ebook
Ebook Finanças (s)em Crise
Um guia para tempos complicados
Teresa Campos
Teresa Campos
05 Mai, 2021 - 11:36

Seborreia: como lidar com este problema de pele

Teresa Campos

A seborreia é uma inflamação que provoca a descamação e a vermelhidão da pele. Apesar de ser uma doença crónica, é possível controlar os seus sintomas.

mulher a ver-se ao espelho

A seborreia ou dermatite seborreica é uma doença crónica de pele que afeta, sobretudo, o couro cabeludo e zonas do rosto, como as sobrancelhas, as pálpebras, os vincos do nariz, os lábios e as orelhas. Os sintomas desta inflamação podem manifestar-se de forma irregular, ou seja, haver períodos sintomáticos e períodos assintomáticos da doença.

A causa da seborreia ainda é desconhecida, embora possa estar associada a fatores genéticos ou externos, como fungos, alergias, fadiga, stress, baixas temperaturas, consumo de álcool, toma de medicamentos e/ou excesso de oleosidade.

Apesar de não ser contagiosa, a seborreia é uma doença muita vezes envolta em estigma. Porém, este problema de pele não é causado por falta de higiene, nem é transmissível. Em caso de suspeita da doença, é recomendável a consulta de um médico especialista, como um dermatologista.

Seborreia: tudo o que precisa de saber sobre esta doença

O diagnóstico da seborreia é feito, principalmente, através da observação dos sintomas da doença. Apesar de geralmente atingir o rosto ou o couro cabeludo, a doença também pode afetar a zona do tórax. Eis os seus sintomas mais típicos:

  • oleosidade na pele e no couro cabeludo;
  • caspa;
  • queda de cabelo;
  • vermelhidão;
  • escamas amareladas e oleosas que podem causar ardor;
  • prurido, sobretudo se existir infeção.

Para confirmar o problema em questão, o dermatologista pode ainda proceder à realização de alguns exames clínicos, como o micológico, a biópsia e o teste de contato.

homem com seborreia

Tratamento

Apesar de ser uma doença crónica, os sintomas de seborreia podem ser atenuados, recorrendo a algumas medidas, tais como:

  • lavar mais regularmente o cabelo;
  • evitar o uso de sprays, pomadas e géis no cabelo;
  • não usar chapéus ou bonés;
  • recorrer a champôs com componentes como ácido salicílico, alcatrão, selénio, enxofre, zinco e antifúngicos;
  • aplicar cremes/pomadas com antifúngicos e com corticosteroides.

Cumprir com as indicações médicas é a melhor forma de evitar crises e manter a doença controlada. Além das medidas elencadas, pode ser importante evitar comportamentos pouco saudáveis, como ter uma dieta desequilibrada; fumar; ou ingerir bebidas alcoólicas.

Há ainda outros hábitos que podem ajudar a atenuar os sintomas da seborreia, como é o caso de:

  • tomar banhos de água tépida;
  • secar bem o corpo, antes de se vestir;
  • preferir roupas em algodão ou noutro tecido que não retenha o suor;
  • evitar o stress físico e mental e a ansiedade;
  • remover bem o champô e o creme do cabelo, depois de lavar a cabeça. 
pessoa com psoríase nos braços
Veja também Psoríase: sintomas e formas de tratamento e controlo da doença

Seborreia nos recém-nascidos

Os recém-nascidos costumam ter uma seborreia, normalmente designada de crosta láctea. Porém, ao contrário da dermatite seborreica, esta não é uma manifestação crónica, sendo uma condição inofensiva e temporária, que passa naturalmente.

Geralmente, a seborreia nos recém-nascidos carateriza-se pela presença de cascas grossas amarelas ou castanhas no couro cabeludo ou por escamas nas pálpebras, nas orelhas, ao redor do nariz e nas virilhas. Apesar de não carecer de nenhum tipo de tratamento específico, pode sempre consultar o pediatria da criança para perceber se existem alguns cuidados que deva ter.

Como referimos, a seborreia não é uma doença contagiosa ou causada por falta de higiene. Por isso, é fundamental combater o estigma que ainda existe à volta dela e dos doentes que padecem deste problema de pele.

Se tem dermatite seborreica e sente que esta patologia afeta a sua auto-estima e bem-estar psicológico, então não deve hesitar em consultar um terapeuta que o possa ajudar a lidar melhor com os sintomas associados a esta doença.

Veja também