou, simplesmente, para se manter ocupado.

Se tiver todos os pontos apresentados em máxima consideração, vai poder mudar de carreira as vezes que quiser, com mais facilidade, consciente das suas capacidades e objetivos.

Veja também:

Partilhar Tweet Pin E-mail WhatsApp