ebook
GUIA DO IRS
Patrocinado por Reorganiza
Ekonomista
Ekonomista
12 Jan, 2022 - 12:30

Tabelas de retenção na fonte: quanto vai descontar de IRS em 2022

Ekonomista

As tabelas de retenção na fonte de IRS aplicam-se aos trabalhadores dependentes e pensionistas. Saiba quanto vai descontar de imposto em 2022.

As tabelas de retenção na fonte de IRS para 2022 já foram publicadas. Os trabalhadores dependentes e os pensionistas já podem, por isso, calcular quanto vão ter de descontar de IRS todos os meses, no próximo ano.

As tabelas de retenção na fonte estão relacionadas com a cobrança do Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares (IRS). Discriminam as percentagens que incidem sobre o salário bruto dos trabalhadores e que a entidade patronal entrega diretamente ao Estado, como forma de liquidação antecipada do imposto.

Tabelas de retenção de IRS para 2022

A taxa de retenção a aplicar depende de vários fatores, entre eles: o salário bruto (ou pensão), a situação familiar do contribuinte (casado, solteiro, com ou sem filhos) e, no caso de ser casado, se existe um ou dois titulares de rendimentos no agregado.

Para saber quanto vai descontar de IRS todos os meses, já em 2022, consulte ou descarregue no link abaixo as novas tabelas de retenção na fonte, constantes do Despacho n.º 11943-A/2021.


O que muda com as novas tabelas de IRS?

1

Salários até 710 euros deixam de fazer retenção na fonte

Em 2022, o valor dos salários a partir do qual se começa a descontar IRS aumenta dos 686 euros (valor de 2021) para os 710 euros mensais brutos. O objetivo é assim acomodar a subida do salário mínimo que em 2022 foi fixado em 705 euros mensais.

Na prática, com este aumento do patamar mínimo de retenção, calcula-se que 570 mil agregados familiares deixarão de descontar IRS todos os meses.

2

Redução das taxas de retenção de IRS

Além daqueles que passam a não fazer retenção, ao longo de 2022 os contribuintes de uma forma geral vão descontar menos IRS mensalmente.

Isto porque as novas tabelas de retenção refletem uma redução das taxas aplicáveis nos vários escalões de rendimento, sendo esta alteração mais expressiva nos rendimentos mais baixos

Esta redução visa, assim, aproximar o valor de imposto com o valor de imposto realmente devido, tendo como objetivo permitir mais um pequeno aumento do rendimento disponível das famílias no final do mês. Mas em contrapartida, devem receber um reembolso de IRS mais baixo do que em anos anteriores.

3

Tabelas para pensionistas atualizadas só no escalão mais baixo

No caso dos pensionistas, nas tabelas de retenção na fonte apenas se registou uma alteração ao escalão mais baixo, dado que, de acordo com o Governo, já existia ajustamento entre as retenções na fonte e o valor do imposto a pagar.  

Como consultar as tabelas de retenção na fonte?

Tomemos como exemplo um trabalhador solteiro, sem filhos, e que receba 1.000 euros brutos por mês (14 mil euros/ano). Para identificar a taxa de retenção na fonte que lhe é aplicada, deve proceder da seguinte forma:

  1. Identificar a tabela correspondente à combinação “trabalho dependente” e “não casado”;
     
  2. Na coluna do lado esquerdo, escolher o intervalo salarial em que se insere o rendimento mensal bruto. Assim, neste caso, como a remuneração é de 1.000 euros, deve escolher a linha até 1.005 euros;
     
  3. Deve então seguir essa linha até cruzar com a coluna relativa ao número de dependentes que tenha a cargo. Como o contribuinte não tem dependentes, deve escolher “0”. A taxa de retenção na fonte a aplicar é então de 11,3% (em 2021 a taxa de retenção na fonte era de 11,4%).