Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Afonso Aguiar
Afonso Aguiar
07 Out, 2020 - 13:16

Bancos do novo Audi A3 são feitos a partir de materiais reciclados

Afonso Aguiar

Pela primeira vez na história da marca, os bancos do Audi A3 serão produzidos a partir de materiais reciclados. O objetivo é fazer o mesmo nos outros modelos.

Audi A3

As preocupações ambientais europeias são, cada vez mais, uma das principais preocupações dos construtores na hora de desenvolver um novo modelo. O objetivo das grandes marcas passa por diminuir consideravelmente os níveis de gases poluentes na atmosfera até 2030 e, posteriormente, ainda mais até 2050.

Nesse sentido, desde o início do século mas principalmente na última década, já se assistiu à introdução e desenvolvimento dos veículos a gás, híbridos, elétricos e até a hidrogénio. Algumas das principais capitais europeias já anunciaram, inclusive, que a partir de 2025 irão proibir a circulação de automóveis a Diesel.

Porém, enquanto uns procuram seguir as metas traçadas e limitam-se a mudar o sistema dos seus automóveis para opções mais “eco-friendly” (amigas do ambientes), como a eletricidade ou os carros híbridos, outros procuram fazer o próximo passo e tentam, constantemente, arranjar novas soluções para uma preocupação, também ela, cada vez mais presente nas mentes dos cidadãos europeus.

A Audi é uma dessas empresas, e foi com essa intenção que a construtora alemã decidiu que os bancos do novo Audi A3 serão feitos a partir de materiais reciclados.

Novo Audi A3: um carro mais amigo do ambiente

bancos audi a3
Audi A3: 89% do tecido “Torsion” consiste em garrafas PET recicladas.

“A indústria da moda produz joias, roupas e malas utilizando garrafas recicladas PET (Polietileno Tereftalato) como matéria prima. Além disso, cada vez mais móveis são fabricados a partir de vários resíduos, como papelão, garrafas de plástico e aglomerados de madeira. Agora, e pela primeira vez, a Audi utiliza materiais à base de garrafas de plásticos recicladas para o revestimento dos bancos do novo A3”, explica a marca alemã num comunicado.

Para conseguir o objetivo proposto, a Audi utiliza até 45 garrafas PET com capacidade de 1,5 litros por conjunto de bancos. No entanto, a introdução de materiais reciclados não se reserva aos bancos. Além disso, mais 62 garrafas PET são recicladas para os tapetes do novo Audi A3.

Segundo a Audi, o material reciclado é também aproveitado para o acabamento plástico do porta-bagagens e nos isolantes térmicos e acústicos. No entanto, para este último caso, não são detalhas ou enumeradas o número de garrafas PET usadas.

Porém, para a Audi, o objetivo não podia ser mais claro: “a percentagem de material reciclado em toda a oferta da Audi deve aumentar consideravelmente nos próximos anos. No processo, a marca premium continuará a oferecer aos seus clientes produtos com o mesmo nível de qualidade a que estão habituados”.

Pese embora a ambição e inovação, a mesma acarreta algumas dificuldades. Atualmente, o revestimento do banco ainda não é totalmente fabricado com material reciclável.

“O nosso maior desafio está na união entre a camada inferior e a superior do tecido, que é unida com material adesivo. Estamos a trabalhar para substituí-lo por poliéster reciclável”, assume no comunicado Ute Grönheim, o responsável pelo desenvolvimento de materiais na divisão de têxteis da Audi.

O mesmo acrescenta que o objetivo passa por “fabricar totalmente o revestimento do banco a partir de material sem quaisquer misturas, para que possa ser novamente reciclado”, acrescentando e colmatando que a sua equipa “não está muito longe para que isso aconteça.”

Assim que as dificuldades forem ultrapassadas, o foco mudará. A longo prazo, todos os estofos dos bancos em todas as gamas e modelos da Audi serão fabricados com material reciclado.

bancos feitos a partir de material reciclado: o resultado final

Bancos Audi

Pode optar por dois tipos de estofos diferentes. Os apelidados “Torsion” combinam o material reciclado com de tecido com couro sintético, em cor cinzento aço. Têm costuras em contraste em amarelo e estão disponíveis no pacote interior Design Selection. Ou seja, na versão base.

Já os estofos “Pulse”, limitados à versão S Line, misturam também o material reciclado com tecido com couro sintético. Porém, têm costuras em contraste cinzento rocha e assentam numa base de cores preto e prata. Segundo a marca, posteriormente será disponibilizada uma versão em preto e vermelho, com costuras em contraste.

Como se processa a reutilização das garrafas PET?

A marca alemã também explica como acontece todo o procedimento, a partir do momento em que uma qualquer pessoa deposite garrafas de plástico usadas para reciclagem. Na Alemanha, o depósito de garrafas de plástico a troco de talões de desconto nos supermercados é já uma prática regular, sendo que o cliente recebe 0.25 euros para gastar.

Depois de serem depositadas e ainda na zona do supermercado, as garrafas são prensadas, com o objetivo de economizar espaço para o transporte em camiões.

Na fábrica de reciclagem, são primeiro classificadas por cor, tamanho e qualidade. Depois, são moídas em grandes máquinas de trituração, sendo transformadas em flocos de plástico. Esses pequenos pedaços de plástico passam por um processo de lavagem e descontaminação. Finalmente, já em flocos, limpo e descontaminado, o PET está pronto para a máquina de extrusão, que derrete e molda o plástico.

O novo Audi 3 já está disponível em Portugal por um valor a começar nos 26.362 €. Pode optar por motorizações a gasolina ou gasóleo com 110 ou 150 cv (a versão 110cv só está disponível nos modelos a gasolina) e com uma cilindrada de 1.000, 1.500 cm ou 2.000 cm3 (na versão a gasóleo só é possível escolher os 2.000 cm3).

Veja também