Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Marta Maia
Marta Maia
07 Ago, 2020 - 10:11

5 dicas para poupar nas férias em ano de pandemia

Marta Maia

Saiba como pode poupar nas férias, mesmo depois do aumento dos preços. Siga estas dicas para uns dias de descanso leves e saudáveis.

poupar nas férias

Se ir de férias já provoca, naturalmente, uma mossa no orçamento familiar, fazer uma viagem durante a pandemia pode levar qualquer bolso ao limite. Com as viagens internacionalmente restritas e os serviços hoteleiros nacionais a sentirem um pico na procura, os preços subiram a olhos vistos e os portugueses procuram formas de suavizar o custo da pausa.

Ainda assim, há estratégias que tornam possível poupar nas férias mesmo quando os preços não estão a nosso favor. Reunimos algumas dicas que pode implementar já – e até pode anotar para o futuro, porque a poupança é bem-vinda independentemente das ameaças à saúde!

POUPAR NAS FÉRIAS SEM SACRIFICAR A Segurança

família piquenique
1

Para fora, mas cá dentro

Nunca o lema “vá para fora cá dentro” fez tanto sentido como agora. Por um lado, as viagens internacionais estão sujeitas a restrições muito apertadas; por outro ao ser turista no seu próprio país também está a ajudar a economia nacional a recuperar.

Além de ser uma boa forma de poupar dinheiro nestas férias, viajar dentro de Portugal também lhe permite uma maior segurança: tem sempre o Serviço Nacional de Saúde ao alcance, sabe a que autoridades recorrer se suspeitar que teve algum contacto de risco e pode voltar para casa num instante, caso haja alguma emergência.

2

(Re)descubra o interior

Se precisa de uma pausa do rebuliço constante da cidade, esta é a oportunidade ideal para (re)visitar o interior do país.

O que não falta em Portugal são aldeias bonitas e históricas, prontas para lhe proporcionar as melhores memórias de sempre. E longe dos grandes centros urbanos, os preços também costumam ser mais convidativos, tanto no alojamento como na restauração.

Em tempo de pandemia, as vantagens das zonas rurais são mais do que óbvias: menor concentração de pessoas, mais espaço, muito ar puro e uma variedade de tesouros por descobrir. Quando são aldeias muito pequenas, geralmente os habitantes gostam de ver gente nova, recebem bem e farão de tudo para que volte no ano seguinte. Melhor do que poupar nas férias é gastar pouco e voltar para casa de coração cheio.

3

Vá com a família e amigos

A pandemia fez aumentar a procura dos alojamentos locais e não é por acaso: ter uma casa inteira só para si, sem mais ninguém por perto, é a melhor forma de garantir o distanciamento social e a segurança dos espaços que usa.

O problema é que, como muitos tiveram a mesma ideia, os preços subiram. As casas de alojamento local ficaram fora do alcance de muitos portugueses e a viagem pelo campo deixou de ser sinónimo de poupar nas férias por fugir aos tradicionais hotéis.

Há, no entanto, uma forma de contornar o problema: indo de férias com a família alargada ou com amigos. Assim, podem dividir a despesa por todos e pagar menos cada um. Sendo todos do mesmo grupo, sabem que estão seguros e até se divertem mais!

4

Colónias de férias semi-particulares

A verdade é que, quando se fala em poupar nas férias, não está em causa apenas uma viagem em família. Muitos casais têm de pagar por soluções de ocupação de tempos livres para os filhos durante o verão, e a pandemia veio estragar-lhes os planos.

Por um lado, muitos portugueses foram obrigados a antecipar as férias para o período de confinamento, perdendo direito a elas no verão. Por outro, muitas instituições de ocupação de tempos livres vão deixar de funcionar nas próximas semanas, deixando dezenas de crianças sem ter o que fazer nem onde ficar.

Assumindo que nem todos os pais podem pagar a uma babysitter para ficar em casa com as crianças todos os dias, vale a pena ponderar a criação de uma colónia de férias semi-particular, que junte um grupo de crianças próximas (vizinhos, primos, filhos de amigos…) sob a alçada de um monitor.

A vantagem das colónias de férias semi-particulares é que elas podem acontecer onde os pais quiserem (até em casa), durante o tempo que precisarem e com quantas (e quais) crianças decidirem. No fim, a remuneração dos monitores é a dividir por todas as crianças, saindo mais barata para cada uma.

5

Piqueniques com fartura

Os restaurantes são um dilema nesta fase: por um lado, férias que são férias têm de acontecer longe da cozinha; por outro lado, a pandemia levantou muitas dúvidas quanto à segurança dos espaços de restauração, e há famílias que preferem não arriscar.

Ora, se não abdica de poupar nas férias, mas também dispensa visitar o fogão todos os dias, é uma boa altura para tirar do armário a cesta do piquenique.

Qualquer lugar é bom para um piquenique: o areal da praia, a beira-rio, a sombra de um sobreiro, o topo da montanha… até o jardim de casa. Só tem de garantir que leva um farnel ao gosto da família, marcar uma hora e zarpar. Não precisa de máscaras, não fica com receio de tocar em superfícies contaminadas, não se mistura em confusões e pode ficar a conversar o tempo que quiser. No fim, percebe que poupar nas férias não tem de significar poupar no descanso ou na diversão.

É importante, acima de tudo, entender que poupar nas férias é mais fácil quando mantém a mente aberta. Dificilmente vai encontrar no interior português as mesmas ofertas que nas ilhas gregas, por exemplo, mas a qualidade do turismo nacional pode ser igual ou melhor do que muitas ofertas internacionais, sobretudo se for amante de espaços ao ar livre e de zonas verdes.

Mantenha-se focado no objetivo, que é descansar, e deixe-se surpreender pelo resto. Estas podem bem ser umas férias verdadeiramente inesquecíveis!

Veja também