ebook
           
GUIA DO REGRESSO ÀS AULAS
Patrocinado por Escola Virtual - Grupo Porto Editora
Catarina Reis
Catarina Reis
02 Ago, 2022 - 13:00

Trabalhar em Espanha: o guia essencial

Catarina Reis

A ponderar ir trabalhar em Espanha? A conjuntura económica portuguesa tem levado muitos a abandonar o país, em busca de melhores condições de vida.

rapariga-viajar-aeroporto

Ainda que não seja uma opção nova para os Portugueses, tendo em conta que existem já mais de 137 mil emigrantes portugueses na vizinha Espanha, não deixa de ser um país diferente, com línguas e costumes próprios. Se não está familiarizado com a realidade deste país, é necessário que se informe ainda antes de partir para trabalhar em Espanha.

Requisitos para trabalhar em Espanha

Antes de mais, é importante referir que para ser possível trabalhar legalmente em Espanha é necessário ser residente no país. O requisito número 1 para trabalhar em Espanha é obter uma autorização de residência e trabalho. 

O trabalhador pode registar-se de duas formas: 

A diferença entre os dois reside no vínculo laboral – no primeiro caso o indivíduo tem um negócio próprio, enquanto no segundo tem um contrato de trabalho com uma empresa sediada em Espanha.

Outro requisito é dirigido aos estudantes que pretendem trabalhar em Espanha. Se conseguir uma autorização para estudar em Espanha pode obter também uma autorização para trabalhar em regime de part time, extra curricular, ou mesmo em full time se estiver em causa um estágio curricular.

voos baratos

Impostos

As obrigações contributivas são um aspeto importante a ter em conta quando se pretende trabalhar em Espanha. No entanto, não há nada substancialmente diferente em relação à forma como este assunto funciona em Portugal. 

Ao invés do IRS português, em Espanha existe o equivalente IRPF. As contribuições para a segurança social também variam consoante o tipo de contrato de trabalho, e do tempo de trabalho.

Salários

O salário mínimo Espanhol ronda os 1.000 euros. Ainda que superior ao praticado em Portugal, que ronda os 700 euros, é um salário baixo, se comparado com outros países europeus. Como é evidente, o valor do salário para quem trabalha em Espanha é influenciado por fatores como a idade, as habilitações académicas, experiência profissional e cargo, entre outros. 

Habitação

O custo de vida em Espanha é superior ao português. A título de exemplo, o aluguer de uma casa com duas assoalhadas pode rondar entre os 500 e os 800 euros. A esse valor acrescem ainda custos com água, eletricidade e telecomunicações. (As despesas extra mencionadas rondam cerca de 150 euros mensais).

Cuidados de saúde

O Estado Espanhol cobre as necessidades de saúde dos seus cidadãos, através do Sistema Nacional de Saúde. Os tratamentos dentários (exceto extrações e casos concretos) e os problemas óticos são tratados por via privada. Os cidadãos portugueses podem aceder aos serviços de saúde espanhóis, obtendo o Cartão Europeu de Seguro de Doença.

Língua

Ainda que o castelhano seja a língua predominante, o bilinguismo é uma prática habitual no país. O castellano é a língua oficial, materna para cerca de 89% da população, mas existem outras co oficiais, que são o catalán, o gallego, o euskera e o aranés.

Muitos consideram 2 línguas como maternas, o ideal será que analise qual a língua predominante na região para a qual pretende emigrar, de modo a aprender o básico ainda antes de partir.

Visto

Os cidadãos portugueses, tendo em conta que são nacionais de um Estado Membro da União Europeia, podem deslocar-se livremente sem precisar de visto, devendo apenas identificar-se com Bilhete de Identidade, Cartão de Cidadão ou passaporte nacional válidos.

Para períodos de residência superiores a três meses, os indivíduos deverão registar-se junto à Câmara Municipal da área onde estão a residir, necessitando, para isso, de uma certidão internacional de nascimento, bem como da restante documentação válida.

Custo de vida

Sendo Espanha um território bastante maior do que o português, há um outro fator a ter em conta para calcular o custo de vida: varia bastante consoante o território, com as diferenças a acentuarem-se a nível por exemplo de habitação ou de transportes públicos. 

Naturalmente, os preços são mais elevados em Madrid e Barcelona. O custo médio de arrendamento de um apartamento  com duas assoalhadas  de 50 m2 em Madrid é de 700 euros, e em Barcelona situa-se nos 900 euros. Um almoço num restaurante tem o preço médio de 10 euros.  

Vantagens de trabalhar em Espanha

Proximidade geográfica

Não há outro país no mundo no qual os portugueses se possam sentir tão próximos de casa como em Espanha.

Língua

A facilidade com que os portugueses podem falar e entender a língua espanhola é também um fator importante para que as coisas corram bem em termos de adaptabilidade a um país estrangeiro.

Profissões mais procuradas para quem quer trabalhar em Espanha

Turismo: embora o setor do turismo tenha sido muito afetado por causa da pandemia, agora a situação parece estar francamente a retomar, pelo que poderemos considerar que será mais seguro procurar emprego nesta área neste momento. 

Docentes com competências a nível de tecnologias digitais. 

Comércio eletrónico: empresas como Amazon e Decathlon estão em grande força ao admitirem milhares de trabalhadores de comércio electrónico.

Especialistas em marketing digital, especialmente no que diz respeito à gestão de redes sociais, estes empregos relacionados com o crescimento da Internet estão em alta em Espanha.

Veja também