ebook
           
GUIA DO REGRESSO ÀS AULAS
Patrocinado por Escola Virtual - Grupo Porto Editora
Catarina Gonçalves
Catarina Gonçalves
05 Ago, 2022 - 19:14

9 dicas para controlar finanças pessoais

Catarina Gonçalves

Chega ao fim do mês sem dinheiro e não sabe como? Tem dificuldade em por dinheiro de parte? Fique a par de algumas dicas para controlar finanças pessoais.

Garantir uma gestão eficiente e equilibrada das finanças pessoais e fazer com que o orçamento familiar cumpra o seu objetivo de governar a casa, é uma tarefa cada vez mais necessária, dado o aumento do custo de vida. Para cumprir esta tarefa precisa de disciplina, sinceridade, planeamento e alguma dose de bom senso. Partilhamos algumas dicas para controlar finanças pessoais.

Como controlar finanças pessoais em 9 passos

1

Saiba onde está: trace um diagnóstico

A primeira das dicas para controlar finanças pessoais é perceber se está a gerir bem o seu dinheiro. Para isso, pode abrir uma folha de cálculo ou utilizar uma aplicação para telemóvel para controlo de finanças pessoais. Em seguida deve fazer um levantamento das suas despesas e dos seus rendimentos e perceber se está a gerir bem o seu dinheiro.

Para tal, poderá estipular um orçamento mensal e verificar o que acontece mês após mês: se consegue poupar a meta estipulada e ter uma noção clara dos gastos mensais. Assim, saberá exatamente para onde vai o dinheiro.

2

Livre-se das dívidas

Libertar-se das suas dívidas é outra das dicas para controlar finanças pessoais. Por vezes, por dificuldades de gestão das finanças familiares contraem-se créditos e mais créditos que dificultam a gestão do dinheiro.

Pode escolher pagar os seus créditos utilizando as poupanças que já tem ou então optar por outras soluções como renegociar dívidas ou fazer um crédito consolidado.

3

Faça um orçamento

É mais fácil escolher um caminho quando sabemos para onde queremos ir. Por isso defina um orçamento em que discrimine as despesas fixas, dívidas, pagamentos e outras despesas ocasionais, e que lhe permita por algum dinheiro de parte para poupança (preferencialmente, 10% a 20% do orçamento estipulado).

Só vai conseguir por algum dinheiro de lado para poupança se as suas despesas mensais forem inferiores às receitas.

4

Defina prioridades e não descure a poupança

Por norma os recursos são sempre inferiores às necessidades, ou seja, os gastos serão superiores às despesas. A única forma de não perder o fio à meada e manter-se focado nos seus objetivos é definindo as despesas prioritárias e eliminando o que não é essencial, como por exemplo, compras supérfluas, refeições fora de casa, viagens.

É recomendável que estas despesas sejam eliminadas ou reduzidas até que retome o equilíbrio financeiro e tenha espaço para poupar. Lembre-se que dinheiro gera dinheiro e que quando aplicado pode render juros e dividendos.

5

Planeie e aponte todos os gastos mensais

Papel e caneta ou aplicação no telemóvel, escolha o que preferir. O que é importante é que aponte tudo o que pretende gastar no mês e fazer o controlo diário. O planeamento é a outra face do controlo.

Depois de definir as despesas essenciais, identifique também aquelas que estão relacionadas com o seu estilo de vida. Se gostava, por exemplo, de fazer uma viagem, defina o período a ir, qual é o custo total da empreitada e quanto deve poupar por mês para realizar este objetivo.

6

Não se esqueça da lista de compras quando for ao supermercado

Quantas vezes já esquematizou mentalmente o que quer do supermercado, mas não passou para o papel ou esqueceu-se de levar a lista consigo? É importante que não se esqueça de utilizar este instrumento quando for ao supermercado.

Através da lista de compras tem mais oportunidades de evitar desperdícios: foque-se só no que precisa. Ir ao supermercado com fome pode levá-lo a comprar uma série de coisas que não precisa, por isso, o melhor é confortar o estômago primeiro e ver o que está em falta.

7

Compare preços

Os folhetos promocionais, os blogues que comparam preços e lhe mostram os descontos da semana, podem ser poderosos aliados na comparação de preços. Para determinadas compras como as de tecnologia, deve ainda considerar os preços e as promoções online, que poderão fazer a diferença na sua carteira.

No entanto, não tenha apenas em conta o preço. Veja também a qualidade, outros produtos complementares que podem estar num pacote mais caro, mas que pode ser mais compensador.

8

Resista às compras por impulso

Comprar por impulso significa falta de reflexão sobre a real utilidade de determinado produto para a sua vida.

Para evitar este hábito e manter as finanças sempre em dia, comece a planear suas compras. Precisa de um vestido novo? Planeia comprar um casaco novo? Pode ponderar rever o seu guarda-roupa e refletir se aquele item é realmente necessário.

Durante esse período pode também pesquisar preços ou a possibilidade de o comprar em época de saldos ou promoções. Lembre-se que as compras a crédito com pagamentos fracionados podem comprometer o equilíbrio das suas finanças pessoais.

9

Disciplina, disciplina, disciplina

Eis a nona dica para controlar finanças pessoais: disciplina! O respeito pelos seus limites financeiros, tal como respeita os limites de velocidade, é a chave da disciplina.

A mesma disciplina que precisa para fazer exercício físico de forma sistemática e contínua, é necessária para o controlo das suas finanças. E também aqui deve evitar as ‘dietas yoyo’. Vai ver que a carteira lhe vai agradecer!

Veja também