Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Marta Maia
Marta Maia
28 Nov, 2019 - 15:35

8 dicas para gerar riqueza que pode começar a aplicar já hoje

Marta Maia

Para assegurar um futuro financeiro estável e despreocupado, não basta poupar. É preciso também gerar riqueza. Saiba por onde começar.

Os mais atentos já conhecem este princípio: para uma velhice financeiramente tranquila, não basta poupar. É preciso gerar riqueza, multiplicar as poupanças e fazer crescer o bolo financeiro para dormir descansado quando já não puder trabalhar.

Gerar riqueza, no entanto, exige alguns conhecimentos, consciência financeira e muita paciência. Para ajudá-lo, reunimos 8 dicas para fazer crescer as poupanças nos próximos anos sem entrar em loucuras restritivas.

gerar riqueza hoje para colher Amanhã: 8 Dicas

Recibos verdes: isenção de contribuições para a Segurança Social

1. Conheça o seu valor

É certo que tem valor enquanto humano e indivíduo, mas também tem um valor financeiro e é esse valor que lhe permite gerar riqueza.

Pense em si como um recurso: além das capacidades intelectuais e físicas, ou seja, o que sabe e consegue fazer, também tem tempo – tempo que pode dedicar ao trabalho e à produtividade.

Essas três posses são as que vende ao mercado, que é como quem diz, ao seu patrão: dispensa o seu tempo, capacidade física e conhecimentos para executar um trabalho e, em troca, recebe dinheiro.

Ora, as pessoas não têm todas o mesmo valor – algumas são particularmente ricas em determinado ponto, ou porque são altamente conhecedoras de uma atividade ou porque têm uma capacidade física excecional. E o que é excecional vale mais…

Por isso tire partido desse potencial. Use as suas capacidades para gerar riqueza e tenha sempre presente que, quanto mais valiosas elas forem para o mercado, mais dinheiro lhe devem render.

2. Saiba em que ponto financeiro se encontra

Pode até ter algum dinheiro de parte, mas de pouco lhe servirá se tiver uma dívida ao banco em valor superior.

Para saber em que ponto está, é necessário calcular o seu património. Some tudo o que tem (contas, poupanças, imóveis, carros, etc.) e subtraia do total o valor das suas dívidas pendentes (cartões de crédito, empréstimos, etc.).

Se o resultado da sua conta der um número negativo, ou seja, se o valor que deve for maior do que o valor que tem, significa que, para gerar riqueza, vai ter de esforçar-se ainda mais.

Rendimentos que influenciam as suas finanças
Veja também Ativos e passivos: o que são e como influenciam as suas finanças

3. Automatize a poupança

Se não é pessoa de grande memória ou se a força de vontade de poupar não é o seu maior atributo, pondere automatizar a sua poupança.

Praticamente todos os bancos que operam em Portugal oferecem uma solução que permita entregas programadas. Assim todos os meses o banco retira da sua conta um determinado valor e transfere para uma aplicação, seja um depósito a prazo, uma conta-poupança ou um PPR, por exemplo.

A vantagem de ter a poupança automatizada é que vai cumpri-la com maior frequência e, claro, maior facilidade, porque nem sequer tem de pensar nisso. Ela simplesmente acontece. Resultado: vai estar a gerar riqueza sem sequer precisar de parar para pensar no assunto.

4. Aproveite todas as ajudas a que tiver acesso

Se a sua empresa tem um acordo especial com algum banco e, ao abrigo desse acordo, tem acesso a produtos financeiros exclusivos ou com taxas de rendibilidade mais altas, aproveite.

Tudo o que lhe permitir gerar riqueza mais rapidamente deve ser levado em conta, até porque vai perceber que o dinheiro cresce quase sempre muito devagar.

5. Olhe para o que gasta

Não podíamos deixar que faltasse este conselho, que já é habitual.

É impossível gerar riqueza sem conhecer ou saber controlar as suas despesas. Por isso é importante que reveja os seus gastos mensais e confirme se não está a deixar escapar uns euros em coisas que, afinal de contas, nem são assim tão importantes para si.

Não precisa de fazer um orçamento, se não quiser: basta que analise, calmamente e com franqueza, o extrato de movimentos dos últimos três meses e perceba onde é que pode cortar para investir o que sobra em estratégias mais rentáveis.

6. Não deixe o dinheiro parado

Dinheiro parado desvaloriza, por isso é boa ideia manter-se a par das ofertas que o mercado financeiro tem para as suas poupanças.

Pode aplicar o que guarda numa conta poupança, pode investir em produtos financeiros ou até pode usar o dinheiro para amortizar empréstimos mais rápido.

O importante é que nunca deixe o dinheiro parado na conta à ordem e lhe dê um uso que, a médio ou longo prazo, lhe permita gerar riqueza.

Ao investir, mantenha sempre presente que a rendibilidade é sempre proporcional ao risco, pelo que as taxas mais atraentes vão andar sempre de mãos dadas com investimentos mais arriscados. Escolha com sensatez.

7. Faça das suas poupanças uma prioridade

Se poupar é importante para si, não se permita desculpas.

Não deixe de poupar um mês para ir de férias, porque, quando se aperceber, está a trocar a poupança de cada mês por outra coisa qualquer e igualmente “muito importante”. Se a ideia é poupar, seja disciplinado nisso e verá que gerar riqueza se torna mais fácil.

8. Seja paciente

Por muitas receitas que lhe vendam, o dinheiro não cresce do dia para a noite. Claro que há estratégias que lhe permitem gerar mais riqueza do que outras, mas nada vai acontecer num prazo curto.

Assim, é necessário que seja paciente e não parta para a poupança com expectativas irrealistas, porque o dinheiro vai, sim, levar alguns anos até começar a ter um crescimento visível.

Tenha calma e mantenha presente que o objetivo é preparar o futuro a longo prazo, por isso não faz mal esperar pelos resultados.

Veja também