ebook
GUIA DO IRS
Patrocinado por Reorganiza
Catarina Milheiro
Catarina Milheiro
25 Abr, 2022 - 15:06

Porque todas as minhas plantas morrem? Conheça 7 motivos

Catarina Milheiro

Todas as suas plantas morrem e não sabe o porquê? Fique connosco, saiba qual pode ser a causa e comece já a prevenir.

Porque todas as minhas plantas morrem? – quase todas as pessoas já se fizeram esta pergunta, certo? Por muito que as plantas sejam maravilhosas, quer para a decoração quer para o nosso bem-estar, por vezes elas acabam por morrer sem um motivo aparente (ou, pelo menos, sem que saibamos reconhecer a razão).

A verdade é que as plantas domésticas não morrem sem qualquer tipo de motivo, mas é normal que possa ficar na dúvida – especialmente se for novo no mundo da jardinagem (exterior e interior).

A boa notícia é que as plantas que temos habitualmente em casa são bastante previsíveis e a grande maioria das mortes são causadas por poucos fatores comuns, inerentes a todas – dependendo das espécies, claro. Fique connosco e descubra tudo.

Porque todas as minhas plantas morrem?

As 7 causas mais comuns

planta doente
1.

Não mudar a planta de vaso

Se não sabe por que motivo as suas plantas morrem, não mudar a planta de vaso pode estar na origem do problema. Por vezes, as plantas que compramos já estão no limite da sua capacidade de crescimento no vaso em que se encontram.

Por isso mesmo, nem sempre é boa ideia deixá-las no mesmo vaso meses a fio – se o fizermos, a probabilidade de morrerem é elevada.

Para que isso não aconteça, mude sempre a planta de vaso (para um maior) depois de a adquirir e não se esqueça de colocar um substrato adequado às suas necessidades de desenvolvimento.

3 regras a ter em conta:

  1. Espreite as raizes por baixo do vaso e se estiverem a sair pelos furos de drenagem, é sinal de estarem apertadas – hora de mudar para um vaso maior;
  2. Se trouxe uma planta nova para casa, espere sempre alguns dias antes de mudar o vaso – lembre-se que a planta está em stress, a adaptar-se ao novo ambiente e condições;
  3. Em relação às plantas que já tem em casa, sempre que possível, aproveite os meses de primavera e verão para o transplante.
2.

Escolher as plantas erradas

Todos nós sabemos como é fácil ficar deslumbrado em qualquer horto – são inúmeras as plantas, árvores e flores disponíveis para trazermos para as nossas casas.

No entanto, muitas vezes acabamos por comprar plantas que não conhecemos, não sabemos como funciona o seu ciclo de vida, o período de floração e as necessidades em termos de solo, luz e água.

E apesar de as expectativas serem altas para aquela planta tão bonita que compramos, a verdade é que não sabemos cuidar dela, fazendo com que acabe por morrer.

Assim, o ideal é informar-se sempre sobre o tipo de planta que vai adquirir, evitando comprar plantas muito sensíveis ou exigentes se o objetivo for inseri-las num vaso ou floreira, por exemplo.

3.

Regar demais

Um dos motivos mais comuns para a morte das plantas é precisamente a rega em demasia: denominada por asfixia radicular.

Sabia que existem muito poucas plantas que conseguem lidar com uma rega diária? A verdade é que elas precisam de água, mas também de ar perto das raízes.

Por isso o nosso conselho passa por esperar até que a camada superior do solo esteja totalmente seca para poder regar. Além disto, pode ainda procurar sinais de sede na sua planta, através de folhas secas ou murchas até.

O importante é compreender que as plantas podem não precisar de ser regadas sempre e que a água em demasia pode levar à morte. Precisa de mais uma dica? Antes de regar, coloque sempre o seu dedo no solo da planta – se ainda estiver húmido, não precisa de ser regada.

4.

Substrato errado

Muitas vezes, por falta de conhecimento, escolhemos um substrato qualquer para as nossas plantas. Contudo, é necessário que se informe. Afinal, nem sempre o mais barato é a escolha mais inteligente.

Para escolhermos o substrato mais adequado devemos saber o tipo de planta que temos e recorrer a um substrato no qual ela se desenvolva de forma adequada.

Isto porque existem disponíveis no mercado substratos para tudo: desde catos e suculentas, plantas aromáticas, acidófilas, plantas de flor, hortícolas, frutos, etc.

Por exemplo: se vai colocar no mesmo vaso duas plantas distintas, como uma aromática e uma hortícola, deverá optar pelo substrato mais exigente – que neste caso é o das hortícolas.

5.

Má drenagem do vaso

Se ainda não encontrou resposta para a questão “porque todas as minhas plantas morrem?”, talvez a falta de drenagem esteja na origem do problema.

Quando não há qualquer tipo de drenagem as plantas morrem e esta é uma das causas de morte mais comuns atualmente.

De facto, se não há drenagem eficiente, qualquer água que esteja em excesso vai-se acumular por não ter por onde sair. E consequentemente a planta começa a apodrecer.

Por isso, opte sempre por comprar vasos com orifícios para a drenagem correta das plantas.

6.

Condições erradas de luz

Isto acontece normalmente quando não conhecemos muito bem o tipo de planta que acabamos de adquirir e acabamos por fazer tudo errado sem nos apercebermos.

Para que isso não aconteça, é essencial que evite este erro de duas formas:

  1. Avaliando as condições de luz e sol que tem disponíveis em casa;
  2. Utilizando plantas que se adaptem a essas condições.

Por exemplo: há plantas como os jarros ou as hortenses, que preferem poucas horas de sol direto e aguentam menos horas de luz.

No fundo, o importante é saber que nenhuma planta sobreviver sem pelo menos 3 a 4 horas de luz por dia.

Mulher jovem cuida de planta de interior
Veja também Pragas em plantas de interior: identifique as mais comuns e trate corretamente
7.

Pragas

Quantas vezes passamos pela planta, reparamos que a folha está estranha, mas não fazemos nada porque pensamos que o tempo ou outro fator qualquer poderá estar na origem do problema?

Na verdade, é crucial termos o cuidado de comprar plantas saudáveis e estarmos atentos aos sinais como manchas, pontas secas ou pintas – nunca são um bom indício.

Para evitar uma grande parte dos problemas causados pelas pragas e doenças, não há nada como prevenir. Assim, pelo menos de 15 em 15 dias, deve observar as suas plantas com atenção para garantir que estão bem.

Depois, remova as folhas e flores secas e com manchas, sendo que estas podem contribuir para o aparecimento de doenças e pragas. Retire também os caules onde não vai haver mais floração e terá a sua planta saudável por muito mais tempo.

Estamos certos que com o tempo vai começar a conhecer as suas plantas e a saber qual a melhor forma para lidar com elas. Nunca mais vai ter de se perguntar por quais motivos todas as plantas lá de casa estão a morrer.

Veja também