Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Mónica Carvalho
Mónica Carvalho
13 Ago, 2020 - 11:50

Conta bancária gratuita: conheça as opções existentes no mercado

Mónica Carvalho

De ano para ano, os bancos aumentam as comissões de serviços e ter acesso a uma conta bancária gratuita é algo cada vez mais raro. Mas ainda é possível.

conta bancária gratuita

As comissões bancárias têm vindo a aumentar nos últimos anos, o que torna cada vez mais difícil a missão de encontrar uma conta bancária gratuita. Na verdade, são cada vez menos os bancos que oferecem contas a custo zero e mesmo os que faziam disso a sua bandeira têm apertado as condições ou simplesmente optado por começar a cobrar.

Até o que tradicionalmente era isento de custos, como as contas ordenado que não pagavam comissão, está aos poucos a desaparecer. Contratar mais serviços para obter isenções também deixou de funcionar.

É caso para dizer que as contas bancárias gratuitas estão a tornar-se uma espécie em vias de extinção. A boa notícia é que com paciência e pesquisa é possível encontramos alguns exemplares, como os que partilhamos agora consigo.

Contas bancárias gratuitas: a oferta disponível no mercado

As entidades que ainda oferecem este tipo de contas não cobram comissões pelos serviços essenciais aos clientes particulares e afiançam a segurança das contas e depósitos através do Fundo de Garantia de Depósitos (até 100 mil euros).

Estas instituições financeiras permitem abrir uma conta à ordem, ter um cartão de débito simples, fazer levantamentos e pagamentos com esse cartão em território nacional, acesso online, transferências intrabancárias, depósitos de numerário ao balcão (quando existe) e adesão a débitos diretos, sem pagar comissões de manutenção e gestão.

São poucas é certo, mas ainda existem. Conheça, então, as opções bancárias que não lhe custam um cêntimo.

conta bancária online

Conta Simples ActivoBank

O ActivoBank tem um serviço exclusivamente online associado ao Millenium BCP e oferece uma das outras contas bancárias gratuitas a 100%. Pode abrir uma conta simples, de forma fácil, através da app disponível para Apple e Android. A Conta Simples inclui:

  • Abertura e gestão de conta sem custos;
  • Sem comissões de manutenção;
  • Mínimo de abertura é de 500€ (exceto em caso de domiciliação de ordenado, estudantes e aberturas de conta em ações de Worksite, cujo valor é de 100 Euros);
  • Acesso ao banco através do site ou app;
  • Permite fazer depósitos aos balcões do Millenium BCP;
  • Cartão de débito gratuito para todos os titulares;
  • Acesso a Seguros, Crédito Pessoal, Crédito Automóvel, Crédito Habitação, Investimentos;
  • Transferências interbancárias grátis, exceto se forem efetuadas ao balcão ou por telefone (com atendimento personalizado).

Todavia, a emissão de segunda via de cartão de débito pode custar 15 euros, exceto em algumas situações, como por exemplo a captura do cartão em caixas multibanco ou terminais automáticos de pagamento, o extravio no envio do cartão pelo Banco ou ainda o cancelamento do cartão por iniciativa do Banco por motivos de segurança, entre outras.

De igual modo, a emissão de cheques poderá ter um custo mínimo de 4 euros, ao qual acresce portes de envio pelo correio. Os cheques visados ou bancários são os únicos levantados ao balcão e têm um custo de 50 e 20 euros respetivamente, ao qual acresce Imposto do Selo de 4% sobre a comissão.

Moey!

A moey! é uma marca do Grupo Crédito Agrícola e disponibiliza uma conta à ordem “sem rodeios e sem complicações”, pode ler-se no site. Nas contas da moey! não há comissões de adesão nem de manutenção, mas também não tem balcões físicos.

Trata-se, assim, de uma solução 100% mobile, com vários pontos positivos:

  • Sem custos de adesão/manutenção;
  • Abertura de conta através de vídeochamada ou a partir da Chave Móvel Digital;
  • Permite o envio, pagamento e solicitação de dinheiro aos seus contactos: seja com moey!, MB WAY ou com o telemóvel;
  • Cartão de débito gratuito;
  • Transferências gratuitas, incluindo via MB Way;
  • Levantamentos gratuitos em Portugal e na zona Euro.

No que diz respeito a encargos há uma exceção à regra: o pedido de substituição do cartão de débito, que tem um custo de 5 euros.

Conta à Ordem Open Bank

Sem comissões de abertura ou manutenção, nem custos associados ao cartão de débito, a Conta à Ordem Open Bank (Santander Group) é mais uma a considerar.

Eis algumas das suas características:

  • Abertura e manutenção sem custos;
  • Transferências nacionais e em países da União Europeia, em euros, gratuitas;
  • Cartão Я42 grátis;
  • Levantamentos grátis nos caixas automáticos do Banco Santander em todo o mundo e 5 levantamentos mensais grátis em caixas automáticos da zona euro;
  • Apesar de ter um IBAN europeu, que começa com as letras “ES” por ser de origem espanhola, a conta pode ser usada sem restrições como uma Conta Ordenado em Portugal;
  • Acesso a descontos exclusivos em grandes marcas como Booking.com, AVIS ou SKICenter.

contas bancárias que Já não são “totalmente” gratuitas

A maior parte das entidades que se seguem tinham contas bancárias gratuitas, mas tal já não acontece devido a alterações nos preçários, que passaram a incluir, por exemplo, o pagamento de anuidade do cartão de débito.

conta bancária sem comissões

Conta Banco CTT

Quando surgiu, em 2015, o Banco CTT apresentava-se como um “banco zero”, isto é, não cobrava anuidades nos cartões de crédito ou débito, nem comissões de manutenção de contas.

Mas no início deste ano as coisas mudaram. A 24 de fevereiro de 2020, a emissão do cartão de débito passou a custar 15,60 euros e, para pedir um cartão provisório, o cliente tem agora de desembolsar 5,20 euros. Já o cartão de crédito continua isento de pagamento, mas a sua substituição tem um custo de 15,60 euros.

Além disso, os clientes do banco passam também a pagar 4,68 euros no levantamento de numerário ao balcão.

Por enquanto a manutenção de conta permanece sem custos, assim como as transferências feitas nos canais digitais e a utilização em app MB Way.

Conta à ordem BNI Europa – Residentes

Outro exemplo é o Banco BNI Europa que tinha um produto diferenciado, uma vez que oferecia uma solução remunerada, e sem despesas, para as contas à ordem.

A movimentação da conta continua a poder fazer-se sem custos através de homebanking e gratuitas continuam também as ordens de transferência e débitos diretos.

No entanto, desde 10 de julho deste ano que a disponibilização do cartão de débito (MB Only) passou a ter um custo anual de 5 euros, inclusivamente em casos de substituição do cartão por um novo, a pedido do titular, “devido ao mau estado do plástico ou situações de natureza similar.”

Já a emissão de cheques até desceu de preço: custa agora 30 euros, menos 10 euros do que antes. A esse valor acresce Imposto do Selo de 5 cêntimos por cheque e Imposto do Selo de 4% sobre a comissão.

Conta em euros do Banco Atlântico Europa

Até há pouco tempo, o Banco Atlântico Europa anunciava a abertura de uma conta totalmente gratuita à distância de apenas alguns cliques e desde que o montante mínimo depositado fosse de 500 euros no momento da abertura.

Ora o montante é agora de 250 euros para abrir a conta e o banco continua sem cobrar comissão de manutenção.

Mas ao contrário do que acontecia antes, o valor a pagar anualmente, após o primeiro ano, pela disponibilização de um cartão de débito passou a ser de 15,38 euros, mais Imposto do Selo. Esta opção era gratuita para o Atlântico Mastercard Internacional MB e Mastercard (SMB) que foi, entretanto, descontinuado.

Conta Digital Banco Best

Tal como o nome indica, a Conta Digital do Banco Best era e continua a ser gratuita se for acedida apenas pelos canais digitais.

Quando em euros, esta conta não implica o pagamento de comissões de manutenção e permite a gratuitidade de transferências internas e interbancárias nos canais internet, mobile e ATM.

Todavia, se precisar de um cartão de débito, o cliente terá um custo anual de 19,50 euros, ao qual acresce Imposto do Selo de 4%.

Conta de serviços mínimos bancários

Se, por uma questão prática ou de relação de muitos anos com o seu banco, preferir manter o seu dinheiro na instituição atual, o melhor a fazer para reduzir os custos com comissões é tentar mudar para uma conta de serviços mínimos bancários.

Estas contas permitem ter o seu dinheiro à ordem e fazer as movimentações básicas do dia-a-dia, mediante um valor anual bem inferior ao habitualmente praticado.

De acordo com o Banco de Portugal, além da abertura e manutenção da conta de serviços mínimos bancários, o titular pode ter acesso a outras condições sem custos, nomeadamente:

  • Cartão de débito;
  • Acesso sem custos às caixas automáticos em Portugal e nos restantes Estados-Membros da União Europeia;
  • Movimentar a conta através do serviço de homebanking e dos balcões da instituição de crédito;
  • Fazer depósitos, levantamentos, pagamentos de bens e serviços e débitos diretos;
  • Realizar transferências intrabancárias;
  • Realizar transferências interbancárias, através de caixas automáticos, sem restrição quanto ao número de operações que podem ser realizadas, e de homebanking, caso em que existe um máximo, por cada ano civil, de 24 transferências interbancárias nacionais e na União Europeia.

Para que se verifiquem estas condições, a conta de serviços mínimos bancários tem de ser a única conta à ordem do consumidor no sistema bancário português, exceto se:

  • For contitular de uma conta de serviços mínimos bancários com uma pessoa com mais de 65 anos ou com um grau de invalidez permanente igual ou superior a 60% que não tenha outras contas;
  • A pessoa que já seja contitular de uma conta de serviços mínimos bancários com uma pessoa com mais de 65 anos ou com um grau de invalidez permanente igual ou superior a 60% pode aceder individualmente a uma conta de serviços mínimos bancários, se não tiver outras contas de depósito à ordem;
  • O cliente foi notificado de que a sua conta de depósito à ordem será encerrada, podendo, então, solicitar a abertura de uma conta de serviços mínimos bancários.
Veja também

Aviso Legal

O Ekonomista disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento fiscal, jurídico ou financeiro. O Ekonomista não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral e abstrata, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui qualquer garantia nem dispensa a assistência profissional qualificada. Se pretender sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].