ebook
GUIA DO IRS
Patrocinado por Reorganiza
Ekonomista/Lusa
Ekonomista/Lusa
22 Fev, 2022 - 16:55

Salários de março vão ser ajustados às novas tabelas de IRS

Ekonomista/Lusa

Maioria dos trabalhadores vai reter menos imposto e levar mais dinheiro para casa já a partir do próximo mês.

Mulher a calcular salário de acordo com as novas tabelas de retenção na fonte

O Governo vai divulgar ainda este mês as novas tabelas de retenção na fonte do IRS, ajustando-as aos novos escalões deste imposto previstos no Orçamento do Estado para 2022.

Em causa, recorde-se, está o desdobramento do 3º e do 6º escalões do IRS, nos termos apresentados na proposta de OE que foi chumbada, mas que ao que tudo indica vai ser retomada:

EscalãoRendimento ColetávelTaxa Normal
Até 7112€14,50%
7112€ – 10.732€23%
10.732€ – 15.216€26,50%
15.216€ – 19.696€28,50%
19.696€ – 25.076€35%
25.076€ – 36.757€37%
36.757€ – 48.033€43,5%
48.033€ – 75.009€45%
A partir de 75.009€48%

Qual o impacto nos salários dos trabalhadores?

Apesar de serem divulgadas este mês, as novas tabelas de retenção na fonte só vão entrar em vigor em março, ainda que a entrada em vigor do OE 2022 só esteja prevista para o 2º semestre do ano. Isto significa que o impacto nos salários líquidos dos trabalhadores por conta de outrem só se vai fazer sentir no terceiro mês do ano e não terá efeitos retroativos.

Ou seja, os salários já pagos com as atuais taxas de retenção não serão recalculados, sendo o imposto eventualmente cobrado em excesso devolvido em 2023, no acerto anual de contas com o Fisco.

O mesmo não acontecerá, contudo, com os pensionistas que, na sequência da atualização das respetivas pensões, terão uma correção da retenção com retroativos a janeiro.

Esta revisão das tabelas de retenção na fonte antecipa uma das promessas eleitorais de António Costa: reduzir desde já a carga fiscal nos escalões médios e médio-alto. Por outras palavras, permitir que os contribuintes retenham menos imposto, passando a levar mais rendimento líquido para casa.

Veja também