Marta Maia
Marta Maia
11 Abr, 2019 - 18:54
4 dicas para gastar o reembolso do IRS sem se arrepender

4 dicas para gastar o reembolso do IRS sem se arrepender

Marta Maia

Gastar o reembolso do IRS parece fácil, mas o arrependimento pode tramá-lo daqui a uns meses. Saiba como evitá-lo, gastando bem o dinheiro que receber.

O artigo continua após o anúncio

Estamos em plena fase de submissão da declaração do IRS e já está cheio de planos para o que vai fazer com o dinheiro que lhe cair na conta? Aconselhamos a que tenha um pouco mais de calma: gastar o reembolso do IRS é uma alegria garantida, mas, se o gasto for precipitado, também pode ser mais um arrependimento a pesar-lhe na consciência daqui a uns meses.

Gastar o reembolso do IRS deve ser considerado um ritual. Aquele é o seu dinheiro e, apesar de não parecer no momento em que chega, foi ganho com muito esforço. Lembre-se que teve de trabalhar muitas horas para chegar até aqui, e que deve a si mesmo a consideração de não desperdiçar tudo no primeiro desejo que lhe vier à cabeça.

É para ajudá-lo a planear bem o destino do dinheiro dos impostos que reunimos neste artigo um conjunto de dicas. Não vamos dizer-lhe para investir, nem vamos dizer-lhe para por tudo de lado ou engordar a conta-poupança. Vamos, isso sim, alinhar na decisão de que, de vez em quando, também nos faz bem gastar algum dinheiro, mas apenas com uma condição: a de ter a certeza que vai gastar o dinheiro em algo que quer mesmo, mesmo muito.

Como gastar o reembolso do IRS

mulher sentada no chão encostada ao sofá a trabalhar no computador

1. Faça uma lista de desejos

Tudo começa com a noção clara das suas prioridades e do que quer mesmo, mesmo comprar. Pensando de repente, todos temos os nossos desejos e caprichos – que, num momento de bolso cheio, nos podem parecer facilmente alcançáveis e levar-nos a gastar sem pensar.

Para fugir à impulsividade, é muito importante fazer uma lista do que quer – e não é uma lista qualquer. Perca tempo. Pense, analise e volte a pensar. Estabeleça prioridades e determine o que quer com maior fervor, ordenando os desejos do mais importante para o menos importante. Assim, se o dinheiro do acerto de contas com o Fisco não chegar para tudo, pelo menos já sabe por onde começar.

Fica também aqui um conselho extra: os desejos mais inalcançáveis são os melhores para gastar o reembolso do IRS, porque é um dinheiro que, em teoria, não lhe exigiu muito esforço para aparecer; porque é um valor mais relevante e, claro, porque é um dinheiro suplementar ao orçamento mensal regular, o que significa que gastá-lo não vai desequilibrar as suas contas.

Assim, talvez queira começar a riscar a lista pelo mais difícil, mesmo que depois não dê para concretizar muitos mais desejos.

2. Durma sobre o assunto

Não somos todos igualmente decididos, mas todos temos os nossos devaneios e as nossas falhas. Depois de fazer a lista de coisas em que vai gastar o reembolso do IRS, arrume a lista em algum lado escondido e vá seguir a sua vida normalmente.

O artigo continua após o anúncio

Deve ir dormir descansado e, no dia seguinte, voltar a olhar para a lista de desejos que fez. Mudaria alguma coisa na ordem de prioridades que definiu? Proceda às alterações e volte a guardar a lista, para validar na manhã seguinte.

O que se procura com esta estratégia é construir uma hierarquia de prioridades da qual se sente mesmo, mesmo seguro. Não pode haver dúvidas sobre o que é mais importante para gastar o reembolso do IRS. Se acorda de manhã com dúvidas sobre o que decidiu no dia anterior, mais vale não gastar nada, pelo menos para já.

3. Não tenha pressa

Não tenha pressa de gastar o reembolso do IRS. Ele espera por si, acredite. Deixe o dinheiro cair na conta, veja quanto é e trabalhe com calma na sua lista de desejos.

Quando o assunto é gastar dinheiro, não há pior do que desperdiçar tudo em algo que, uns dias depois, conclui que afinal não era assim tão importante ou que era menos importante do que qualquer outra coisa que, no fim das contas, continua sem sair da lista de desejos.

Se, quando o Fisco fizer contas consigo, não souber bem em que gastar o reembolso do IRS, simplesmente não gaste. Deixe-o parado umas semanas, ou, se previr que nada vai ser decidido para já, aplique-o para ficar guardado para mais tarde. Não é obrigatório gastar tudo no primeiro dia.

4. Divida para multiplicar

Se não há, na sua lista de desejos, um que se destaque mesmo muito de todos os outros, uma boa forma de gastar o reembolso do IRS é dividi-lo por várias compras diferentes. Claro que, com esta estratégia, vai acabar por não comprar nada de muito caro, mas com certeza vai poder comprar várias coisas mais pequenas.

Se a sua lista de desejos for longa, esta estratégia vai trazer-lhe a sensação de receber muitos mimos ao mesmo tempo, prolongando a satisfação da compra.

Assim, divida o dinheiro que receber do Fisco em várias porções e, com elas, risque vários itens da lista de desejos. Mesmo que não consiga riscar os mais caros, pode riscar alguns mais difíceis e outros mais fáceis de concretizar. Quantos mais desejos conseguir “fechar”, mais o seu dinheiro vai render.

O artigo continua após o anúncio

Veja também:

Veja também