ebook
Ebook Finanças (s)em Crise
Um guia para tempos complicados
Teresa Campos
Teresa Campos
27 Jan, 2021 - 10:42

Eczema: saiba como lidar e tratar este problema da pele

Teresa Campos

O eczema consiste numa reação inflamatória crónica da pele, que pode ser causada por fatores internos ou externos. Saiba como prevenir e tratar.

eczema no braço

A nossa pele é um órgão – o maior órgão do corpo humano – e precisa dos seus óleos naturais para se hidratar e prevenir infeções. Por vezes, esses óleos naturais não existem em quantidade suficiente, levando a que a pele fique dura, seca e até com crostas. Assim se forma o eczema.

A pele fica quente, ruborizada, vermelha e inchada. Por vezes, com saída de matéria das camadas mais profundas da pele e causando comichão. Este problema pode aparecer em qualquer parte do corpo, mas é mais comum nas zonas onde a pele tem mais pregas, ou seja, atrás dos joelhos e cotovelos.

Atualmente, um em cada doze adultos e uma em cada cinco crianças tem eczema.

Eczema: sintomas e causas

O eczema é geralmente composto por três situações:

  • Eritema – cor da pele alterada para rosa ou vermelho vivo, que desaparece quando se exerce pressão com o dedo;
  • Pápulas – a superfície da pele fica com uma elevação, que se torna sólida;
  • Vesículas – acumulação de líquido de espécie gordurosa nessas bolhas.

Por vezes, podem surgir crostas e, numa fase mais crónica, a pele torna-se mais escura, com menos pêlo e com pregas naturais.

eczema na mão

Dicas para minorar os sintomas de eczema

  • Não coçar a zona afetada (quanto mais coçar, pior vai ficar);
  • Usar champôs e gel de banho o mais neutros possível;
  • Utilizar luvas ao manusear detergentes;
  • Utilizar produtos de cosmética para pele seca;
  • Evitar ambientes muito secos e de grande poluição;
  • Evitar temperaturas extremas;
  • Não utilizar lã ou tecidos sintéticos.

Causas

Não são conhecidas com exatidão as causas que podem determinar o eczema, mas a verdade é que há pessoas que têm mais facilidade em desenvolver eczema do que outras. Alguns estudos apontam para o facto desta doença poder ser genética.

Existem alguns fatores, internos e externos, que podem contribuir para o aparecimento de eczema como, por exemplo:

Geralmente, quem sofre deste problema tem também algum tipo de alergia, por exemplo, a pêlos de animais, pó, pólen ou a alguns alimentos.

Tratamentos para o eczema

O eczema é um problema crónico e não tem, por isso, cura. O que é possível é controlar o avançar da doença e dos sintomas associados, de acordo com o tipo de alimentação, ambientes frequentados e estilo de vida.

O tratamento do eczema é sobretudo tópico, ou seja, recorre a produtos para aplicar na superfície da pele. No entanto, por vezes, esta abordagem pode não ser suficiente e exigir a toma de medicação oral.

Também a hidratação, a aplicação de cremes neutros, esteroides tópicos, antibióticos e fototerapia são outras das abordagens possíveis.

Se o eczema for localizado, aplicam-se geralmente pomadas com corticoides na zona afetada. Quando o problema é generalizado, é necessário tomar esses corticoides por via oral. Para o problema do prurido, podem utilizar-se anti-histamínicos.

mulher a hidratar cotovelo

Hidratantes

É muito importante hidratar a pele. Deve aplicar-se um hidratante neutro várias vezes ao dia, para que sirva de barreira às agressões externas que a pele sofre.

Quanto mais seca se encontrar a pele, mais vezes deve aplicar o creme. Prefira os cremes oleosos e antisséticos e rejeite os cremes aquosos pelo facto de, por vezes, piorarem o eczema.

Cremes ou pomadas para aplicação tópica

Os cremes com medicamento para aplicação direta na pele têm, geralmente, uma boa eficácia no alívio da vermelhidão e da comichão causadas pelo eczema ativo.

A dosagem varia de pessoa para pessoa e deve ser sempre recomendada pelo médico assistente. Geralmente, as pomadas são preferíveis aos cremes.

Esteroides tópicos

Também para utilizar diretamente na pele, os esteroides são bastante eficazes e seguros. No entanto, a sua aplicação deve ter um seguimento de perto por parte do médico assistente para que controle eventuais efeitos indesejados! Siga à risca as indicações clínicas.

Antibióticos e antisséticos

No caso de estarmos perante um eczema húmido, com líquido e com crostas, é geralmente necessário recorrer a antibióticos e a antisséticos.

Apesar de serem excelentes no combate às infeções, os antisséticos, quando utilizados de forma incorreta, podem irritar mais a pele, pelo que é necessário um grande cuidado no uso dos mesmos.

Anti-histamínicos

Quando os sintomas de eczema são acompanhados por alguns sintomas alergénicos, o médico assistente pode recomendar a toma de anti-histamínicos, que são particularmente úteis no seu efeito sedativo, para que o paciente consiga descansar, sobretudo nas fases de crise.

Ligaduras e compressas

Esta barreira física, colocada sozinha ou com medicamento, pode ser bastante útil, pois evita que o doente se coce. Consulte o seu médico para uma melhor adequação das ligaduras e compressas ao tratamento do eczema.

Fototerapia

Finalmente, existem estudos que comprovam a eficácia da radiação UVA e UVB no tratamento do eczema. Quando aplicada em conjunto com o tratamento convencional, esta prática pode ser muito eficaz e altamente terapêutica.

Mulher com pele sem problemas
Veja também 8 boas dicas para uma pele sem problemas

Diferentes tipos de eczema

Eczema numular

Com causas ainda bastante desconhecidas, o eczema numular é uma doença com tendência a ser crónica e manifesta-se através da formação de lesões arredondadas (daí o nome), avermelhadas, com vesículas e até com formação de crostas.

Estas manifestações são geralmente causadas por um excessivo ressecamento da pele e por infeções de bactérias. Além destes sintomas visíveis a olho nu, este problema faz com que o paciente sinta bastante comichão, sobretudo na área das pernas, antebraços, tronco, mãos e pés.

O eczema numular não é contagioso e atinge principalmente pessoas na casa dos 70 anos. Duas pessoas em mil sofrem deste problema.

Eczema disidrótico

Bolhas com líquido nas plantas dos pés e nas palmas das mãos, assim se caracteriza, de um modo geral, o eczema disidrótico, sendo que ele vem quase sempre acompanhado de bastante comichão.

Regra geral, estas bolhas permanecem no corpo durante cerca de três semanas e podem relacionar-se com alergias sazonais ou com problemas psicológicos, como o stress.

Este problema, também conhecido como disidrose, é mais comum na altura do verão e são as mulheres quem mais sofre com ele.

criança com eczema atópico

Eczema atópico

O eczema atópico, também conhecido como dermatite atópica, é um problema de pele que consiste numa inflamação deste órgão, associada a muita comichão. A evolução da doença pode ser aguda ou crónica.

Tem uma maior incidência em bebés até aos seis meses e pode desaparecer até aos dois anos de idade ou, pelo contrário, manter-se durante alguns anos ou até a vida toda. Regra geral, ocorrem cerca de nove surtos por ano, com uma duração de 15 dias cada.

Veja também