6 resoluções financeiras para 2017

Seis resoluções financeiras para 2017 que deve tomar se quer melhorar a sua situação económica. 

6 resoluções financeiras para 2017
6 dicas para melhorar a sua situação financeira

Para os mais tradicionais, um novo ano começa sempre com resoluções. Se melhorar a sua situação financeira faz parte das suas resoluções, porque não aproveitar para definir também resoluções financeiras para 2017. Conheça seis resoluções financeiras para 2017 que deve tomar e que o vão ajudar a melhorar a sua situação económica. Tratam-se de resoluções financeiras passíveis de serem cumpridas pela maioria das pessoas.
 

6 resoluções financeiras para 2017 que deve tomar


1. Comece a poupar com base em objetivos bem definidos e realisticamente tangíveis. Defina objetivos de poupança para 2017 (idealmente semanais, mensais e anuais). No entanto, não defina valores que não pode cumprir. A motivação é fundamental. Depois é necessária disciplina para não deixar passar os objetivos que definiu. Defina, por exemplo, uma percentagem dos seus rendimentos que deverá poupar – 10 a 15% – ou recorra aos desafios de poupança que proliferam pela internet.

Veja também: 15 estratégias para poupar em 2017

2. Organize o seu orçamento familiar. Comece por fazer um orçamento familiar para organizar as suas contas, nomeadamente para controlar as despesas e os rendimentos. Se tiver dificuldades em fazer um orçamento familiar, recorra a aplicativos de finanças que se encontram na internet (alguns gratuitamente) e o ajudarão na tarefa.

3. Procure incrementar os seus rendimentos. Se, por muito que se esforce, não consegue poupar dinheiro no final de cada mês, então, muito provavelmente, a solução terá de passar pelo aumento de rendimentos. Por exemplo, aproveite os seus talentos para fazer trabalhos como freelancer ou venda o que já não usa através da internet.

4. Corte nos gastos desnecessários. Depois de organizar o seu orçamento familiar, mais facilmente perceberá para onde vão a maioria das despesas. Analise se pode cortar algumas dessas despesas, como, entre outros, na alimentação (menos jantares fora de casa, por exemplo), telecomunicações (renegociar ou cortar os pacotes de televisão, telefones e internet), e transportes (recorrer, sempre que possível, aos transportes públicos).

Relacionado: Como eliminar gastos desnecessários

5. Pagar as dívidas, impreterivelmente a tempo e horas, periodizando as mesmas. Por exemplo, pague primeiro as dívidas com juros mais altos, como os cartões de crédito. Lembre-se também de controlar as dívidas, estas não devem ultrapassar 30/35% dos seus rendimentos;

6. Procure também investir no seu futuro. Aplique algum dinheiro consoante o seu perfil de investidor ou aposte numa poupança reforma, até para acautelar possíveis situações imprevistas.


Veja também: