Olga Teixeira
Olga Teixeira
19 Out, 2022 - 11:30

Como preparar a reforma aos 40 anos: as dicas para começar

Olga Teixeira

Ainda não é tarde para começar a pensar no futuro. Saiba como preparar a reforma aos 40 anos e ter uma velhice mais descansada.

Preparar a reforma aos 40 anos

Não é demasiado tarde, mas também já não tem muito tempo, por isso, é o momento de perceber como pode preparar a reforma aos 40 anos, garantindo que, quando deixar de trabalhar, não sente a perda de rendimentos.

Há quem diga que a reforma deve começar a ser preparada assim que começamos a trabalhar, mas se chegou aos 40 anos e ainda não pensou nisso, saiba que ainda vai a tempo.

Preparar a reforma: o que deve saber

Um dos pontos principais a ter em conta é que o valor da sua reforma não vai ser igual ao do seu último salário. Ou seja, quando se reformar vai perder rendimentos, pelo que deve acautelar esta situação garantindo uma poupança ou um complemento à reforma que minimize esta quebra.

É igualmente importante perceber que a idade da reforma tende a aumentar e que, se quiser reformar-se antes da idade legal, vai sofrer penalizações. Isto é, cortes na pensão que vão fazer com que a perda de rendimentos seja ainda maior.

Se tem curiosidade em saber quanto vai receber, pode simular a sua pensão através da Segurança Social Direta.

Assim, um dos primeiros passos para saber como preparar a reforma aos 40 anos é ter uma ideia de quanto vai ganhar quando se reformar e de quanto poderá precisar para manter o seu nível de vida.

Como preparar a reforma aos 40 anos?

A resposta para esta pergunta resume-se a dois verbos: poupar e investir. O importante é perceber como.

Aos 40 anos estará sensivelmente a meio da sua carreira e do caminho para a reforma. Isto significa que a margem de risco já não é a mesma do que se tivesse começado a preparar o futuro aos 20.

Ou seja, há que garantir alguma segurança nas poupanças e investimentos que faz, não optando apenas por produtos sem garantia de capital. Isto porque pode perder tudo o que poupou ou investiu, algo que, em princípio já não interessa a quem está nesta faixa etária. Até porque, com responsabilidades financeiras como os créditos e os filhos, perder dinheiro não é uma boa ideia.

A ideia será, então, optar por um meio termo. Ou seja, jogando pelo seguro, mas concentrando outra parte da preparação para a reforma em produtos com algum risco, mas que garantam maior rentabilidade.

O importante é que se sinta confortável com a opção que tomar, que a escolha seja consciente e informada e adequada ao seu perfil de risco.

Outras recomendações

Além de garantir que compreende bem as poupanças ou investimentos que vai fazer para preparar a sua reforma, certifique-se que, ao pensar no futuro, não está a descurar o presente.

Isto é, deve fazer bem as contas e perceber de quanto dinheiro pode dispor para a sua poupança ou investimento. Poupar é fundamental, mas a taxa de poupança não deve obrigar a que sacrifique demasiado o seu orçamento atual.

Antes de começar a preparar a reforma crie um fundo de emergência. Assim garante que, caso venha a sofrer uma quebra de rendimentos a curto ou médio prazo, terá uma almofada financeira que evita que mexa no dinheiro que vai usar para a reforma.

Ideias para preparar a sua reforma

Ao pensar na reforma, o Plano Poupança Reforma (PPR) é uma das soluções mais comuns. Além dos benefícios fiscais, o PPR poderá ser resgatado em caso de necessidade.

Ainda assim, há que ter em conta que há vários tipos de PPR e que nem todos dão garantia de recuperar o capital investido. Os fundos e seguros PPR são duas formas de poupar para a sua reforma, sendo que os segundos são uma opção mais conservadora.

Investir em ações, em Seguros de Vida unit-linked (contratos de seguro baseados em fundos de investimento) ou em seguros de capitalização são outras opções que pode considerar. Deve, no entanto, informar-se sobre como funcionam. E perceber quanto pode perder se algo correr menos bem.

Produtos financeiros que podem ajudar a assegurar o seu futuro

Ao planear a forma como pode preparar a reforma aos 40 anos tem sempre a possibilidade optar por vias mais tradicionais. Que podem passar, por exemplo, por uma conta poupança ou por um depósito a prazo. Com a subida dos juros, ter o dinheiro no banco pode voltar a ser uma opção interessante.

Os Certificados de Aforro continuam a ser uma escolha bastante comum e podem tornar-se ainda mais populares com a subida das taxas de juro. O facto de serem acessíveis (só precisa de 100 euros para investir), de terem capital garantido e de não cobrarem comissões tornam-no um produto apelativo.

Já os Certificados do Tesouro, sendo igualmente uma opção segura, tem um benefício extra em épocas de crescimento económico: a partir do 3.º ano a taxa de juro é acrescida de um prémio, em função do crescimento médio real do PIB. Os Certificados do Tesouro Poupança Valor (CTPV), lançados em 2021, ainda estão disponíveis.

Preparar a reforma aos 40 anos pode igualmente passar pelos Certificados de Reforma, que podem ser entendidos como um regime complementar de Segurança Social. Ao aderir, além da contribuição obrigatória, descontará por mês mais 2%, 4% ou 6% (opção só disponível para maiores de 56 anos) do valor do seu vencimento mensal.

O investimento em imobiliário é outra opção que pode considerar, já que pode usar o valor de um eventual arrendamento para reforçar a sua poupança para a reforma ou para complementar a sua pensão depois de se reformar.

Veja também